Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/22869
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCosta, Gabriel Correa-
dc.contributor.authorZurano, Juan Pablo-
dc.date.accessioned2017-05-10T23:28:55Z-
dc.date.available2017-05-10T23:28:55Z-
dc.date.issued2015-02-27-
dc.identifier.citationZURANO, Juan Pablo. Relação entre a divergência de nicho e as características fenotípicas dos canídeos da América do Sul. 2015. 89f. Dissertação (Mestrado em Sistemática e Evolução) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22869-
dc.description.abstractThe ecological opportunities that result from the colonization of new environments can favor the morphological and ecological diversification of species. Canids arrived in South America after the formation of the Panama isthmus and underwent a rapid diversification occupying a great variety of habitats across the continent. We analyzed, in a phylogenetic context, the evolution and divergence of the morphological and ecological characteristics of eight canid species endemic to South America. To this aim, we employed niche modelling and geometric morphometrics. Also, we tested if the morphological characteristics of the species are related to the diversification of the group in different environments across the continent using distance-based phylogenetic regression. We observed that the characteristics of the climatic niche are independent of the time of divergence of the species. We also found that skull shape does not show phylogenetic structuring and is related to climatic gradients and with properties of the trophic niche. Mandibular shape does show phylogenetic signal and is related to gradients in climate and diet. Body size does not display phylogenetic signal and is related to properties of the trophic niche. Our results evidence that the diversification of the South American canids is related to the divergence and occupation of niches across the continent, and that bioclimatic and trophic niche characteristics have influenced phenotypic evolution of the species. This study presents, for the first time, evidences of a possible adaptive radiation of South American canids at a continental scale.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectCanidaept_BR
dc.subjectRadiação continentalpt_BR
dc.subjectMorfometria geométricapt_BR
dc.subjectModelagem de nichopt_BR
dc.subjectKmultpt_BR
dc.subjectD-PGLSpt_BR
dc.titleRelação entre a divergência de nicho e as características fenotípicas dos canídeos da América do Sulpt_BR
dc.typemasterThesispt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFRNpt_BR
dc.publisher.programPROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SISTEMÁTICA E EVOLUÇÃOpt_BR
dc.contributor.advisor-co1Martinez, Pablo Ariel-
dc.contributor.advisor-co1ID01619159490pt_BR
dc.contributor.referees1Fonseca, Carlos Roberto Sorensen Dutra da-
dc.contributor.referees2Pinto, Pedro Cordeiro Estrela de Andrade-
dc.description.resumoA oportunidade ecológica que surge com a colonização de novos ambientes pode favorecer a diversificação morfológica e ecológica das espécies. Os canídeos chegaram no continente sul-americano depois da formação do istmo do Panamá e tiveram uma rápida diversificação, ocupando uma grande variedade de hábitats em todo o continente. Analisamos em um contexto filogenético a evolução e divergência nas características morfológicas e ecológicas de oito espécies de canídeos endêmicos da América do Sul. Para isso utilizamos métodos de morfometria geométrica, modelagem de nicho e métodos comparativos. Ainda, utilizando regressões filogenéticas baseadas em distância, testamos se as características morfológicas das espécies estão relacionada com a radiação do grupo em ambiente diferentes ao longo do continente. Observamos que as diferenças nas características do nicho climático são independentes do tempo de divergência entre as espécies. Ainda, encontramos que a forma do crânio não apresenta uma estruturação filogenética, estando relacionada com gradientes climáticos, e com características do nicho trófico. A forma da mandíbula apresenta sinal filogenético e está relacionada com gradientes climáticos e a dieta. Entretanto, o tamanho corporal não apresenta sinal filogenético e está relacionado com característica do nicho trófico. Nossos resultados evidenciam que a diversificação dos canídeos na América do Sul está relacionada com a divergência e ocupação dos nichos ao longo do continente, e que características bioclimáticas e do nicho trófico tem influenciado a evolução do fenótipo nessas espécies. Este estudo apresenta pela primeira vez evidências de uma possível radiação adaptativa em escala continental dos Canídeos da América do Sul.pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS: SISTEMÁTICA E EVOLUÇÃOpt_BR
Appears in Collections:PPGSE - Mestrado em Sistemática e Evolução

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JuanPabloZurano_DISSERT.pdf2.34 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.