Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16243
Title: Infância - memórias: cenários - personas
Authors: Santos, Elizabete Maria álvares dos
Keywords: Graciliano Ramos. Infância. Memorialismo. Lembrança. Esquecimento;Graciliano Ramos. Memorialism. Remembrance. Oblivion
Issue Date: 5-Nov-2012
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SANTOS, Elizabete Maria álvares dos. Infância - memórias: cenários - personas. 2012. 105 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada; Literatura Comparada) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
Portuguese Abstract: Infância é, sem dúvida, memória, l iteratura de grande qualidade, respei tável, à medida que a história contada transita ent re f icção e real idade. Histór ia social e pessoal, com tamanho senso de real idade, fazendo com que o leitor lucre com a honest idade e a sinceridade que produziu, nessa obra, resultados marcantes em sua constância de recortes quadro-a-quadro. Lembrança e esquecimento são, portanto, os guiadores deste trabalho, tendo como propósito a denúncia do encontro da criança com a violência e, sendo o texto memor ial íst ico, vê -se a importância da f icção para que esse t ipo de narrat iva se sustente. Busco, com isso, mostrar no tom humanizador deste relato de memórias, o seu signif icado profundo e decisivo, através dos conceitos de memória de Le gof f , de Seligmann-Silva e de Ecléa Bosi. É, também, através das teorias de Jeanne Marie Ganegbin que just if ico o conceito de lembrança e esquecimento e que, me ut il izando dos conceitos de El iane Zagury, acrescento e amparo a relação da autobiograf ia como meio de expressão do relato de memórias. Por últ imo, em Infância, não há espaço para a fantasia. O lir ismo que se avassala, no decorrer de cada capítulo, comanda a imaginação do autor. A necessidade de inventar cede espaço à necessidade de depor, de denunciar . E essa transição ocor re de forma lenta e gradual, assim como lenta é a vida do menino Gracil iano, diante de tanta humilhação e submissão
Abstract: Infância is undoubtedly memory, high qual ity l iterature, reputable, as the story moves between f ict ion and reality. Personal and social history, wi th such a sense of reality, causing the reader to prof it f rom the honesty and the sinceri ty producing, in this work, remarkable results in a constancy of cl ippings, f rame -by-f rame. Memory and obl ivion are this work guidance. We aim to denounce the relat ionship between the chi ld and violence, and as it is a memorialist ic text , we see the importance of f ict ion for this type of narrat ive to be sustained. I aim thereby show the tone of this report humanizing memories, its deep and decisive meaning, through the memories concepts by Le Gof f , by Seligmann-Silva and by Ecléa Bosi. I t is also through the theories of Jeanne Marie Ganegbin that I just ify the concept of remembering and forget t ing, and also it is also according the concepts of Eliane Zagury that I give support to the importance of autobiography as a a mean of expressing the reported memor ies. Final ly, in Infância, there is no room for fantasy. The lyricism that overwhelms, throughout each chapter, commands the author's imaginat ion. The need to invent gives way to the need to test ify, to denounce. And this t ransit ion occurs gradually, slow as Gra c il ia n o s c h i ld li f e , d u e to such humiliat ion and submission
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16243
Appears in Collections:PPGEL - Mestrado em Estudos da Linguagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ElizabeteMAS_DISSERT.pdf2,31 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.