Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/12648
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCavalcanti Júnior, Geraldo Barrosopt_BR
dc.contributor.authorAlves, Gabriela Vasconcelos de Andradept_BR
dc.date.accessioned2014-12-17T14:05:22Z-
dc.date.available2014-02-26pt_BR
dc.date.available2014-12-17T14:05:22Z-
dc.date.issued2012-11-01pt_BR
dc.identifier.citationALVES, Gabriela Vasconcelos de Andrade. Flow cytometry immunophemotyping evaluation in acute lymphoblastic leukemia: correlation to factors affecting clinic outcome. 2012. 233 f. Tese (Doutorado em Biotecnologia Industrial; Biotecnologia em Agropecuária; Biotecnologia em Recursos Naturais; Biotecn) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/12648-
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superiorpt_BR
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectLeucemia linfóide aguda. Citometria de fluxo. Imunofenotipagempor
dc.subjectFlow cytometry. Immunophenotyping. Acute lymphoblastic leukemiaeng
dc.titleCaracterização Hematológica e Imunofenotípica em Pacientes com Leucemia Linfoblástica Agudapor
dc.title.alternativeFlow cytometry immunophemotyping evaluation in acute lymphoblastic leukemia: correlation to factors affecting clinic outcomeeng
dc.typedoctoralThesispor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFRNpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Biotecnologiapor
dc.contributor.authorIDCPF:87677571468por
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/1023375603128771por
dc.contributor.advisorIDCPF:10861203453por
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/0091662650633339por
dc.contributor.referees1Rêgo, Amália Cinthia Meneses dopt_BR
dc.contributor.referees1IDCPF:78914450368por
dc.contributor.referees1Latteshttp://lattes.cnpq.br/3240686272929972por
dc.contributor.referees2Cornélio, Déborah Afonsopt_BR
dc.contributor.referees2IDCPF:78057035900por
dc.contributor.referees2Latteshttp://lattes.cnpq.br/7690257454964600por
dc.contributor.referees3Araújo, Ivonete Batista dept_BR
dc.contributor.referees3IDCPF:05614082468por
dc.contributor.referees3Latteshttp://lattes.cnpq.br/3872552451523411por
dc.contributor.referees4Santos, Maria Goretti do Nascimentopt_BR
dc.contributor.referees4IDCPF:03943550400por
dc.contributor.referees4Latteshttp://lattes.cnpq.br/5568548562729051por
dc.description.resumoA Leucemia Linfoblástica Aguda é uma doença de caráter maligno do sistema imune e hematológico caracterizada pelo acúmulo de precursores linfóides neoplásicos B ou T (linfoblastos) na medula óssea e/ou no sangue periférico. O diagnóstico dessas leucemias ocorre pela classificação do aspecto morfológico French-American-British (L1, L2 ou L3) associado às características do perfil imunológico B ou T das células malignas, tendo como base o perfil de expressão dos anticorpos monoclonais direcionados contra os antígenos de diferenciação celular. Vários estudos têm demonstrado que imunofenótipos de células blásticas de casos de Leucemia Linfoblástica Aguda nem sempre exibem características da diferenciação linfóide normal, mas sim exibem imunofenótipos aberrantes. Assim, blastos de alguns casos de Leucemia Linfoblástica Aguda de linhagem B podem apresentar antígenos T ou mielóides. Também blastos de casos de Leucemia Linfoblástica Aguda T podem possuir determinantes de células B ou mielóides. Objetivo: Determinar o perfil imunofenotípico em 192 pacientes com Leucemia Linfoblástica Aguda (B ou T) diagnosticados no Laboratório de Citometria de Fluxo do Hemocentro Dalton Barbosa Cunha - HEMONORTE, com base nos dados clínicos, laboratoriais e na imunofenotipagem pela citometria de fluxo. Metodologia: Todas as amostras de sangue periférico e/ou medula óssea foram submetidas à imunfenotipagem por citometria de fluxo, utilizando um painel de anticorpos monoclonais específico para Leucemias Agudas diretamente conjugado com até três diferentes fluorocromos por tubo: isotiocianato de fluoresceína, do inglês fluorescein isothiocyanate (FITC) e/ou Phicoeritrina (PE) e/ou proteína Piridina de clorofila, do termo em inglês chlorophyl de peridinin protein (PerCP). Resultados: As Leucemias Linfoblásticas Agudas de linhagem B foram as mais predominantes, 84,38%. Observou-se uma discreta predominância dos indivíduos do sexo masculino (56,77%). As crianças foram as mais acometidas pela doença correspondendo a 58,85%. A avaliação dos subtipos morfológicos identificou o L1 com 116 casos (60,42%) como o de maior predominância. Os três subtipos morfológicos French-American-British foram detectados nas Leucemias Linfoblásticas Agudas de linhagem B, sendo os tipos L1 e L2 mais freqüentemente observados nas Leucemia Linfoblástica Aguda Calla+ com 72 e 25 casos, respectivamente. Os níveis de expressão dos antígenos T mostraram principalmente o CD3 (superfície e citoplasmático) com 8,33% e 11,17%, respectivamente. Para os antígenos B observou-se uma maior freqüência de expressão para os antígenos pan B: CD19, sCD22, cCD22 e cCD79a. Detectou-se a presença de fenótipo aberrante em 66 casos. Conclusões: O emprego sistemático dos anticorpos monoclonais e sua aplicação na citometria de fluxo tem se confirmado útil no diagnóstico diferencial das leucemias agudas, em adição ao diagnóstico morfológicopor
dc.publisher.departmentBiotecnologia Industrial; Biotecnologia em Agropecuária; Biotecnologia em Recursos Naturais; Biotecnpor
dc.subject.cnpqCNPQ::ENGENHARIAS::ENGENHARIA BIOMEDICApor
Appears in Collections:PPGBIO - Doutorado em Biotecnologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
GabrielaVAA_TESE.pdf3.77 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.