Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/22423
Title: Contribuição para a tecnologia de produção de corpos de oclusão do baculovírus spodoptera: análise das proteínas virais e caracterização matemática
Authors: Dantas, Graciana Clecia
Keywords: SfMNPV;Bioinseticida;Baculovírus;Ecdisona;Ginseng brasileiro;Proteoma;SDS-PAGE;Modelagem matemática
Issue Date: 29-May-2015
Citation: DANTAS, Graciana Clecia. Contribuição para a tecnologia de produção de corpos de oclusão do baculovírus spodoptera: análise das proteínas virais e caracterização matemática. 2015. 115f. Tese (Doutorado em Engenharia Química) - Centro de Tecnologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Portuguese Abstract: O uso de agrotóxicos em cultivo agrícola é cada vez maior. Os inseticidas químicos usados na agroindústria causam grandes preocupações como a contaminação ambiental e a falta de seletividade aos organismos. Uma alternativa para esse problema é a utilização de bioinseticidas. Os bioinseticidas são mais seguros que os agrotóxicos comuns e apresentam vantagens como menor toxicidade e alta especificidade. Ademais, podem ser utilizados em menor quantidade, decompõem-se mais rápido e sua utilização associada com os inseticidas sintéticos faz com que o uso de agrotóxicos seja menor, causando baixo impacto ambiental. Em particular, bioinseticidas do tipo baculovírus têm sido apontados como uma opção de substituição a estes inseticidas químicos na agricultura. Neste trabalho, foi realizada a produção in vitro do baculovírus Spodoptera frugiperda nucleopolyhedrovirus e o estudo do seu perfil eletroforético com base nas proteínas virais presentes nos vírus extracelulares deste baculovírus. As partículas de vírus extracelulares obtidas durante a passagem seriada do baculovírus foram analisadas por eletroforese em gel desnaturante e, como esperado, a poliedrina - proteína responsável pela formação do corpo de oclusão - com aproximadamente 30 kDa foi destaque em todas as passagens analisadas. Proteínas na região entre 14,4 e 97 kDa também foram detectadas. A análise do efeito da adição do hormônio β-ecdisona extraído do Ginseng brasileiro e do hormônio ecdisona sintético na produção do baculovírus Spodoptera foi realizada na terceira e quarta passagens em células Sf21, momento em que a formação dos corpos de oclusão foi reduzida. Os resultados mostraram que o hormônio ecdisona não influenciou na produção dos corpos de oclusão na terceira passagem. Porém, na quarta passagem ao se adicionar o hormônio ecdisona, tanto o sintético como o extraído do Ginseng brasileiro, houve um aumento aproximado de duas vezes na formação dos corpos de oclusão quando comparados à produção sem adição de ecdisona. Utilizando este processo de infecção, foi realizada uma modelagem e simulação matemática que representasse o mecanismo de produção do bioinseticida.
Abstract: O uso de agrotóxicos em cultivo agrícola é cada vez maior. Os inseticidas químicos usados na agroindústria causam grandes preocupações como a contaminação ambiental e a falta de seletividade aos organismos. Uma alternativa para esse problema é a utilização de bioinseticidas. Os bioinseticidas são mais seguros que os agrotóxicos comuns e apresentam vantagens como menor toxicidade e alta especificidade. Ademais, podem ser utilizados em menor quantidade, decompõem-se mais rápido e sua utilização associada com os inseticidas sintéticos faz com que o uso de agrotóxicos seja menor, causando baixo impacto ambiental. Em particular, bioinseticidas do tipo baculovírus têm sido apontados como uma opção de substituição a estes inseticidas químicos na agricultura. Neste trabalho, foi realizada a produção in vitro do baculovírus Spodoptera frugiperda nucleopolyhedrovirus e o estudo do seu perfil eletroforético com base nas proteínas virais presentes nos vírus extracelulares deste baculovírus. As partículas de vírus extracelulares obtidas durante a passagem seriada do baculovírus foram analisadas por eletroforese em gel desnaturante e, como esperado, a poliedrina - proteína responsável pela formação do corpo de oclusão - com aproximadamente 30 kDa foi destaque em todas as passagens analisadas. Proteínas na região entre 14,4 e 97 kDa também foram detectadas. A análise do efeito da adição do hormônio β-ecdisona extraído do Ginseng brasileiro e do hormônio ecdisona sintético na produção do baculovírus Spodoptera foi realizada na terceira e quarta passagens em células Sf21, momento em que a formação dos corpos de oclusão foi reduzida. Os resultados mostraram que o hormônio ecdisona não influenciou na produção dos corpos de oclusão na terceira passagem. Porém, na quarta passagem ao se adicionar o hormônio ecdisona, tanto o sintético como o extraído do Ginseng brasileiro, houve um aumento aproximado de duas vezes na formação dos corpos de oclusão quando comparados à produção sem adição de ecdisona. Utilizando este processo de infecção, foi realizada uma modelagem e simulação matemática que representasse o mecanismo de produção do bioinseticida.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22423
Appears in Collections:PPGEQ - Doutorado em Engenharia Química

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
GracianaCleciaDantas_TESE.pdf2.48 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.