Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/16978
Title: Desventuras de Hypolita: luta contra a escravidão ilegal no sertão (Crato e Exu, século XIX)
Authors: Pedroza, Antonia Márcia Nogueira
Keywords: Escravidão. Ação de liberdade. Mulher. Crato. Exu;Slavery. Action of freedom. Woman. Crato. Exu
Issue Date: 30-Aug-2013
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: PEDROZA, Antonia Márcia Nogueira. Desventuras de Hypolita: luta contra a escravidão ilegal no sertão (Crato e Exu, século XIX). 2013. 172 f. Dissertação (Mestrado em História e Espaços) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Portuguese Abstract: Este trabalho analisa a história de Hypolita Maria das Dores, mulata que nasceu livre, foi escravizada e, por meio de uma ação de liberdade, recorreu à justiça para provar a ilegitimidade de seu cativeiro e recuperar a sua liberdade e de seus filhos. Os cenários principais dessa luta social e jurídica são Crato (Ceará) e Exu (Pernambuco), lugares em que ela viveu, no século XIX. O principal objetivo deste trabalho consiste em compreender como se estabeleceram as tensões e alianças que envolveram a luta pela liberdade dentro e fora da instância jurídica, em espaços provinciais diferenciados. Numa abordagem que se insere no campo da história social da escravidão, priorizaremos a narrativa de vida. Nela, Hypolita é tomada como sujeito de sua história, pois enfrenta valores senhoriais e patriarcalistas de uma sociedade escravocrata. O corpus documental que permite tal verticalização investigativa é formado por documentos paroquiais em que examinamos os registros de batismos, casamentos e óbitos; documentos cartoriais em que analisamos inventários post mortem, petições e ofícios; relatórios dos presidentes de província e, finalmente, as informações jornalísticas d O Araripe e d O Cearense. A investigação do caso permitiu a compreensão de como, em espaço e tempo específicos, a liberdade foi entendida, usurpada e reivindicada por vários sujeitos sociais nas tramas dos costumes e da justiça institucionalizada
Abstract: This paper analyses the history of Hypolita Maria das Dores, mulatto woman, free born, was enslaved and, by an act of freedom, appealed to court to prove the illegitimacy of her captivity and regain their freedom and their children. The main scenarios of this social and legal struggle are Crato (Ceará) and Exu (Pernambuco), places where she lived in the 19th century. The main objective of this work is to understand how to set the tensions and alliances involving the struggle for freedom inside and outside justice, in differentiated provincial spaces. An approach that belongs to the field of the social history of slavery, we ll prioritize the narrative of life. In it, Hypolita is taken as the subject of her story, as she faces stately and patriarchal values in a slave society. The documentary corpus that allows such vertical investigative consists of parish registers, we examined the baptisms, marriages and death records; analyzed registry documents of postmortem inventories, petitions and crafts; reports of provincial presidents and, finally, the O Araripe s and O Cearense s journalistic information. The investigation of the case allowed the understanding of how, in space and time specific, freedom was understood, usurped and claimed by various social subjects in the frame of morals and justice institutionalized
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16978
Appears in Collections:PPGH - Mestrado em História

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AntoniaMNP_DISSERT.pdf2.15 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.