Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/14959
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSantos, Enilson Medeiros dospt_BR
dc.contributor.authorMedeiros, Aristófanes Dantas dept_BR
dc.date.accessioned2014-12-17T14:52:52Z-
dc.date.available2009-01-22pt_BR
dc.date.available2014-12-17T14:52:52Z-
dc.date.issued2005-01-05pt_BR
dc.identifier.citationMEDEIROS, Aristófanes Dantas de. Intervenient factors on brazilian port competitiveness: a study of case at the Northeast region. 2005. 153 f. Dissertação (Mestrado em Estratégia; Qualidade; Gestão Ambiental; Gestão da Produção e Operações) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2005.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14959-
dc.description.abstractA competitividade portuária intensificou-se a partir dos anos 1980/90, influenciada pelo aumento no comércio internacional e pelas reformas portuárias que se seguiram. Entre os fatores que a determinam, há alguns que estão acima do poder de atuação de um dado porto, como a concessão de subsídios governamentais em portos de países ou estados concorrentes. Consideram-se três áreas em que um porto pode atuar para modificar sua posição competitiva: infra-estrutura, operações e facilitação ao comércio através do porto. Foi realizada uma pesquisa sobre trinta e oito fatores intervenientes na competitividade dos portos, agrupados em seis conjuntos, relacionados dois a dois às três áreas mencionadas. A pesquisa examinou a relevância dos trinta e oito fatores para a competitividade portuária através de questionários apresentados a sessenta usuários de portos nordestinos com vinculação passada, presente ou potencial pelo porto de Natal. Complementarmente pesquisou a opinião desses usuários sobre a competitividade dos cinco portos inseridos no estudo de caso: Fortaleza (CE), Natal (RN), Pecém (CE), Salvador (BA) e Suape (PE). Os resultados obtidos destacaram a importância conferida pelos usuários à agilidade na liberação aduaneira, a fatores relacionados à utilização de contêineres e ao calado do porto. Os usuários foram consultados entre abril e maio de 2004 e consideraram Pecém (CE) como o porto mais competitivo entre os cincoeng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectPortospor
dc.subjectCompetitividade portuáriapor
dc.subjectEstratégiapor
dc.subjectInfra-estruturapor
dc.subjectPortseng
dc.subjectPort competitivenesseng
dc.subjectStrategyeng
dc.subjectInfrastructureeng
dc.titleFatores intervenientes na competitividade dos portos brasileiros: um estudo de caso no Nordestepor
dc.title.alternativeIntervenient factors on brazilian port competitiveness: a study of case at the Northeast regioneng
dc.typemasterThesispor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFRNpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Engenharia de Produçãopor
dc.contributor.authorIDpor
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/9299974749998728por
dc.contributor.advisorIDpor
dc.contributor.advisorLatteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4781130E8por
dc.contributor.referees1Ramos, Rubens Eugênio Barretopt_BR
dc.contributor.referees1IDpor
dc.contributor.referees1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4784139P6por
dc.description.resumoA competitividade portuária intensificou-se a partir dos anos 1980/90, influenciada pelo aumento no comércio internacional e pelas reformas portuárias que se seguiram. Entre os fatores que a determinam, há alguns que estão acima do poder de atuação de um dado porto, como a concessão de subsídios governamentais em portos de países ou estados concorrentes. Consideram-se três áreas em que um porto pode atuar para modificar sua posição competitiva: infra-estrutura, operações e facilitação ao comércio através do porto. Foi realizada uma pesquisa sobre trinta e oito fatores intervenientes na competitividade dos portos, agrupados em seis conjuntos, relacionados dois a dois às três áreas mencionadas. A pesquisa examinou a relevância dos trinta e oito fatores para a competitividade portuária através de questionários apresentados a sessenta usuários de portos nordestinos com vinculação passada, presente ou potencial pelo porto de Natal. Complementarmente pesquisou a opinião desses usuários sobre a competitividade dos cinco portos inseridos no estudo de caso: Fortaleza (CE), Natal (RN), Pecém (CE), Salvador (BA) e Suape (PE). Os resultados obtidos destacaram a importância conferida pelos usuários à agilidade na liberação aduaneira, a fatores relacionados à utilização de contêineres e ao calado do porto. Os usuários foram consultados entre abril e maio de 2004 e consideraram Pecém (CE) como o porto mais competitivo entre os cincopor
dc.publisher.departmentEstratégia; Qualidade; Gestão Ambiental; Gestão da Produção e Operaçõespor
dc.subject.cnpqCNPQ::ENGENHARIAS::ENGENHARIA DE PRODUCAOpor
Appears in Collections:PPGEP - Mestrado em Engenharia de Produção

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AristofaneDM.pdf896,84 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.