Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/24672
Title: Participação dos componentes homeostático e circadiano do sono no desempenho funcional em idosos institucionalizados
Authors: Nóbrega, Patrícia Vidal de Negreiros
Keywords: Envelhecimento;Fragilidade;Ritmo circadiano;Sono;Actigrafia;Funcionalidade
Issue Date: 11-Dec-2017
Citation: NÓBREGA, Patrícia Vidal de Negreiros. Participação dos componentes homeostático e circadiano do sono no desempenho funcional em idosos institucionalizados. 2017. 179f. Tese (Doutorado em Psicobiologia) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Portuguese Abstract: Introdução: O envelhecimento é um dos fenômenos que afeta a integridade da regulação do ciclo sono-vigília (CSV) e de seus componentes, circadiano e homeostático. Transtornos na regulação do CSV estão relacionados com um importante indicador do estado de saúde na população idosa, o desempenho funcional, cujo declínio progressivo é reconhecido como uma característica comum da Síndrome da Fragilidade. Ambas entidades patológicas acometem mormente os idosos institucionalizados, considerados de risco à um processo de deterioração mais acelerada. Objetivo: Avaliar a influência dos componentes homeostático e circadiano do sono sobre o desempenho funcional em idosos institucionalizados. Materiais e métodos: Estudo longitudinal de 24 meses, com três medidas de avaliação, conduzido com 133 idosos residentes em quatorze instituições de longa permanência do Estado da Paraíba. Foram utilizados Índice de Qualidade de Sono de Pittsburgh (IQSP) e actimetria (abordagem não paramétrica), além de questionários e testes específicos para as variáveis gerais de saúde e de desempenho funcional (fenótipo de fragilidade). Para caracterização da amostra, estatística descritiva foi utilizada, com medidas de distribuição para todas as variáveis. Em seguida, análises bivariadas foram realizadas para observar a existência de relações entre as variáveis independentes e dependentes, com cálculo dos respectivos Effect-Size. Por fim, modelos lineares de efeitos mistos foram construídos, ajustados por covariáveis, para analisar se às mudanças na qualidade do sono (latência, duração, início e final do sono e escore IQSP) e ritmo repouso-atividade (L5, M10, AR, IS60, ISm, IV60 e IVm) seriam preditores de aumento na carga de fragilidade. Resultados: A amostra foi caracterizada por média de idade de 78,76 (±7,62) anos, má qualidade de sono, no IQSP (7,71±4,38 pontos), e 47,3% de idosos frágeis. Os idosos frágeis obtiveram pior qualidade de sono, IQSP=9,00 (±4,59), quando comparados aos não frágeis, IQSP=6,42 (±3,74) (p=0,001). Os idosos com queixas de qualidade de sono ruim, latência de sono prolongada, duração de sono inadequada, baixa eficiência habitual de sono, presença de distúrbios do sono noturno e diurno e/ou uso de medicação para dormir apresentaram critério positivo para exaustão, perda de peso não-intencional, redução na velocidade da marcha, força de preensão e na atividade física. Adicionalmente foram verificados maior irregularidade e fragmentação do ritmo repouso-atividade nos idosos frágeis [(ISm=0,32±0,14; p=0,041) (IVm=0,88±0,23; p=0,032), respectivamente]. Dentre as variáveis da qualidade do sono, o escore global do IQSP foi preditor de aumento na carga de fragilidade (β=0,04; p=0,003). E de todas as variáveis do ritmo repouso-atividade, apenas a variabilidade intra-diária (IVm) foi capaz de predizer alterações na fragilidade (β=0,906; p=0,034). Conclusão: A partir dos resultados deste estudo longitudinal, foi observado que má qualidade do sono e fragmentação do ritmo repouso-atividade foram preditores de aumento da carga de fragilidade em idosos institucionalizados, ou seja, o componente homeostático foi o principal influenciador do declínio progressivo do desempenho funcional, concernente ao status de fragilidade. Salienta-se que os marcadores do ritmo repouso-atividade e da qualidade do sono podem constituir uma nova ferramenta para o monitoramento do estado de saúde e doença em idosos institucionalizados.
Abstract: Introduction: Aging is one of the phenomena that affect the regulation of the sleep-wake cycle (SWC) and its components, the circadian and homeostatic. Disorders in the SWC regulation are related to an important health status indicator in the elderly population, the functional performance, whose progressive decline is known to be a usual Frailty Syndrome characteristic. Both pathological entities largely affect the institutionalized elderly, who are at greater risk of developing a faster deterioration process. Aim: Evaluate the influence of two sleep components, the homeostatic and circadian, on functional performance among institutionalized elderly. Materials and methods: Longitudinal study that lasted 24 months, with three evaluation procedures, conducted with 133 elderly people living in fourteen long-term institutions in the State of Paraíba, Brazil. The Pittsburgh Sleep Quality Index (PSQI) and actimetry (nonparametric approach) were used, in addition to specific questionnaires and tests to access variables in general health and functional performance (frailty phenotype). Descriptive statistics were used for sample characterization, with distribution measures for all variables. Then, bivariate analyzes were performed in order to observe associations between the independent and dependent variables, and the Effect-Size was calculated for each variable. Lastly, linear models of mixed effects were developed and adjusted by covariates in order to analyze whether changes in sleep quality (latency, duration, beginning as well as end of sleep, and PSQI score) and rest-activity rhythm (L5, M10, IS60, ISm, IV60 and IVm) would be predictors of frailty burden increase. Results: The sample was characterized by average age of 78.76 (± 7.62) years-old, poor sleep quality, PSQI (7.71 ± 4.38 points), and 47.3% of frail elderly. The frail elderly had worse sleep quality, PSQI = 9.00 (± 4.59), when compared to non-frail, PSQI = 6.42 (± 3.74) (p = 0.001). The elderly with poor sleep quality complaints, prolonged sleep latency, inadequate sleep duration, low habitual sleep efficiency, nocturnal and daytime sleep disorders and/or use of sleeping medication displayed positive criteria for exhaustion, unintentional weight loss, decline in walking speed, grip strength and physical activity. In addition, it was observed a greater irregularity and fragmentation of the rest-activity rhythm among the frail elderly [ISm = 0.32 ± 0.14, p = 0.041) (IVm = 0.88 ± 0.23, p = 0.032), respectively]. Among the sleep quality variables, the PSQI global score was a predictor of frailty burden increase (β = 0.04, p = 0.003). And, of all rest-activity rhythm variables, only the intra-daily variability (IVm) was able to predict changes in frailty (β = 0.906; p = 0.034). Conclusion: Based on this longitudinal study results it was observed that poor sleep quality and rest-activity rhythm fragmentation were predictors of frailty burden increase among institutionalized elderly, that is, the homeostatic component was the main influencer of progressive decline in functional performance, concerning the frailty status. It should be noted that sleep-activity rhythm and sleep quality markers can be a new tool in monitoring the health and disease status in institutionalized elderly.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24672
Appears in Collections:PPGPSICO - Doutorado em Psicobiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PatriciaVidalDeNegreirosNobrega_TESE.pdf3,21 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.