Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/18246
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSouza, Cimone Rozendo dept_BR
dc.contributor.authorAndrade, Anna Jéssica Pinto dept_BR
dc.date.accessioned2014-12-17T15:55:03Z-
dc.date.available2014-01-15pt_BR
dc.date.available2014-12-17T15:55:03Z-
dc.date.issued2013-03-05pt_BR
dc.identifier.citationANDRADE, Anna Jéssica Pinto de. Family farming at the Serido s region of Rio Grande do Norte: vulnerability, perception and adaptation to climate change. 2013. 118 f. Dissertação (Mestrado em Meio Ambiente, Cultura e Desenvolvimento) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/18246-
dc.description.abstractAt the semiarid regions of developing countries the rural population has always been vulnerable to the climatic variations e its consequences. The effects of the semiarid climate, together with other biophysics, social and political-economic factors, impair the agricultural production, generating a situation of food insecurity and poverty in the rural areas. With the occurrence of climate change, natural resources of the semiarid regions can became scarcer, what would directly affect the agricultural production and those who depend on it. Therefore, the present study sought to study one of the most susceptible areas to the effects of the semiarid climate and desertification of Rio Grande do Norte, the potiguar s Serido. The study aimed to analyze the socioeconomic and environmental factors that put farmers in a position of vulnerability to the effects of climate; assess their perceptions about climate variations that have already occurred and their knowledge about climate change and global warming, also to identify which adaptation strategies to climate they have adopted at the rural establishment. The survey was conducted in 29 communities of four counties of the potiguar s Serido Caico, Parelhas, Lagoa Nova and Acari. Semi-structured interviews were conducted with local leaders and 241 questionnaires were applied with the family farmers. It was found that in addition to environmental factors such as the scarcity of water resources and climatic conditions, other factors such as the environmental degradation, the small size of the properties, the lack of technical assistance and financial resources and also the low education levels reduce the resilience capacity of family farming to the effects of the Semiarid climate. With the occurrence of climate change, the challenges for family farming at Serido will intensify. If farmers cannot adapt, the impacts may preclude this category of agricultural production causing serious harm to food security and further increasing the vulnerability situation of these populations. Although the farmers perceived changes in climate, the lack resources and information appears as the main reasons preventing the adoption of adaptation strategies. The lack of knowledge about climate change and global warming and the impacts that these phenomena may cause are also limiting factors for adaptation. It is therefore essential to identify the factors that influence the adoption of adaptation strategies, and seek alternatives to living with the semiarid that can strengthen the resilience of family farming and social reproduction that allow agricultural segment, even in a climate change scenarioeng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superiorpt_BR
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectVulnerabilidade. Percepção. Adaptação. Semiárido. Seridópor
dc.subjectVulnerability. Perception. Adaptation. Semiarid. Seridoeng
dc.titleA agricultura familiar do Seridó potiguar: vulnerabilidade, percepção e adaptação às mudanças climáticaspor
dc.title.alternativeFamily farming at the Serido s region of Rio Grande do Norte: vulnerability, perception and adaptation to climate changeeng
dc.typemasterThesispor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFRNpor
dc.publisher.programPrograma Regional de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente PRODEMApor
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/0783489958518502por
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/8227598190372706por
dc.contributor.referees1Dias, Janise Brunopt_BR
dc.contributor.referees1Latteshttp://lattes.cnpq.br/3439374916871672por
dc.contributor.referees2Morais, Ione Rodrigues Dinizpt_BR
dc.contributor.referees2Latteshttp://lattes.cnpq.br/9233980341514642por
dc.description.resumoNas regiões semiáridas dos países em desenvolvimento as populações rurais sempre estiveram vulneráveis às variações climáticas e suas consequências. Os efeitos do clima Semiárido, aliados à outros fatores biofísicos, sociais, políticos e econômicos, prejudicam a produção agrícola, gerando uma situação de insegurança alimentar e pobreza no meio rural. Com o advento das mudanças climáticas, os recursos naturais das regiões semiáridas poderão se tornar ainda mais escassos, o que afetaria diretamente a produção agrícola e os que dela dependem. Nesse contexto, a presente pesquisa buscou estudar uma das áreas mais susceptíveis aos efeitos do clima semiárido e da desertificação do Rio Grande do Norte, o Seridó potiguar. O estudo teve como objetivo analisar os fatores socioeconômicos e ambientais que colocam os agricultores familiares numa situação de vulnerabilidade aos efeitos do clima; avaliar suas percepções sobre as variações climáticas já ocorridas e seus conhecimentos sobre mudanças climáticas e aquecimento global, além de verificar quais as estratégias de adaptação ao clima foram realizadas no âmbito do estabelecimento rural. A pesquisa foi realizada em 29 comunidades de quatro municípios do Seridó potiguar Caicó, Parelhas, Lagoa Nova e Acari. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com lideranças locais e aplicados 241 questionários com os agricultores familiares. Verificou-se que além dos fatores ambientais como a escassez dos recursos hídricos e as condições climáticas outros fatores como degradação ambiental o tamanho reduzido das propriedades, a falta de assistência técnica e de recursos financeiros, além do baixo nível de escolaridade dos agricultores reduzem a capacidade de resiliência da agricultura familiar aos efeitos do clima Semiárido. Com a ocorrência das mudanças climáticas, os desafios para a agricultura familiar do Seridó potiguar irão se intensificar e, caso os agricultores não consigam se adaptar, os impactos poderão impossibilitar a produção agrícola dessa categoria, causando graves prejuízos para a segurança alimentar e aumentando ainda mais a situação de vulnerabilidade dessas populações. Apesar de perceberem as alterações no clima, a limitação de recursos financeiros e a falta de informações aparecem como principais impedimentos à adoção de estratégias de adaptação. A falta de conhecimento sobre as mudanças climáticas, aquecimento global e sobre os impactos que esses fenômenos podem causar também são fatores limitantes à adaptação. Torna-se assim, essencial identificar os fatores que influenciam a adoção de estratégias de adaptação, além de buscar alternativas para a convivência com o semiárido que possam fortalecer a resiliência da agricultura familiar e permitir reprodução social desse segmento agrícola, mesmo num cenário de mudanças climáticaspor
dc.publisher.departmentMeio Ambiente, Cultura e Desenvolvimentopor
dc.subject.cnpqCNPQ::OUTROSpor
Appears in Collections:PRODEMA - Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AnnaJPA_DISSERT.pdf4,27 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.