Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/16746
Title: Comparação das respostas fisiológicas entre diferentes testes funcionais em obesos
Authors: Cruz, Nicole Soares Oliver
Keywords: Obesidade. Teste de esforço cardiopulmonar. Consumo de oxigênio;Obesity. Cardiopulmonary exercise test. uptake oxygen. incremental test
Issue Date: 29-Nov-2013
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: CRUZ, Nicole Soares Oliver. Comparação das respostas fisiológicas entre diferentes testes funcionais em obesos. 2013. 86 f. Dissertação (Mestrado em Movimento e Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Portuguese Abstract: a obesidade afeta diretamente a capacidade funcional diminuindo a eficiência do sistema cardiovascular e o consumo de oxigênio (VO2). Testes de campo, tais como, Incremental Shuttle Walking Test (ISWT) e Teste de Caminhada de 6 minutos (TC6M) tem sido empregados como alternativa ao Teste de Esforço Cardiopulmonar (TECP), para avaliação funcional de patologias que levam a diminuição da transferência de oxigênio à periferia, entretanto, pouco é conhecido da respostas fisiológicas de variáveis metabólicas e ventilatórias em obesos durante teste incremental de exercício. Objetivo: analisar e comparar as respostas cardiopulmonares, metabólicas (VO2pico-consumo de oxigênio-pico e VCO2-produção de dióxido de carbono) e de esforço percebido nos testes submáximos de esforço (ISWT e TC6M) com o TECP. Materiais e Método: estudo transversal, prospectivo, onde foi avaliada a concordância de dois diferentes testes de campo (TC6M e ISWT) com o TECP. Critérios de Inclusão (IMC > 30Kg/m2; CVF > 80%). Os participantes realizaram avaliação clínica, antropométrica (IMC, IAC-índice de adiposidade corporal, RCQ-relação cintura-quadril, CQ-circunferência quadril, CC-circunferência cintura, CP-circunferência pescoço) e espirométrica (CVF-capacidade vital forçada, VEF1-volume expiratório forçado no 1° segundo, VVM-ventilação voluntária máxima). Obesos realizaram em momentos distintos a sequência de testes (TECP, TC6M e ISWT). Medidas ventilatórias (VE-ventilação por minuto, VE/VO2-equivalente ventilatório de oxigênio, VE/VCO2-equivalente ventilatório de dióxido de carbono, RER-razão de troca gasosa) e metabólicas (VO2 e VCO2) dos gases expirados (breath-by-breath) com sistema de telemetria (Cortex-Biophysik-Metamax3B), além das variáveis de percepção de esforço (fadiga e dispneia-Borg6-20) foram tomadas. Resultados: os participantes eram adultos jovens (39.4+10.1 anos), com altos percentuais de adiposidade corporal (IAC=50.0+10.5%-mulheres; IAC=48.8+16.9%- homens) e IMC=43.5+6.6. Observou-se que IMC e CC justificaram isoladamente 56% e 48% da variância da duração do TECP. Diferenças de VO2ml/kg/min e %VO2 nos obesos foram encontradas apenas entre TECP e TC6M (%VO2 p=0.008 em mulheres e p=0.01 nos homens), sendo os valores de VO2PICO de 18.6+4.0ml/kg/min no TECP; 15.4+2.9 no ISWT e 13.2+2.5 no TC6M. O Bland-Altman evidenciou concordância entre TECP e o ISWT no VO2PICO (3.2ml/kg/min; 95%; IC -3.0 9.4) e no %VO2 (16.4%; 95%; -23.6 56.4). A análise da produção de CO2(l/min) xiv confirmou uma maior produção ao final do TECP (2.3+1.0), seguido do ISWT (1.7+0.7) e TC6M (1.4+0.6), porém com diferenças apenas entre o TECP e TC6M (p<0.01). Conclusão: apesar de considerado um teste de esforço submáximo, o ISWT promove respostas metabólicas e cardiovasculares semelhantes ao TECP na população obesa, sugerindo que o ISWT pode ser uma boa opção para avaliar a capacidade funcional de obesos
Abstract: obesity affects rightly functional capacity diminishing the cardiovascular system efficiency and oxygen uptake (VO2). Field tests, such as, Incremental Shuttle Walking Test (ISWT) and Six Minute Walk Test (6MWT) has been employed as alternative of Cardiopulmonary Exercise Test (CPX), to functional assessing for conditions which transport of oxygen to peripheral is diminished. Nevertheless, the knowing about metabolic variables response in real time and it comparing among different maximal and submaximal tests in obese is absent. Aim: to compare cardiopulmonary, metabolic response during CPX, ISWT and 6MWT and to analyse it influence of adiposity markers in obese. Material e Method: crosssectional, prospective study. Obese included if: (BMI>30Kg/m2; FVC>80%), were assessed as clinical, anthropometric (BMI, body adiposity index-BAI, waist-WC, hip- HC and neck-NC circumferences) and spirometry (forced vital capacity-FVC, Forced expiratory volume-1°second-FEV1, maximal voluntary ventilation-MVV) variables. Obese performed the sequence of tests: CPX, ISWT and 6MWT. Throughout tests was assessed breath-by-breath by telemetry system (Cortex-Biophysik-Metamax3B) variables; oxygen uptake on peak of activity (VO2peak); carbon dioxide production (VCO2); Volume Expiratory (VE); ventilatory equivalents for VO2 (VE/VO2) and CO2 (VE/VCO2); respiratory exchange rate (RER) and perceived effort-Borg6-20). Results: 15 obese (10women) 39.4+10.1years, normal spirometry (%CVF=93.7+9.7) finished all test. They have BMI (43.5+6.6kg/m2) and different as %adiposity (BAI=50.0+10.5% and 48.8+16.9% respectively women and men). Difference of VO2ml/kg/min and %VO2 were finding between CPX (18.6+4.0) and 6MWT (13.2+2.5) but not between ISWT (15.4+2.9). Agreement was found for ISWT and CPX on VO2Peak (3.2ml/kg/min; 95%; IC-3.0 9.4) and %VO2 (16.4%). VCO2(l/min) confirms similarity in production for CPX (2.3+1.0) and ISWT (1.7+0.7) and difference for 6MWT (1.4+0.6). WC explains more the response of CPX and ISWT than other adiposity markers. Adiposity diminishes 3.2% duration of CPX. Conclusion: ISWT promotes similar metabolic and cardiovascular response than CPX in obese. It suggesting that ISWT could be useful and reliable to assess oxygen uptake and functional capacity in obese
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16746
Appears in Collections:PPGFS - Mestrado em Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
NicoleSOC_DISSERT.pdf1,31 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.