Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/16697
Title: Velocidade da marcha como preditor de fragilidade em uma amostra populacional de idosos brasileiros
Authors: Almeida, Magno Jackson Moreno de
Keywords: Envelhecimento;Idoso frágil;Sensibilidade;Especificidade;Elderly;Frail elder;Sensitivity and specificity
Issue Date: 19-Oct-2010
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: ALMEIDA, Magno Jackson Moreno de. Velocidade da marcha como preditor de fragilidade em uma amostra populacional de idosos brasileiros. 2010. 63 f. Dissertação (Mestrado em Movimento e Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
Portuguese Abstract: A velocidade da marcha vem sendo descrita como um indicador preditivo de importantes desfechos adversos em populações idosas. Entre os critérios para a avaliação de fragilidade, a velocidade da marcha tem sido apontada como o preditor de fragilidade mais confiável, prático e de baixo custo. Objetivo: este estudo avalia a capacidade de discriminação da velocidade da marcha na determinação da presença de fragilidade em uma amostra populacional de idosos comunitários brasileiros. Método: Foi realizado um estudo observacional analítico de caráter transversal com uma amostra populacional de 391 idosos comunitários com idade de 65 anos ou mais, de ambos os sexos, da cidade de Santa Cruz-RN. Foi utilizado um questionário multidimensional contendo informações sociodemográgicas e relativas à saúde física e mental. Para avaliação da síndrome de fragilidade, foram considerados: a perda de peso não intencional, fraqueza muscular, auto-relato de exaustão, lentidão na marcha e baixo nível de atividades físicas. A velocidade da marcha foi avaliada a partir do desempenho ao andar uma distância de 8,6 metros livres, excluindo 2 metros para a aceleração e 2 metros para a desaceleração, sendo o tempo final cronometrado para os 4,6m. Foram calculadas a sensibilidade e a especificidade do teste de velocidade da marcha em diferentes pontos de corte do tempo de execução do teste, a partir dos quais foi construída a curva ROC como uma medida de valor preditivo do teste para identificar idosos frágeis. Resultados: A prevalência da fragilidade no município de Santa Cruz\RN, foi de 17.1%. A acurácia da velocidade da marcha ficou em 71% com um ponto de corte de 0,91m/s. Em relação ao sexo, as mulheres apresentaram uma acurácia de 80% com um ponto de corte de 0,77m/s, e os homens uma acurácia de 86% onde o ponto de corte ficou em 0,82m/s (p<0,0001). Conclusão: Nossos achados possuem relevância clínica ao consideramos que, a detecção da presença de fragilidade através do teste de velocidade da marcha pode ser observada em homens e mulheres idosos através de um exame simples, barato e eficiente
Abstract: Gait speed has been described as a predictive indicator of important adverse outcomes in older populations. Among the criteria to evaluate frailty, gait speed has been identified as the most reliable predictor of fragility, practical and low cost. Objective: This study assesses the discriminating capability of gait speed in determining the presence of fragility in the elderly community in northeast of Brazil. Method: We performed an observational analytic study with a transversal character with a sample of 391 community-living elders, aged 65 years or older, of both sexes, in the city of Santa Cruz-RN. Participants were interviewed using a multidimensional questionnaire to obtain sociodemographic information, physical-related and mental health-related information. The unintentional weight loss, muscle weakness, self-reported exhaustion, slow gait and low-physical activity were considered to evaluate the frailty syndrome. Gait velocity was measured as the time taken to walk the middle 4,6 meters of 8,6 meters (excluding 2 meters to warm-up phase and 2 meters to deceleration phase).We calculate the sensitivity and specificity of gait speed test in different cutoff points for the test run time, from which ROC curve was constructed as a measure of test predictive value to identify frail elders. The prevalence of frailty in Santa Cruz-RN was 17.1%. The gait speed test accuracy was 71%when speed is below 0,91m/s. Among women, the gait speed test accuracy was 80%(gait speed below 0.77m/s) and among men, the test accuracy was 86% (gait spend below 0,82%) (p<0,0001).Conclusion: our findings have clinical relevance when we consider that the detection of frailty presence by the gait speed test can be observed in elderly men and women by a simple, cheap and efficient exam
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16697
Appears in Collections:PPGFS - Mestrado em Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MagnoJMA_DISSERT.pdf768,93 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.