Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16782
Título: Avaliação da genotoxicidade das águas sueprficiais da Barragem Engenheiro Armando Ribeiro Gonçalves, Assu/RN
Autor(es): Cabral, Thiago de Melo
Palavras-chave: Genotoxicidade;Teste de micronúcleo;Ensaio cometa;Teste Allium cepa;Teste de Ames;Teste de Kado;Águas superficiais e cianobactérias;Genotoxicity;Micronucleus test;Comet assay;Allium cepa test;Ames test;Kado test;Superficial waters and cyanobacteria
Data do documento: 28-Fev-2007
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: CABRAL, Thiago de Melo. Avaliação da genotoxicidade das águas sueprficiais da Barragem Engenheiro Armando Ribeiro Gonçalves, Assu/RN. 2007. 9 f. Dissertação (Mestrado em Genética e Biologia Molecular) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2007.
Resumo: A contaminação de reservatórios de água é um dos principais problemas da atualidade. A Barragem Engenheiro Armando Ribeiro Gonçalves (EARG), (06º08 S; 37º07 W) localizada no estado do Rio Grande do Norte, é a segunda maior barragem do nordeste brasileiro, responsável pelo abastecimento doméstico de aproximadamente 415 mil habitantes do semi-árido brasileiro. A água da EARG é captada por um sistema de adutoras, onde é tratada e distribuída para a população. O presente trabalho teve o objetivo de avaliar o potencial genotóxico da água da Barragem EARG. Para isso, foram realizados os testes cometa e micronúcleo com eritrócitos de tilápias (Oreochromis niloticus) capturadas nesse reservatório. Os testes Allium cepa e mutação reversa com Salmonela typhimurium foram realizados com água do reservatório antes e após o tratamento. Além disso, análises quantitativa e qualitativa de cianobactérias, assim como a quantificação das microcistinas produzidas pelas cianobactérias presentes nesse reservatório foram realizados, apenas com amostras coletadas na barragem. Os resultados obtidos indicaram aumento significativo na freqüência de micronúcleos em eritrócitos de O. niloticus (p<0,05). A média obtida foi de 2,38 ± 3,02 micronúcleos em mil células analisadas, enquanto que o controle negativo apresentou média de 0,20 ± 0,41 micronúcleos. O ensaio cometa realizado com peixes da EARG foi analisado em uma escala crescente de danos (0 - 4), e mostrou resultados classificados nos níveis 0, 1, 2 e 3, enquanto que o controle negativo apresentou resultados nos níveis 0 e 1. Nos parâmetros macroscópicos avaliados no teste A. cepa não foi verificado alterações estatisticamente significativas. Os parâmetros microscópicos indicaram diminuição significativa no índice mitótico nos dois pontos estudados. Além disso, também foi detectado aumento na freqüência de metáfases e anáfases aberrantes em ambos os pontos, porém estatisticamente significativo apenas na amostra sem tratamento para anáfases aberrantes. A freqüência de micronúcleos no teste A. cepa não foi significativo em relação ao controle negativo. Para o teste de mutação reversa com S. typhimurium realizado com água sem extração, os resultados não demonstraram mutagenicidade para ambos os pontos. Os resultados encontrados com os extratos das amostras coletadas em ambos os pontos apresentaram diferenças estatisticamente significativa quando foi utilizada a fração S9 como ativador metabólico. Para a água não tratada, essas diferenças foram encontradas apenas para a cepa TA98, enquanto que para a água tratada, as duas linhagens apresentaram diferenças significativas. A análise qualitativa de cianobactérias demonstrou a existência de cianobactérias potencialmente tóxicas tais como Planktothrix agardii, Cylindrospermopsis raciborskii e Microcystis panniformes. O ensaio de HPLC indicou a presença de 38,1 &#956;g/L de microcistinas na água da EARG. O teste de mutação reversa realizado com o extrato contendo microcistinas, não apresentou aumento na razão de mutagenicidade para TA100. O conjunto dos resultados obtidos no presente trabalho sugere que as águas da Barragem EARG podem conter agentes genotóxicos, capazes de alterar a informação genética dos indivíduos. Esses resultados indicam a necessidade de um programa de monitoramento e controle desses poluentes
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/16782
Aparece nas coleções:PPGGBM - Mestrado em Genética e Biologia Molecular

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ThiagoMC.pdf53,09 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.