Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/27948
Title: Potencial da espécie vegetal Jatropha molissima (Pohl) Baill. contra os efeitos tóxicos da serpente Bothrops jararaca e do escorpião Tityus serrulatus
Authors: Gomes, Jacyra Antunes dos Santos
Keywords: Bothrops jararaca;Tityus serrulatus;Jatropha mollissima;Atividade antiofídica;Atividade escorpiônica;Alterações sistêmicas;Atividade antioxidante
Issue Date: 27-Jun-2019
Citation: GOMES, Jacyra Antunes dos Santos. Potencial da espécie vegetal Jatropha molissima (Pohl) Baill. contra os efeitos tóxicos da serpente Bothrops jararaca e do escorpião Tityus serrulatus. 2019. 127f. Tese (Doutorado em Ciências Farmacêuticas) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: Os acidentes causados por animais peçonhentos são um grave problema de saúde pública. No Brasil, a maior parte desses acidentes são associados as serpentes do gênero Bothrops e os escorpião do gênero Tityus. Atualmente, a principal forma de tratamento disponível é a soroterapia antiveneno, que apresenta algumas limitações, como ineficiência quanto aos efeitos locais, riscos de reações imunológicas, custo elevado e difícil acesso em algumas regiões. Nesse sentido, a busca por novas alternativas complementares para o tratamento envolvendo animais peçonhentos se faz relevante. Jatropha mollissima (Pohl) Baill., (Euphorbiaceae), popularmente conhecida no Brasil como “pinhão-bravo” apresenta amplo uso popular na medicina tradicional como antiofídica, antiinflamatória, antimicrobiana, cicatrizante e antitérmica. Dada a relevância dos efeitos sistêmicos no envenenamento por B. jararaca e T. serrulatus o objetivo do presente estudo foi avaliar a eficácia inibitória do extrato aquoso das folhas de J. mollissima frente às toxicidades sistêmicas produzidas por essas peçonhas. Foi avaliado in vivo o efeito do extrato de J. mollissima sobre alterações hematológicas, hemostáticas, bioquímica e estresse oxidativo em reposta a peçonha de B. jararaca; e o edema pulmonar, alterações bioquímicas e estresse oxidativo produzidos pela peçonha do T. serrulatus. O extrato reduziu significativo efeito da peçonha sobre o fibrinogênio, plaquetas e tempo de tromboplastina parcial ativada (TTPA), indicando ação do extrato sobre os efeitos hemostáticos da peçonha de B. jararaca. O extrato também inibiu os efeitos da peçonha de B. jararaca sobre a série leucocitária sanguínea, o que indica uma ação anti-inflamatória. O extrato também foi capaz de reduzir significativamente a toxicidade renal, hepática, muscular e pancreática da peçonha de B. jararaca ao reverter os efeitos sobre os níveis séricos de ureia, ácido úrico, alanina aminotransferase (ALT), aspartato aminotransferase (AST), lactato desidrogenase (LDH) e amilase. O extrato inibiu o estresse oxidativo hepático e renal da peçonha de B. jararaca, indicando uma possível ação antioxidante. Além disso, o edema pulmonar induzido pela peçonha de T. serrulatus foi inibido significativamente pelo extrato. A atividade da enzima mieloperoxidase e a expressão das citocinas IL-6 e IL-1β foram reduzidas na presença do extrato, indicando uma ação anti-inflamatória. Houve a redução dos níveis séricos de LDH, creatina quinase (CK), Ureia, creatinina, AST e amilase induzidas pela peçonha de T. serrulatus com o extrato, sugerindo uma inibição de dano hepático, renal e pancreático. O extrato inibiu o estresse oxidativo hepático e renal da peçonha de T. serrulatus, indicando uma possível ação antioxidante. In vitro, J. mollissima foi capaz de inibir a hemólise e a citotoxicidade frente às células MDCK, o que indica uma provável ausência de toxicidade e por fim, apresentou uma significativa atividade antioxidante em diferentes modelos realizados. Dessa forma, conclui-se que o extrato de J. mollissima possui compostos capazes de inibir alterações sistêmicas induzidas por B. jararaca e T. serrulatus o que indica a potencialidade dessa espécie vegetal como fonte de moléculas bioativas contra peçonhas botrópicas e escorpiônica.
Abstract: Accidents caused by venomous animals are a serious public health problem. In Brazil, most accidents are associated with snakes of the genus Bothrops and the scorpion of the genus Tityus. Currently, the main available treatment is the antivenom serum therapy, which has some limitations, such as inability to neutralize local effects, risks of immunological reactions, high cost and difficult access in some regions. In this context, the search for new complementary alternatives to treat venomous animals is relevant. Jatropha mollissima (Pohl) Baill., (Euphorbiaceae), a medicinal plant popularly known in Brazil as "pinhão bravo" is very used in folk medicine as antiophidic and antiinflammatory. Given the relevance of systemic effects of B. jararaca venom and T. serrulatus venom envenoming, the aim of the present work was evaluate the inhibitory efficacy of aqueous extract from leaves of J. mollissima upon systemic effects induced by these venoms. The effect of oral treatment with aqeous extract upon hematological, hemostatic, biochemical alterations and oxidative stress in response to B. jararaca vemom injection was evaluated in mice; and pulmonary edema, biochemical alterations and oxidative stress produced in response to T. serrulatus venom. Extract reduced significantly the effect of venom upon fibrinogen, platelets and activated partial thromboplastin time (APTT), indicating the action of extract upon hemostatic effects of B. jararaca venom. The extract also inhibited B. jararaca venom effects on leukocyte blood series, which indicates benefitial effects upon inflammatory processes. The extract was also able to reduce significantly the renal, hepatic, muscular and pancreatic toxicity of B. jararaca venom, by reverting the effects upon serum levels of urea, uric acid, alanine aminotransferase (ALT), aspartate aminotransferase (AST), lactate dehydrogenase (LDH) and amylase. The extract inhibited the hepatic and renal oxidative stress of B. jararaca venom, indicating a possible antioxidant action. In addition, pulmonary edema induced by T. serrulatus venom was inhibited significantly by extract. Myeloperoxidase and IL-6 and IL-1β cytokines were reduced in the presence of extract, indicating benefitial effects upon inflammatory processes. The extract was also able to reduce significantly the renal, hepatic, muscular and pancreatic toxicity of T. serrulatus venom, by reverting the effects upon serum levels LDH, creatine kinase (CK), urea, creatinine, AST and amylase suggesting an inhibition of hepatic, renal and pancreatic damage. The extract inhibited the hepatic and renal oxidative stress of T. serrulatus venom, indicating a possible antioxidant action. In vitro, J. mollissima was able to inhibit hemolysis and cytotoxicity against MDCK cells, indicating that the absence of toxicity and, finally, the extract showed antioxidant activity in different models. Thus, it is concluded that the extract of J. mollissima posseses compounds able of decresae systemic alterations induced by B. jararaca and T. serrulatus, indicating the potentiality of this vegetal species as a source of bioactive molecules against bothropic and scorpionic venoms.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/27948
Appears in Collections:PPGCF - Doutorado em Ciências Farmacêuticas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Potencialespécievegetal_Gomes_2019.pdf4,29 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.