Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/25073
Title: Rotação e atividade de estrelas F, G e K observadas pelos satélites CoRoT e Kepler
Authors: Silva, Francys Anthony da
Keywords: Estrelas;Atividade estelar;Rotação;Curvas de Luz;Séries temporais
Issue Date: 1-Dec-2017
Citation: SILVA, Francys Anthony da. Rotação e atividade de estrelas F, G e K observadas pelos satélites CoRoT e Kepler. 2017. 110f. Tese (Doutorado em Física) - Centro de Ciências Exatas e da Terra, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Portuguese Abstract: A questão de quão singular o Sol aparenta ser quando o comparamos com uma classe de estrelas de tipo solar, em termos da sua atividade e rotação, tem sido objeto de uma intensa investigação nas últimas três décadas. Recentemente, os telescópios espaciais CoRoT e Kepler observaram inúmeras estrelas (163 mil estrelas com o CoRoT e 400 mil estrelas com o Kepler) com uma riqueza e precisão sem precedentes, nos dando a oportunidade de estudar a rotação e a variabilidade estelar com base em curvas de luz para milhares de estrelas de tipo solar (tipos F, G e K). As curvas de luz para estas classes de estrelas geralmente mostram flutuações devido à modulação rotacional originadas por características magnéticas (manchas e/ou fáculas) na superfície estelar, como também dependem da intensidade do ciclo magnético. Nesta Tese, apresentamos medidas do período de rotação de inúmeras estrelas que encontram-se na vizinhança solar e que foram observadas pelos satélites CoRoT e Kepler. Os períodos de rotação foram detectados unificando as técnicas de função de autocorrelação, periodograma Lomb-Scargle e wavelet. Neste sentido, identificamos também, um conjunto de estrelas análogas e gêmeas solares da missão Kepler, de onde derivamos seus períodos de rotação e idades com base na girocronologia. Utilizamos um perfil do tipo semi-Lorentziano para modelar o espectro de potência de uma estrela de forma a encontrar um indicador da atividade estelar. Com base na física solar, comparamos a variabilidade temporal da irradiância solar total (TSI) com a variação do período de rotação solar determinado ao longo de um ciclo solar. Utilizamos esta analise na interpretação da variabilidade das curvas de luz dos satélites CoRoT e Kepler, para tentar conectar as estruturas responsáveis pela evolução intrínseca da modulação das curvas de luz, bem como determinar o impacto do ciclo magnético nas medidas do período de rotação das estrelas do tipo F, G e K.
Abstract: The question of how singular the Sun appears to be when compared to a class of solar-like stars in terms of their activity and rotation has been the subject of intense research over the last three decades. Recently, CoRoT and Kepler space telescopes have observed countless stars (163,000 stars with CoRoT and 400,000 stars with Kepler) with unprecedented richness and accuracy, giving us the opportunity to study rotation and stellar variability based on curves of light for thousands of solar-type stars (types F, G and K). Light curves for these classes of stars usually show fluctuations due to rotational modulation caused by magnetic characteristics (starspots and/or faculae) on the stellar surface, but also depend on the intensity of the magnetic cycle. In this thesis, we present measurements of the period of rotation of numerous stars that are in the solar neighbourhood and that were observed by CoRoT and Kepler satellites. The rotation periods were detected by unifying the autocorrelation function, Lomb-Scargle periodogram and wavelet. In this sense, we also identify a set of analog and twin solar stars of the Kepler mission, from which we derive their rotation periods and ages based on the gyrochronology. We used a semi- Lorentzian-type profile to model the power spectrum of a star in order to find an indicator of stellar activity. Based on solar physics, we compared the temporal variability of total solar irradiance (TSI) with the variation of the solar rotation period determined over a solar cycle. We used this analysis in the interpretation of the variability of the CoRoT and Kepler light curves to understand the connection between the structures responsible for the intrinsic evolution of the light curve modulation, as well as to determine the impact of the magnetic cycle on the measurements of the rotation period for F, G and K type stars.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25073
Appears in Collections:PPGFIS - Doutorado em Física

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FrancysAnthonyDaSilva_TESE.pdf23,64 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.