Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/14323
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMartins, Lúcia de Araújo Ramospt_BR
dc.contributor.authorMuniz, Hiltnar Silvapt_BR
dc.date.accessioned2014-12-17T14:36:16Z-
dc.date.available2009-12-07pt_BR
dc.date.available2014-12-17T14:36:16Z-
dc.date.issued2009-10-19pt_BR
dc.identifier.citationMUNIZ, Hiltnar Silva. O educando com síndrome de down: um estudo sobre a relação entre pais e profissionais na escola regular. 2009. 130 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2009.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14323-
dc.description.abstractThis work makes a documental analise about the relationship between families of Down syndrome students and professionals of who teach them, in order to improve the process of developing teaching-learning, in an inclusive perspective. For this, we use a qualitative approach, because we believe that the object of research is not a passive and neutral knowledge, since it has meanings and relationships whose can be better interpreted and understood by the researcher in a real and active situation. For the development of this research, a bibliographical review was made about the subject, and a case studied in two regular education schools, both of them at the city of Natal/RN, one public and another one particular. We work on these educational institutions with professionals and parents of Down syndrome students. As an instrument of building information we used a semi-structured interview and to analise the results a qualitative method. Crossing the stages, we noticed: the pedagogical coordinators who made up both analyzed schools showed interest about doing an effective work with parents, regardless of Educational Policy Project of each school, predict or not the participation on educational undertaken process; On teachers discourses, reporting the relationship with the family, we realize that one of those teachers try to keep a good relationship with parents, permeated by learning exchanges, guidance and knowledge, in relation to another one, even existing an apparent openness to dialogue, when parents have any suggestions or criticism, that attitude is not always well coming. From the parents interviews, we can emphasize, first of all, that both of them recognize the benefits of inclusion, with regard to socialization - in general from the coexistence with pairs and the process of teaching and learning, as shown in a consistent way. Regarding school meetings with teachers, the studied parents agree about importance of such appointments and try to attend them, besides the other events organized by the school, beyond keeping individual touch with the teacher, when necessary. They are always present, looking for get envolved in everything that happens at school, in order to know better what is being done, listening and may suggest alternatives to improving the educational process. We perceive, from the study undertaken, that although the school inclusion is not an easy process to be built, is something that could be achieved. For this, is necessary that professionals of education and families recognize their functions in the educational process and act jointly on this directioneng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectEscolapor
dc.subjectFamíliapor
dc.subjectProcesso educativopor
dc.subjectInclusãopor
dc.subjectschooleng
dc.subjectfamilyeng
dc.subjecteducational processeng
dc.subjectinclusioneng
dc.titleO educando com síndrome de down: um estudo sobre a relação entre pais e profissionais na escola regularpor
dc.typemasterThesispor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFRNpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Educaçãopor
dc.contributor.authorIDpor
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/3416635386890440por
dc.contributor.advisorIDpor
dc.contributor.advisorLatteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4794794P6por
dc.contributor.referees1Melo, Francisco Ricardo Lins Vieira dept_BR
dc.contributor.referees1IDpor
dc.contributor.referees1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4771207Y4por
dc.contributor.referees2Magalhães, Rita de Cássia Barbosa Paivapt_BR
dc.contributor.referees2IDpor
dc.contributor.referees2Latteshttp://lattes.cnpq.br/0351736925269307por
dc.contributor.referees3Pires, Josépt_BR
dc.contributor.referees3IDpor
dc.contributor.referees3Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4780019E5por
dc.contributor.referees4Silva, Luzia Guacira dos Santospt_BR
dc.contributor.referees4IDpor
dc.contributor.referees4Latteshttp://lattes.cnpq.br/1032425601643160por
dc.description.resumoO presente estudo analisa o relacionamento existente entre a família de educandos que apresentam síndrome de Down e profissionais da instituição de ensino em que estudam, com vistas a contribuir para a melhoria do processo de desenvolvimento e de ensino-aprendizagem, numa perspectiva inclusiva. Para tanto, utilizamos uma abordagem qualitativa, por acreditarmos que o objeto de pesquisa não é um dado passivo e neutro de conhecimento, já que este possui significados e relações que podem ser mais bem interpretados e compreendidos pelo pesquisador numa ocasião ativa e real. Para o desenvolvimento da pesquisa, empreendemos uma revisão bibliográfica sobre o tema e realizamos um estudo de caso em duas escolas da rede regular de ensino, na cidade de Natal/RN, sendo uma de cunho privado e a outra pertencente à rede pública. Trabalhamos nessas instituições de ensino com profissionais e com pais de educandos que apresentam a síndrome de Down. Empregamos como instrumento de construção de informações a entrevista semiestruturada e para a análise dos dados foi utilizado o método qualitativo. Conforme etapas percorridas, constatamos que: as coordenadoras pedagógicas que compunham as duas escolas pesquisadas demonstravam interesse em realizar um trabalho efetivo junto aos pais, independente do Projeto Político Pedagógico de cada escola prever ou não essa participação no processo educacional empreendido; no tocante às falas das professoras, no que se refere à relação com a família, percebemos que embora uma das docentes procure manter um bom relacionamento com os pais, permeado por trocas de saberes, de orientações e conhecimentos, em relação à outra, mesmo existindo uma aparente abertura para o diálogo , quando os pais apresentam alguma sugestão ou crítica, nem sempre essa atitude é bem vista. A partir das entrevistas realizadas com os pais, podemos destacar, primeiramente, que ambos reconhecem os benefícios da inclusão, no que diz respeito à socialização a partir da convivência com os pares em geral e ao processo de ensino e aprendizagem, que se apresenta de forma mais consistente. No tocante às reuniões escolares com os professores, os pais pesquisados concordam sobre a importância desses encontros e buscam comparecer aos mesmos, assim como aos demais eventos promovidos pela escola, além de procurarem ter contato individual com a professora, sempre que necessário. Estão sempre presentes, buscando se envolver em tudo que acontece na escola, com o intuito de conhecer melhor o que está sendo realizado, ouvindo e podendo sugerir alternativas com vistas ao aprimoramento do processo educativo. Percebemos, a partir do estudo empreendido, que, embora a inclusão escolar não seja um processo fácil de ser construído, é algo possível de ser alcançado. Para tanto, é preciso que profissionais da educação e as famílias reconheçam os seus papéis no processo educativo e atuem conjuntamente neste sentidopor
dc.publisher.departmentEducaçãopor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAOpor
Appears in Collections:PPGED - Mestrado em Educação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
HiltnarSM.pdf998,1 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.