Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/17535
Title: Nem tudo que reluz é ouro: oficinas terapêuticas no cenário da Reforma Psiquiátrica
Other Titles: All that glitters is not gold: Therapeutic workshops in the Psychiatric Reform scenario
Authors: Cerqueira, Ariadne Cedraz
Keywords: Oficina terapêutica;Reforma psiquiátrica;CAPS;Desinstitucionalização;Luta antimanicomial;Therapeutic workshops;Psychiatric reform;CAPS;Deinstitutionalization;Anti asylum debate
Issue Date: 22-Sep-2006
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: CERQUEIRA, Ariadne Cedraz. All that glitters is not gold: Therapeutic workshops in the Psychiatric Reform scenario. 2006. 178 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia, Sociedade e Qualidade de Vida) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2006.
Portuguese Abstract: Este trabalho objetivou investigar as oficinas terapêuticas num serviço substitutivo ao hospital psiquiátrico, observando se seu funcionamento condiz ou não com preceitos da Reforma Psiquiátrica. Esta, tendo sido fomentada pela luta antimanicomial e embasada pela desinstitucionalização e pela reabilitação psicossocial, materializou-se com o financiamento e regulamentação de serviços substitutivos ao manicômio. Desde então, novas formas de cuidado se configuram e os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) são um dos principais serviços da nova rede de saúde. Os CAPS são serviços abertos que oferecem uma variada gama de terapêuticas, dentre elas, destacam-se as oficinas terapêuticas: estratégias fundamentais por serem consideradas o baluarte dos novos serviços. A coleta de dados ocorreu num CAPS II, em Natal-RN, onde foram realizadas visitas sistemáticas orientadas pela Análise Institucional, além de entrevistas com os funcionários que se encontravam ligados ao exercício das oficinas. Os dados foram discutidos à luz da Esquizoanálise, revelando que o funcionamento das oficinas traduzem avanços e retrocessos da Reforma. Notou-se que as oficinas eram espaços onde alguns preconceitos eram desconstruídos, auxiliando os usuários no estabelecimento de novas relações consigo, com outros e com o mundo. Entretanto, também foi observado que muitas vezes as oficinas se reduziam a meras estratégias de ocupação do tempo e serviam de veículo de transmissão de valores socialmente legitimados como certos. Percebeu-se que a relação entre profissionais e usuários era hierarquizada e que, por vezes, ambos viam a oficina como uma tarefa a ser cumprida. Da mesma forma, foi notado que os usuários, concomitantemente, mantinham um discurso de interesse pelas oficinas e expressavam que elas eram repetitivas e enfadonhas. Já a equipe técnica mantinha o discurso da luta antimanicomial, mas não conseguia sustentá-lo nas suas práticas cotidianas. Além disso, afora exceções, as oficinas eram espaços que não possibilitam a criação e conservam o serviço fechado em si mesmo
Abstract: The purpose of this study is to discuss the therapeutic workshops function, while questioning if they constitute a mechanism for change of the traditional asylum logic. The Psychiatric Reform was materialized with the financing and regulation of alternative services that substitute the psychiatric hospital. This change was promoted by the anti asylum debate and the deinstitutionalization besides psychosocial rehabilitation paradigms. Mental health care, therefore, acquired a new form and the Centers for Psychosocial Care (CAPS) are considered the main services of the health network presently under construction. They are services that offer a variety of therapeutics and amongst them is the workshop, considered essential for the advancement of the Reform ideas. The study was conducted in a CAPS II in Natal, RN. Systematic visits were made using the Institutional Analysis perspective, futhermore were made interviews with professionals who was related to workshops. In the end, data were then discussed according to Schizoanalysis. Results denot that workshops represents, in the same time, progress and regress of Psychiatric Reform. It was observed that workshops were oftentimes reduced to strategies for the occupation of time, and as a means for the transmission of social values considered correct. The relationship between professionals and the user of the service was hierarchical and both players was seeing the workshop as a task to be met. Although users expressed intreresting about wokshops, was reported that the work was boring. Besides, except for some cases, the therapeutic workshops wasn t helping clients to create other possibilites in theirs life and stops the job inside the mental care service
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/17535
Appears in Collections:PPGPSI - Mestrado em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AriadneC.pdf376,67 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.