Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16183
Título: A relação gramatical objeto direto : implicações para o ensino de língua materna
Autor(es): Lucena, Nedja Lima
Palavras-chave: Estrutura argumental;Objeto direto;Protótipo;Ensino de língua;Argument structure;Direct object;Prototype;Language teaching
Data do documento: 9-Jul-2010
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: LUCENA, Nedja Lima. A relação gramatical objeto direto : implicações para o ensino de língua materna. 2010. 163 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada; Literatura Comparada) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
Resumo: This paper attempts to investigate the discourse manifestations of the grammatical relation direct object with respect to the syntactic, semantic and pragmatic properties that underlie this element. The research adopts theoretical orientation of the functionalism from North American and Brazilian schools inspired in Givón (1995, 2001), Hopper and Thompson (1980), Chafe (1979), Furtado da Cunha, Oliveira, Martelotta (2003) inter alia. From functionalism, the research uses principles of iconicity, markedness and informativity and it analize categories of transitivity, grounding and animacy. This research is anchored in prototype model (TAYLOR 1995); construction grammar model (GOLDBERG 1996, 2002). Both theoretical orientations share the view that language is a malleable living organism subject to socio-cultural context. Grammar is then the result of created, maintained, and systematized linguistic patterns developed from and used for language use. According to a functional linguistics and cognitivist linguistics verbs are stored in the speakers lexicon in syntactic-semantic frames which are more frequent. These frames carry information concerning obligatory and optional arguments and the semantic roles these arguments take in the clause. The analysis focuses on the semantic type of the verbs and its relationship with the argument encoded as a direct object observing the aspectual nature of verbs. Direct objects are classified according to their morphology (lexical or pronominal noun phrase), semantic role, informational content and animacy. This study discusses pedagogical implications with relation to how the grammatical concepts touched on this paper are treated in school textbooks. The empirical data come from Corpus Discurso & Gramática: a língua falada e escrita na cidade do Natal (FURTADO DA CUNHA, 1998). This corpus is composed of texts that contain spoken and written modalities. These modalities are in turn organized according to different types: personal narratives, retold narrative, description of preferred place, procedural place, procedural description and report on argumentation. The sample data totals 40 texts produced by four language consultants of the last graduation date. The paper shows that the same syntactic structures (formed through Subject-Verb-Object) correspond to different semantic-pragmatic structures in relation to specific communicative purposes even verb is an event, process or state. The argument structure are not aleatory but are related to experience; that is the way humans conceptualize the world and talk about it
metadata.dc.description.resumo: Este trabalho tem por objetivo investigar as manifestações discursivas da relação gramatical objeto direto, tomando por base os níveis sintático-semântico e discursivo-pragmático que subjazem à manifestação desse elemento. Para isso, a pesquisa é orientada pelo quadro teórico do funcionalismo, na sua vertente norte-americana e brasileira, de inspiração em Givón (1995, 2001), Hopper e Thompson (1980), Chafe (1979), Furtado da Cunha, Oliveira, Martelotta (2003), entre outros. Do ponto de vista dessa corrente teórica, a pesquisa aplica os princípios de iconicidade, marcação e informatividade, e examina as categorias transitividade, plano discursivo e animacidade. A pesquisa se ancora, ainda, na linguística cognitiva, em especial, no modelo dos protótipos (TAYLOR, 1995) e da gramática das construções (GOLDBERG, 1996, 2002). Essas duas correntes teóricas compartilham a visão de que a língua é um organismo vivo e maleável, sujeito às pressões oriundas dos contextos socioculturais. A gramática, por sua vez, é o resultado de padrões linguísticos criados, mantidos e sistematizados no e para o uso da língua. De acordo com a linguística funcional e a linguística cognitiva, os verbos são armazenados no léxico do falante em molduras, ou enquadres sintático-semânticos, que são mais frequentes no uso interacional da língua. Essas molduras trazem informação sobre que argumentos são obrigatórios e quais são opcionais, bem como que papéis semânticos esses argumentos desempenham na oração. A análise prioriza os tipos semânticos de verbo e sua relação com o argumento codificado sintaticamente como objeto direto, observando, ainda, a natureza aspectual dos verbos. Os objetos diretos são classificados quanto à codificação morfológica (Sintagma Nominal lexical ou Sintagma Nominal pronominal), papel semântico, status informacional e animacidade. O trabalho busca estabelecer uma ponte entre teoria linguística e ensino de língua, na medida em que examina os fenômenos relacionados à estrutura argumental e a maneira como esses fenômenos são tratados no âmbito dos livros didáticos escolares. A fonte dos dados empíricos é o Corpus Discurso & Gramática: a língua falada e escrita na cidade do Natal (FURTADO DA CUNHA, 1998), composto por textos na modalidade falada e seus correspondentes na modalidade escrita, que se configuram em diferentes tipos, a saber: narrativa de experiência pessoal, narrativa recontada, descrição de local, relato de procedimento e relato de opinião. As amostras totalizam um conjunto de quarenta textos produzidos por quatro informantes do último período universitário. O trabalho evidencia que uma mesma estrutura sintática (formada por Sujeito Verbo Objeto) corresponde a diferentes estruturas semânticopragmáticas, relacionadas a determinados fins comunicativos, seja o verbo de evento, processo ou estado. Essas estruturas argumentais não são aleatórias, mas estão relacionadas à experiência, isto é, ao modo como os seres humanos apreendem o mundo e falam sobre ele
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/16183
Aparece nas coleções:PPGEL - Mestrado em Estudos da Linguagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
NedjaLL_DISSERT.pdf837,08 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.