Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/16452
Título: A fundamentação metafísica do Direito na filosofia de Kant
Autor(es): Freire, Leonardo Oliveira
Palavras-chave: Fundamentação metafísica;Direito;Moral;Justiça;Liberdade;Autonomia;Imperativo categórico;Metephysical basis;Law;Moral;Justice;Freedom;Autonomy;Categorical imperative
Data do documento: 25-Out-2007
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Referência: FREIRE, Leonardo Oliveira. A fundamentação metafísica do Direito na filosofia de Kant. 2007. 104 f. Dissertação (Mestrado em Metafísica) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2007.
Resumo: A fundamentação metafísica do direito a que nos propomos a esclarecer na filosofia de Kant assume não somente uma análise de temas jurídicos. Temos uma questão filosófica de fundo a tratar: a justiça é possível? Tal indagação não é o tema do texto, mas o que está pressuposto. A análise kantiana, de certo modo, assume metafisicamente a possibilidade da justiça a partir do conceito de liberdade. Mas, com base na liberdade, demonstra a possibilidade da justiça na ética e no direito. A dissertação é composta por três capítulos. No primeiro capítulo, partindo da reconstrução inicial do conceito de liberdade na Crítica da Razão Pura, descrevemos a construção do conceito cosmológico de liberdade transcendental a partir do terceiro conflito antinômico e de sua solução na Dialética Transcendental. Feito isso, descrevemos o conceito de liberdade no capítulo do Cânon da Razão Pura e discutimos o problema de como compatibilizar liberdade transcendental e liberdade prática. No segundo capítulo, fazemos uma análise da distinção entre a legislação moral e a legislação jurídica das ações humanas partindo da análise da liberdade prática interna (moral) e distinguindo-a da liberdade prática externa (ou jurídica). Nesse contexto, desenvolvemos os pressupostos de uma metafísica do direito, tomando como ponto de partida o conceito de liberdade e o imperativo categórico como princípio da autonomia da vontade, base normativa para a lei universal do direito. No terceiro capítulo, a partir da relação entre ética e direito, reconstruímos o conceito de Direito e esclarecemos o fundamento da legitimidade da coerção a partir do princípio normativo de coexistência das liberdades individuais. Analisamos também os aspectos fundamentais do direito que derivam deste princípio, tal como os conceitos de Contrato Originário, Estado, Lei, Coerção,bem como a proposta kantiana de uma paz universal com base numa legislação internacional. No fim, discutimos o aspecto metafísico presente no fundamento do Direito
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16452
Aparece nas coleções:PPGFIL - Mestrado em Filosofia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LeonardoOF.pdf270.1 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.