Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/22613
Title: Notificações de sífilis gestacional e congênita: uma análise epidemiológica
Other Titles: Notifications of gestational and congenital syphilis: an epidemiological analysis
Authors: Oliveira, Samara Isabela Maia de
Keywords: Sífilis congênita;Transmissão vertical de doença infecciosa;Cuidado pré-natal;Vigilância em saúde pública
Issue Date: 15-Dec-2016
Citation: OLIVEIRA, Samara Isabela Maia de. Notificações de sífilis gestacional e congênita: uma análise epidemiológica. 2016. 78f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Portuguese Abstract: A sífilis é uma doença infecciosa que permanece como um dos principais agravos de notificação a ser enfrentado em âmbito global. No contexto materno-infantil relaciona-se a efeitos deletérios a partir da transmissão vertical e expõe o binômio mãe e filho a riscos como o aborto e a morte perinatal. Desse modo, ações efetivas para o controle da doença devem ser realizadas no pré-natal, em momento oportuno, para garantir a prevenção da forma congênita da doença. Neste sentido, esta pesquisa objetiva analisar as notificações de sífilis gestacional e congênita e os fatores relacionados à transmissão vertical. Trata-se de uma pesquisa de abordagem quantitativa epidemiológica, tipo seccional, de dados secundários, realizado no ano de 2016. A amostra foi composta a partir dos critérios de elegibilidade e totalizou 129 notificações de sífilis em gestantes e 132 notificações para sífilis congênita no período entre junho de 2011 e dezembro de 2015, no Município de Natal/RN. A coleta de dados ocorreu entre os meses de maio a agosto por meio do banco do Sistema de Informação de Agravos de Notificação. Os dados foram analisados pela estatística descritiva e inferencial. Os testes Qui-Quadrado, T-Student e Fisher foram utilizados para verificar as associações entre as variáveis de interesse. A pesquisa recebeu parecer favorável pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, sob o número 1.449.134 e Certificado de Apresentação para Apreciação Ética 53305315.3.0000.5537. No período investigado foi observado um incremento de casos notificados no ano de 2012. O perfil materno registrado aponta mulheres com idade média de 24,78 anos, pardas (70,5%), residentes na zona urbana (95,3%) do Município de Natal. A análise do pré-natal identificou predomínio do diagnóstico materno no terceiro trimestre gestacional (69%) e presença de testes não treponêmicos reagentes em 94,6% das mulheres no momento do parto. No tocante ao tratamento materno, apenas 1,6% destas mulheres foram registradas com esquema de tratamento adequado e 16,3% dos parceiros foram tratados concomitantemente às gestantes. Nos desfechos relativos às crianças, 78,8% foram registradas como assintomáticas, contudo, essa variável apresentou significância estatística quando relacionada à titulação do teste não treponêmico materno e à realização de tratamento antes do parto. Na análise espacial por georreferenciamento, foi identificado o predomínio de casos nos bairros Quintas e Felipe Camarão, ambos assistidos pelo Distrito Sanitário Oeste do município. Os resultados apontam, além disso, para lacunas importantes nos processos de vigilância epidemiológica quanto ao preenchimento das notificações no que versa a informações ignoradas e em branco. A análise da notificação da sífilis gestacional e congênita, possibilitou concluir que a transmissão vertical esteve relacionada a perdas de oportunidades diagnósticas e terapêuticas. A elaboração de estratégias para detecção precoce e adesão ao tratamento da doença devem ser adotadas, tendo em vista o fortalecimento da assistência e a quebra na cadeia da transmissão vertical da sífilis. Ressalta-se a necessidade de qualificação profissional para notificação da doença e ampliação no fornecimento de informações à vigilância epidemiológica, a fim de possibilitar a continuidade da análise ao agravo.
Abstract: Syphilis is an infectious disease that remains as one of the major reporting aggravations to be addressed globally. In the maternal-infant context it is related to deleterious effects from the vertical transmission and exposes the mother-child binomial to risks such as abortion and perinatal death. Thus, effective actions to control the disease must be performed in prenatal care, in a timely manner, to ensure the prevention of the congenital form of the disease. In this sense, this research aims to analyze the reports of gestational and congenital syphilis and the factors related to vertical transmission. This is a cross-sectional, epidemiological, epidemiological approach to secondary data, conducted in 2016. The sample was composed of eligibility criteria and totaled 129 reports of syphilis in pregnant women and 132 reports for congenital syphilis in the period Between June 2011 and December 2015, in the Municipality of Natal / RN. Data collection occurred between May and August through the Database of the Notification of Injury Information System. Data were analyzed by descriptive and inferential statistics. The Chi-square, T-Student, and Fisher tests were used to verify the associations between the variables of interest. The research received a favorable opinion by the Ethics Committee of the Federal University of Rio Grande do Norte under number 1,449,134 and Certificate of Presentation for Ethical Appraisal 53305315.3.0000.5537. In the period under investigation, there was an increase in reported cases in the year 2012. The registered maternal profile indicates women with a mean age of 24.78 years, browns (70.5%), living in the urban area (95.3%) of the Municipality from Natal. The prenatal analysis identified a predominance of maternal diagnosis in the third gestational trimester (69%) and presence of non-treponemal reactive tests in 94.6% of the women at the time of delivery. Regarding maternal treatment, only 1.6% of these women were registered with an adequate treatment regimen and 16.3% of the partners were treated concomitantly with the pregnant women. In the outcomes related to the children, 78.8% were registered as asymptomatic, however, this variable presented statistical significance when related to the titration of the non-treponemal maternal test and to the pre-delivery treatment. In the spatial analysis by geo - referencing, the predominance of cases in Quintas and Felipe Camarão neighborhoods, both assisted by the Sanitary District West of the municipality, was identified. The results point, moreover, to important gaps in the epidemiological surveillance processes regarding the filling of notifications regarding unknown and blank information. The analysis of the notification of gestational and congenital syphilis made it possible to conclude that vertical transmission was related to loss of diagnostic and therapeutic opportunities. The development of strategies for early detection and adherence to treatment of the disease should be adopted, with a view to strengthening care and breaking down the vertical syphilis transmission chain. The need for professional qualification for notification of the disease and extension in the provision of information to epidemiological surveillance is emphasized, in order to allow the continuity of the analysis to the disease.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22613
Appears in Collections:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SamaraIsabelaMaiaDeOliveira_DISSERT.pdf1.74 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.