Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/17212
Title: Atividades comportamentais e comportamento alimentar de rã touro, Lithobates catesbeianus (Shaw, 1802), de pigmentação normal e albina em cativeiro
Authors: Casali, Alex Poeta
Keywords: Atividades comportamentais;comportamento alimentar;Bullfrog(Lithobates catesbeianus);behavioral activities;feeding behavior
Issue Date: 7-Jun-2010
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: CASALI, Alex Poeta. Atividades comportamentais e comportamento alimentar de rã touro, Lithobates catesbeianus (Shaw, 1802), de pigmentação normal e albina em cativeiro. 2010. 156 f. Tese (Doutorado em Estudos de Comportamento; Psicologia Fisiológica) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
Portuguese Abstract: O entendimento das atividades comportamentais de rãs-touro em cativeiro é de grande importância para a indicação de caminhos adequados no manejo da espécie, visando o uso racional do alimento fornecido. A rã de pigmentação normal é atualmente usada nos ranários, mas a introdução de animais albinos vem sendo pesquisada com o objetivo de se obter um produto diferenciado. Assim, esse estudo objetivou caracterizar as atividades comportamentais de rãs-touro de pigmentação normal e albinas em cativeiro. No primeiro experimento foram utilizadas 48 rãs-touro (70,5 ± 25,6 g) alimentadas uma vez ao dia, em horários aleatórios em minibaias. As atividades comportamentais, obtidas através de filmagens dos animais, foram semelhantes entre os de pigmentação normal e albinos, sendo destacados os seguintes comportamentos: a atividade de ingestão que foi mais frequentemente observada no amanhecer, seguido dos horários da fase de claro; o deslocamento e o descanso no seco mostraram haver uma relação com a alimentação; houve indícios de antecipação do horário de alimentação e que o descanso na água acontece com maior frequência em fase oposta ao da alimentação; e a fase de claro pode ser recomendada para a oferta de alimentos aos animais pigmentados e albinos. Já no segundo experimento, foram fixados os horários de alimentação (10 h ou 16 h), sendo utilizadas 72 rãs-touro albinas em minibaias. Para a análise de desempenho, o peso inicial foi de 23,8 ± 7,6 g, e quando os animais atingiram 60,0 ± 20,0 g foram feitas as filmagens das atividades comportamentais. Foram encontradas diferenças significantes entre os diferentes horários de oferta de alimento testados, para a atividade de ingestão, havendo uma tendência dos animais se alimentarem no amanhecer e logo após a oferta de alimento fresco. Ficou evidenciado que os animais, que recebiam alimento somente pela tarde, tiveram xiv suas atividades comportamentais alteradas. O uso de dois parcelamentos diários estimula a rã-touro albina a consumir alimento em diferentes horários do dia, mas isso não resultou em maior crescimento do animal. O alimento fresco é um estímulo para os animais se alimentarem, mas a ingestão ocorreu com maior frequência ao amanhecer, portanto recomendam-se estudos sobre o fornecimento de alimentos nesse horário. Não foram constatadas evidências de um horário (10 h ou 16 h) mais adequado para o manejo alimentar dos animais albinos, nem vantagens de se usar duas ofertas diárias de alimento. Os resultados aqui apresentados trazem importantes informações sobre o manejo de oferta de alimento e a preferência de horários das atividades dos animais, ajudando, com informações inéditas, as futuras pesquisas direcionadas nessa área
Abstract: The behavior of bullfrogs reared in captivity must be well understood to support management practices that use efficient feeding regimes. In general, bullfrogs reared in captivity have normal pigmentation, but to develop an enhanced product, some studies have investigated the introduction of albino individuals in frog farms. The present study characterized the behavior of both pigmented and albino bullfrogs reared in captivity. In an initial experiment, 48 bullfrogs (70.5 ± 25.6 g) housed in small stalls were fed once a day at random times. Frogs were filmed and the images showed that both the pigmented and albino varieties behaved similarly: food intake was more frequent at dawn followed by light periods; moving and resting in dry areas may be associated to feeding events; frogs appeared to anticipate feeding time and to rest in the water more frequently in periods other than feeding time; daylight is the recommended period for feeding both pigmented and albino frogs. In a second experiment, 72 albino bullfrogs were fed at fixed times (10 a.m. or 4 p.m.) in small stalls. An initial weight of 23.8 ± 7.6 g was considered to evaluate frog performance, and after the animals reached 60.0 ± 20.0 g, they were filmed for behavior analyses. Food intake varied as a function of feeding time, and frogs were more likely to eat during the early hours of the day and immediately after receiving fresh food. Frogs fed only in the afternoon changed their behavior. Food supplied twice a day stimulated the albino frogs to eat at different times, but did not increase growth. Although fresh food stimulated feeding behavior, food intake was more frequent at dawn. Food supplied at this time of day should therefore be further investigated. The results did not indicate a more suitable feeding time (10 a.m. or 4 p.m.) for albino bullfrogs, or any advantage in using two feedings per day. The results provide xvi important information about bullfrogs in terms of food supply regime and activity preferences throughout the day. This novel information will contribute to future studies in this area
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/17212
Appears in Collections:PPGPSICO - Doutorado em Psicobiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AlexPC_TESE.pdf1.86 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.