Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/22201
Title: A responsabilidade enunciativa em textos de um inquérito policial relacionado a crimes de violência contra a mulher
Authors: Oliveira, Maria do Socorro
Keywords: Análise textual dos discursos;Inquérito policial;Marcas linguísticas;Orientação argumentativa;Responsabilidade enunciativa
Issue Date: 21-Sep-2016
Citation: OLIVEIRA, Maria do Socorro. A responsabilidade enunciativa em textos de um inquérito policial relacionado a crimes de violência contra a mulher. 2016. 190f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Portuguese Abstract: Esta tese tem como objeto de investigação a responsabilidade enunciativa associada ao componente argumentativo em documentos de inquérito policial. Desse modo, é desenvolvida com enfoque na enunciação e nos efeitos argumentativos dos enunciados. As questões que a norteiam são: a) como ocorre a responsabilidade enunciativa em documentos de inquérito policial? b) de que forma se dá a orientação argumentativa em documentos de inquérito policial? Diante das questões apresentadas, o objetivo geral da pesquisa é investigar a responsabilidade enunciativa no inquérito policial. Os objetivos específicos são analisar como ocorre a argumentação em documentos de inquérito policial e estudar o modo como a assunção ou não assunção da responsabilidde enunciativa direciona argumentativamente o leitor para a construção dos sentidos pretendidos nesses documentos. Partimos da hipótese de que, ao assumir a responsabilidade enunciativa ou ponto de vista, o enunciador está fazendo um encaminhamento argumentativo da língua, sendo este direcionado em função de um direcionamento utilizado para atingir um determinado propósito argumentativo, conforme as intenções do enunciador. A pesquisa situa-se no âmbito teórico geral da linguística de texto, especificamente, nos pressupostos da Análise Textual dos Discursos (ATD), proposta por Adam (2011), com ênfase na teoria da enunciação. De acordo com Adam (2011), a noção de responsabilidade enunciativa refere-se aos recursos que o enunciador pode utilizar para apropriar-se da linguagem e assumir o seu ponto de vista ou atribuí-lo a outro. Trata-se de uma das dimensões constitutivas da proposição-enunciado, juntamente com a representação discursiva e o valor ilocucionário. Quanto aos aspectos metodológicos, trata-se de uma pesquisa documental, de base descritiva, numa abordagem qualitativa em que se investiga um corpus constituído de nove inquéritos policiais, originados a partir de denúncias registradas em uma Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher. No que concerne aos procedimentos de análise, aplicamos as oito categorias citadas por Adam (2011), consideradas capazes de marcar o grau de responsabilidade enunciativa de uma proposição, a saber, os índices de pessoas, os dêiticos espaciais e temporais, os tempos verbais, as modalidades, os diferentes tipos de representação da fala, as indicações de quadros mediadores, os fenômenos de modalização autonímica, as indicações de um suporte de percepções e de pensamentos relatados. Os resultados mostram que as marcas linguísticas da responsabilidade enunciativa incidem sobre a orientação argumentativa dos enunciados, uma vez que essas marcas linguísticas estão relacionadas aos pontos de vista de enunciadores que atuam no quadro enunciativo desses documentos, podendo contribuir para indicar uma aproximação ou um distanciamento desses enunciadores de acordo com a orientação argumentativa dos enunciados. Conclui-se que a orientação argumentativa em documentos de inquérito policial pode contribuir para incriminar ou defender o acusado. Esses resultados reforçam, ainda, a relevância do estudo das categorias adotadas para análise, principalmente no que diz respeito aos aspectos composicionais e enunciativos dos documentos que constituem inquérito policial. A análise propicia uma compreensão sistematizada da função das categorias aplicadas nos documentos, remetendo ao seu papel na tradição discursiva desses documentos.
Abstract: The object of this investigaton is the enunciative responsibility in police investigation reports related to violent crimes against women. Enunciative Responsibility (ER) is a category of analysis in Texual Discourse Analysis (TDA), which refers to the resources that enunciators use to appropriate language and take up a point of veiw or attribute one to others (cf. ADAM, 2011). The leading questions for this research are: a) how can ER be described linguistically in police investigation reports; b) in what ways do the linguistic marks of ER direct, argumentatively, meaning making in police reports. Given these questions, the general objective of our research is to analyze the linguistic occurrences that indicate ER in police investigation reports. The specific objectives are: to identify occurrences of ER in police reports; analyze the way assuming ER does or does not argumentatively direct the reader to make meanings intended in these texts. We begin with the hypothesis that, assuming ER or not in the texts related to police investigation reports of violent crimes against women, the enunciators (victim, accused, police department official, presiding officer) argumentatively direct their discourse for eliciting the effects of the intended meanings in these texts: be they to accuse, incriminate or defend. The research is generally characterized as textual linguisitics, specifically from the perspective of the TDA, elaborated by Adam (2011), with an emphasis on Enunciation Theory. The methodology can be characterized as qualitative, descriptive documentary research, which investigates a corpus comprised of one police investigation report, collected at a Special Women’s Division of a Police Department. Analytical procedures include the application of eight categories proposed by Adam (2011), which are considered capable of marking the degree of ER of a proposition, revealing: personal marks, spatial and temporal deitics, the verb tenses, modality, the different types of speech, the indications of mediating frames, the autonimic modalization phenomenon, the indication of supporting perceptions and related thoughts. The results show that the linguistic marks of enunciative responsability occur within the utterances, driving the argument to form meanings from the point of view of the various interlocutors (victims, the accused, witnesses, the presiding officer, the police department official), (not) assuming ER argumentatively directs, in the texts analyzed to incriminate or defend the accused. These results reinforce the relevance of the study of the categories that were adopted for this analysis, mainly with respect to the compositional and enunciative aspects of the texts comprising police investigation reports analyzed. The analysis provided a systematic understanding of the function of the categories applied in the texts, referring to their role in the discursive tradition of texts as belonging to the administrative sphere that circulates in the domains of law enforcement and sentencing.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22201
Appears in Collections:PPGEL - Doutorado em Estudos da Linguagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MariaDoSocorroOliveira_TESE.pdf2.37 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.