Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25387
Título: A Atenção Básica como cenário de implementação da educação interprofissional em saúde: na perspectiva dos residentes
Autor(es): Costa, Betiane Fernandes da
Palavras-chave: Atenção Primária à Saúde;Estratégia Saúde da Família;Formação profissional;Relações interprofissionais
Data do documento: 1-Fev-2018
Citação: COSTA, Betiane Fernandes da. A Atenção Básica como cenário de implementação da educação interprofissional em saúde: na perspectiva dos residentes. 2018. 64f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino na Saúde) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Resumo: The reality of life and health of people increasingly demands a new logic of training of health professionals, with professionals more able to work in teams to cope with the complexity and dynamicity of needs of people's health. In this context, Interprofessional Education (IPE) is presented as a strategic approach to increase the interaction among Residents of different backgrounds in the practice scenarios, allowing learning among specific areas of training, improving the quality of patient care. The objective of the research is to discuss the potentials and limitations of Family Health Strategy (FHS) as a space for the implementation of IPE based on the perceptions of students of the MRBA and RFMC of the MSMS Conduct IPE training for Residents of MRBA and RFMC; Insert Residents of the MRBA and RFMC Programs in the reality of the production of the health services of the FHS; To know the perceptions of the MRBA and RFMC Programs about the experience of IPE in the FHS. Research of qualitative approach and adopted as design the action research, in that it established a broad interaction between researcher and the phenomenon to be investigated. The present study was carried out in the municipality of Caicó / RN, more specifically in the training scenario and in the work dynamics of the FHS, having as subjects of research Residents of the Program of MRBA and RFMC of MSMS of UFRN, which proposes the implementation of IPE and aims, above all, to multiprofessional care through the dynamics of teamwork, configuring health work as well as space of a training model more coherent with the health needs of the population. The research had three stages: a workshop where IPE principles were discussed; implementation of interprofessional practices in the reality of the production of basic health services and Focus Groups (FG) to explore the experience of the experience of collaborative work. In these phases were adopted as instruments of data collection: narratives, field diaries and a guideline for the FG. It was adopted the technique of analysis of thematic content that presupposes the stages of pre-analysis; exploitation of the material and coding; treatment of the results obtained, inference and interpretation. The first stage was the workshop, in the activity of active methodology, we had our first categorization: Mutual Learning. Regarding the narratives, the data treatment allowed us to construct the following categorizations: Shared Learning, Interprofessional Communication, Efficiency in Problem Solving, Integral Health Care, Valorization of User Participation, and Skills Exchange among Professionals. Subcategories were found as: Flexibility of Professionals, Fragility of Management Support regarding infrastructure and lack of inputs, Reduced Time for interprofessional practices. The second step was the action of the activities in the ESF, there was no data collection. The third stage was accomplished two GF, where it was possible to construct categorizations through the selected excerpts in the Residents' speeches: Shared Learning, Knowledge of Other Professions, Skill Improvement, Mutual Respect, Integral User Care. Subcategories were reported as: Maturity, Reduced Time for Actions. Before the study it was possible to perceive the Residents' performance, making a pillar of health work in the FHT, bringing a complete and resolutive service to the user.
metadata.dc.description.resumo: A realidade de vida e saúde das pessoas demanda cada vez mais uma nova lógica de formação dos profissionais de saúde, com profissionais mais aptos a trabalharem em equipe para o enfrentamento da complexidade e dinamicidade das necessidades de saúde das pessoas. Nesse contexto, a Educação Interprofissional (EIP) se apresenta como abordagem estratégica para que haja maior interação entre Residentes de diferentes formações nos cenários de práticas, permitindo o aprendizado entre áreas específicas de formações, melhorando a qualidade da atenção ao paciente. A pesquisa tem como objetivos: discutir as potências e limitações da Estratégia Saúde da Família (ESF) enquanto espaço de implementação da EIP a partir das percepções dos Residentes da RMPAB e RMFC da EMCM; Realizar oficina de formação em EIP para Residentes da RMPAB e RMFC; Inserir os Residentes dos Programas de RMPAB e RMFC na realidade da produção dos serviços de saúde da ESF; Conhecer as percepções dos Programas de RMPAB e RMFC sobre a vivência da EIP na ESF. Pesquisa de abordagem qualitativa e adotou como desenho a pesquisa ação, na medida em que estabeleceu uma ampla interação entre pesquisador e o fenômeno a ser investigado. O presente estudo foi realizado no município de Caicó/RN, mais especificamente no cenário de formação e na dinâmica de trabalho da ESF, tendo como sujeitos da pesquisa Residentes do Programa de RMPAB e RMFC da EMCM da UFRN, que propõe a implementação da EIP e visa, sobretudo, a atendimentos multiprofissionais, através da dinâmica do trabalho em equipe, configurando o trabalho em saúde também como espaço de um modelo de formação mais coerente com as necessidades de saúde da população. A pesquisa teve três etapas: uma oficina onde foram discutidos os princípios da EIP; implementação de práticas interprofissionais na realidade da produção dos serviços de saúde da atenção básica e Grupos Focais (GF) para explorar a experiência da vivência do trabalho colaborativo. Nessas fases foram adotados como instrumentos de coleta de dados: narrativas, diários de campo e um roteiro norteador para os GF. Foi adotada a técnica de análise de conteúdo temática que pressupõe as etapas de pré-análise; exploração do material e codificação; tratamento dos resultados obtidos, inferência e interpretação. A primeira etapa foi a oficina, na atividade de metodologia ativa, tivemos nossa primeira categorização: Aprendizado Mútuo. Quanto as narrativas o tratamento dos dados nos permitiu construir as seguintes categorizações: Aprendizagem Compartilhada, Comunicação Interprofissional, Eficácia na Resolutividade do Problema, Atenção Integral em Saúde, Valorização da Participação do Usuário, Troca de Habilidades Entre os Profissionais. Subcategorizações foram encontradas como: Flexibilidade dos Profissionais, Fragilidade do Apoio da Gestão quanto a infraestrutura e falta de insumos, Tempo Reduzido para as práticas interprofissionais. A segunda etapa foi realizado a ação das atividades na ESF, não houve coleta de dados. A terceira etapa foi realizado dois GF, onde foi possível construir categorizações através dos trechos selecionados nas falas dos Residentes: Aprendizagem Compartilhada, Conhecimento de Outras Profissões, Melhoria de Habilidade, Respeito Mútuo, Cuidado Integral ao Usuário. Subcategorizações foram relatadas como: Amadurecimento, Tempo Reduzido para as ações. Diante do estudo foi possível perceber a atuação dos Residentes, tornando um pilar do trabalho em saúde na ESF, trazendo um atendimento completo e resolutivo ao usuário.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25387
Aparece nas coleções:MPEENSA - Mestrado Profissional em Ensino na Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
BetianeFernandesDaCosta_DISSERT.pdf793,09 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.