Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/16762
Title: Adaptabilidade de híbridos entre Gossypium barbadense E G. hirsutum N contendo o gene cry1Ac
Authors: Sousa, Jair Moisés de
Keywords: Algodão;Adaptabilidade;Transgênicos;Cotton;Fitness;Transgenics
Issue Date: 27-Feb-2009
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SOUSA, Jair Moisés de. Adaptabilidade de híbridos entre Gossypium barbadense E G. hirsutum N contendo o gene cry1Ac. 2009. 65 f. Dissertação (Mestrado em Genética e Biologia Molecular) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2009.
Portuguese Abstract: Espera-se que hibridações entre plantas transgênicas e espécies próximas ocorram sempre que haja simpatria e não existam barreiras de cruzamento, como é o caso, no Brasil, do algodoeiro contendo o gene cry1Ac e a espécie Gossypium barbadense. Os barbadenses vêm sendo mantidos em quintais, e é importante sua preservação como recurso genético. Híbridos foram avaliados para caracteres relacionados com a adaptabilidade, inferindo sobre suas chances de sobrevivência e seleção. Para isto, obtiveram-se plantas F1 e F2 do cruzamento entre um algodoeiro barbadense coletado no estado de Mato Grosso com as cultivares DP404, contendo cry1Ac, e de sua isolinha DP4049. Todos os 37 indivíduos F1 e 122 dentre 170 indivíduos F2 avaliados expressaram cry1Ac, e apresentaram níveis de resistência às lagartas rosada (Pectinophora gossypiella) e curuquerê-doalgodoeiro (Alabama argillacea) equivalentes ao parental transgênicos e superiores a isolinha, barbadense e híbridos que não continham o transgene. Não foram observadas diferenças significativas para a porcentagem de germinação ou quantidade de dias para germinação. O florescimento e abertura do primeiro capulho ocorreram mais cedo nos algodoeiros herbáceos e nos híbridos que nas populações F2 em média; todas as populações apresentaram um número de dias para o florescimento e abertura do primeiro capulho significativamente mais baixo que os barbadenses. As plantas mais altas na maturação eram os barbadenses, e os herbáceos as mais baixas, sendo as populações F1 e F2 intermediárias. O número de sementes por planta foi superior nos híbridos F1 e algodoeiros herbáceos, sendo as populações F2 intermediárias em média, e os barbadenses aqueles que produziram menor número de sementes. A lagarta rosada, principalmente, e também a curuquerê-do-algodoeiro são importantes pragas de G. barbadense, portanto o efeito positivo do transgene pode favorecer a seleção de híbridos contendo o transgene, e deste modo favorecer plantas que contêm genoma de G. hirsutum, em detrimento da pureza do genoma de barbadense. A seleção deve ser influenciada pelos usos da planta: o fato de os híbridos serem mais baixos pode diferenciá-los dos pais barbadenses aos quais a propriedades medicinais são atribuidas; por outro lado, a produção bem maior de capulhos pode favorecer a manutenção dos híbridos quando se visa confecção de pavios ou ornamentação de quintais e jardins
Abstract: Hybrids among transgenic plants and related species are expected to occur if they are sympatric and when there are not crossing barriers; as is the case, in Brazil, of cry1Ac transgenic cotton and Gossypium barbadense. This species has been maintained as dooryard plants, and should be preserved as a genetic resource. Hybrids were evaluated about traits related to fitness, leading to infer about its chances of survivor and selection. A barbadense genotype collected at the state of Mato Grosso was outcrossed to the variety DP 404, containing the gene cry1Ac, and to the isoline DP 404. All the F1 individuals and 122 among 170 F2 individuals expressed the toxin, and presented levels of resistance to pink bollworm (Pectinophora gossypiella) and cotton leafworm (Alabama argillacea) equivalent to the transgenic parent and superior to the isoline, barbadense or non transgenic hybrids. The percentage of germination and number of days to germinate did not differ among genotypes. Anthesis of the first flower and opening of the first cotton boll occurred earlier for herbaceous cotton and F1 hybrids than F2 population in average; all the populations presented a number of days to flower and opening of the first boll smaller then barbadense. The highest plants were barbadenses, and herbaceus the smallest, with F1 and F2 populations presenting intermediary heights. The number of seeds per plants were superior for F1 hybrids an herbaceous cotton, F2 populations were in average intermediary; the barbadense genotype produced the smallest number of seeds per plant. Pink bollworm, mainly, and also cotton leafworm, are important barbadense pests, so the transgene positive effect could favor the selection of hybrids, and hence G. hirsutum genome, against the maintenance of pure G. barbadense genome. The selection may be influenced by the plant uses: the smaller size of hybrids when compared to the barbadense may lead them to be differentiated from these parents to which medicinal properties are attributed; on the other hand, the greater boll production may favor hybrids maintenance with the purpose of producing lamp wicks, or use as an ornamental or swab
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16762
Appears in Collections:PPGGBM - Mestrado em Genética e Biologia Molecular

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JairMS.pdf590,21 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.