Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26672
Title: Um pesadelo realizado: ficção e deicídio em Juan Carlos Onetti
Authors: Silva, Silvia Mayara Macedo da
Keywords: Ficção e realidade;Deicídio;Santa Maria
Issue Date: 31-Jul-2018
Citation: SILVA, Silvia Mayara Macedo da. Um pesadelo realizado: ficção e deicídio em Juan Carlos Onetti. 2018. 81f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Portuguese Abstract: Esta pesquisa se propõe a investigar o deicídio, conceito desenvolvido por Vargas Llosa (1971), em três narrativas de Juan Carlos Onetti. A análise do trânsito no eixo realidade-ficção é um dos objetivos deste estudo, já que nas narrativas onettianas pode-se observar o constante movimento de uma linha a outra. Segundo Saer (2000), esse é o principal tema discutido pelo uruguaio em sua literatura. Parte-se da curiosidade de compreender a necessidade das pessoas (no caso, dos personagens) de, cada uma a seu modo, buscar a fuga de sua realidade. Mais do que isso, pretende-se ampliar a noção de deicídio conceituada pelo peruano e aprofundada em 2008 em El viaje a la ficción, observando que não só o romancista é um suplantador do lugar Deus, como todos nós somos em potencial. Dessa forma, faz-se pertinente para subsidiar esta análise uma extensa entrevista somada a algumas considerações de Ricardo Piglia, Crítica y ficción (1986), que se aproxima do pensamento de Vargas Llosa sobre o tema. Verifica-se também neste trabalho que Onetti pratica o deicídio de forma bastante peculiar, quase paradoxa, ao instalar seu demiurgo e nós leitores em um universo fictício – Santa María – que se converte em ruínas tão logo é criado, onde os habitantes, não importa o que desejem ou sonhem, estão fadados ao fracasso. O clima é sempre chuvoso, mas ao meio dia é lei: um sol abrasador observado da janela do consultório de Díaz Grey.
Abstract: The research proposes to investigate deicide, a concept developed by Vargas Llosa (1971), in three narratives by Juan Carlos Onetti. The investigation of movement between the realityfiction axes is one of the objectives of this research, since in the Onetti’narratives can be noted the constant movement from one line to another. According to Saer (2000), this is the main topic discussed by Juan Carlos Onetti in his literature. It starts from the curiosity of understanding what drives people (in this case, the characters), each one, in its way, to seek the escape of the reality. More than that, it intends to broaden the notion of Deicide conceived by Vargas Llosa in 1971, and deeply conceptualized in 2008 in El viaje a la ficción, besides noting that not only is the novelist a supplanter of the place God, as we all are in potential. Thus, an extensive interview with some considerations of Ricardo Piglia, Crítica y ficción (1986) is extremely pertinent to subsidize this analysis that approaches the thought of Vargas Llosa on the subject. Also in this research, can be noted that Onetti practices deicide in a very peculiar, almost paradoxical way, when he places his demiurge and we readers in a fictitious universe – Santa María – place that becomes ruins as soon as it is created, where the inhabitants are doomed to failure, does not matter whatever they desire or dream. The weather is always rainy, but at noon, it is a law: a blazing sun is seen through the window of Díaz Grey's office.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26672
Appears in Collections:PPGEL - Mestrado em Estudos da Linguagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Pesadelorealizadoficção_Silva_2018.pdf1,22 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.