Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/24370
Title: Estudo das propriedades magnéticas e estruturais dos sistemas nanoestruturados de Ni-Cu e haleto CuCl
Other Titles: Study of magnetic and structural properties of Ni-Cu and CuCl halide nanostructured systems
Authors: Barbosa, Suzana Araújo
Keywords: Nanopartículas;Hidreto de níquel;CuCl;Ligas NiCu;Quitosana;Sol-gel
Issue Date: 28-Aug-2017
Citation: BARBOSA, Suzana Araújo. Estudo das propriedades magnéticas e estruturais dos sistemas nanoestruturados de Ni-Cu e haleto CuCl. 2017. 158f. Tese (Doutorado em Física) - Centro de Ciências Exatas e da Terra, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Portuguese Abstract: Neste trabalho apresenta-se um estudo, de cunho experimental, de nanopartículas cristalinas não agregadas e monodispersas de três sistemas a base de Ni e/ou Cu, produzidas a partir do método sol-gel e com o auxílio do polímero quitosana. O primeiro sistema é um nanocompósito com diâmetro médio de 9-27 nm. As amostras contêm principalmente a fase de Ni e as fases α e β do hidreto de níquel (NiH). A fase α-NiH apresentou uma contribuição magnética significativa para T<50 K, e os hidretos mostraram-se quimicamente estáveis ao longo de vários meses. O segundo sistema tem fase única e referente ao semicondutor iônico Cu(I)Cl com partículas esféricas de diâmetro médio de 9 nm. O terceiro sistema consiste na solução sólida de átomos de Ni e Cu, e suas amostras contêm várias fases de ligas de NixCu(1-x) para 0,50<x<0,92, com diâmetros médios na faixa de 11-90 nm. Os resultados de microscopia eletrônica de transmissão sugerem que as fases ricas em Cu estão dispostas nos contornos das partículas, enquanto os centros das mesmas parecem ser ricos em Ni. Nas medidas magnéticas para 300<T<800 K percebeu-se mudanças na magnetização relacionadas com as transições magnéticas das ligas com 75<x<92. Para temperaturas abaixo da transição de Curie (Tc) da liga Ni92Cu8 foi verificado um aumento do sinal magnético devido à fase de Hopkinson. Já para T>Tc foi observada a formação da fase de Griffiths, a qual é devida a clusters de Ni que se encontram dispersos num ambiente rico em Cu. Os parâmetros críticos obtidos para esta fase estão de acordo com a literatura. As análises das curvas de histerese revelam uma constante de anisotropia magnetocristalina efetiva (Keff) maior que a constante K1 do Ni puro e esse resultado foi atribuído a contribuições de anisotropia de superfície. A fase de Griffiths e o valor aumentado de Keff devem ter sua origem nas fases ricas em Cu, na periferia das nanopartículas. Experimentos de aquecimento das amostras em presença de campo magnético AC mostraram taxas de absorção específicas com valores crescentes de acordo com o teor de Ni. A máxima variação de temperatura ocorreu em 200 s, indicando que tais ligas podem ser usadas em hipertermia magnética para o tratamento de cânceres.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24370
Appears in Collections:PPGFIS - Doutorado em Física

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SuzanaAraujoBarbosa_TESE.pdf15.87 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.