Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26452
Title: Relação entre o perfil psicofisiológico do estresse e o resultado do tratamento de mulheres submetidas a fertilização in vitro
Authors: Bezerra, Nathália Karen Maia
Keywords: Estresse;Cortisol;Ansiedade;Suporte social;Modos de enfretamento de problemas;Fertilização in vitro
Issue Date: 31-Aug-2018
Citation: BEZERRA, Nathália Karen Maia. Relação entre o perfil psicofisiológico do estresse e o resultado do tratamento de mulheres submetidas a fertilização in vitro. 2018. 59f. Dissertação (Mestrado em Psicobiologia) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Portuguese Abstract: A infertilidade vem atingindo um número cada vez maior de mulheres em idade reprodutiva. A probabilidade de concepção por ciclo reprodutor mensal feminino, que é naturalmente baixa, de aproximadamente um quinto, reduz-se ainda mais quando fatores estressores psicossociais e fisiológicos estão associados. Nesse contexto, o uso de modernas tecnologias de reprodução assistida tem viabilizado o alcance da gravidez, porém, estes procedimentos demandam protocolos terapêuticos extensos e invasivos e normalmente requerem um considerável investimento financeiro, gerando assim, grandes expectativas e consequentemente, também, elevados níveis de ansiedade e estresse. Incrementar o sucesso dos tratamentos de reprodução assistida é o maior desafio da atualidade na área. Acredita-se que os fatores psicológicos e fisiológicos associados ao estresse, como o cortisol, modulam direta ou indiretamente o sucesso do tratamento. Assim, esse estudo objetiva investigar uma possível relação entre o perfil psicofisiológico do estresse de mulheres submetidas ao tratamento por fertilização in vitro (FIV) e o sucesso do mesmo. O estudo foi realizado no Centro de Assistida da Maternidade Escola Januário Cicco, vinculado à Universidade Federal do Rio Grande do Norte, e evidenciou que as pacientes que não alcançaram a gravidez (n = 13; 65%) apresentaram um perfil mais ansioso e maior reatividade do cortisol salivar ao despertar comparadas às pacientes que engravidaram (n = 7; 35%). Além disso, observou-se uma correlação direta entre a ansiedade e o estresse psicológico e ambos com uma menor percepção do suporte social. Uma menor percepção do suporte social também foi observado em pacientes com modos de enfretamento de problemas centrados em práticas religiosas e/ou pensamentos fantasiosos. Assim, evidenciase a importância de se buscar uma melhor compreensão de como esses fatores se correlacionam com o sucesso do tratamento por FIV, o que pode e deve facilitar a prática de intervenções efetivas nos serviços de reprodução assistida, a fim de reduzir o estresse e fornecer um ajustamento emocional às pacientes, o que, consequentemente deverá contribuir para melhores índices de gravidez.
Abstract: Infertility is reaching an increasing number of women of reproductive age. The likelihood of conception per female reproductive cycle, which is naturally low, approximately one fifth, is further reduced when psychosocial and physiological stressors are associated. In this context, the use of modern technologies for assisted reproduction has made the pregnancy reachable, but these procedures require extensive and invasive therapeutic protocols and usually require a considerable financial investment, thus generating high expectations and, consequently, high levels of anxiety and stress. Increasing the success of assisted reproduction treatments is the greatest challenge in the area today. It is believed that psychological and physiological factors associated with stress, such as cortisol, directly or indirectly modulate treatment success. Thus, this study aims to investigate a possible relationship between the psychophysiological profile of the stress of women undergoing in vitro fertilization (IVF) treatment and its success. The study was carried out at the Januário Cicco Maternity Care Center, linked to the Federal University of Rio Grande do Norte, and showed that patients who did not reach pregnancy (n = 13) (65%) presented a more anxious and higher profile reactivation of salivary cortisol upon awakening compared to those who became pregnant (n = 7) (35%). In addition, a direct correlation was observed between anxiety and psychological stress and both with a lower perception of social support. A lower perception of social support was also observed in patients with problem-solving modes focusing on religious practices and/or fanciful thoughts. Thus, it is evident the importance of seeking a better understanding of how these factors correlate with the success of IVF treatment, which can and should facilitate the practice of effective interventions in assisted reproduction services in order to reduce stress and provide an emotional adjustment to patients, which should therefore contribute to better pregnancy rates.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26452
Appears in Collections:PPGPSICO - Mestrado em Psicobiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Relaçãoentreperfil_Bezerra_2018.pdf1,51 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.