Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/17258
Title: O trato retino-hipotalâmico no mocó (Kerodon rupestris): Um estudo de traçado anterógrado com a subunidade b da toxina colérica
Authors: Magalhães, Márcia de Albuquerque Ferreira
Keywords: Retino-hipotalâmico;Mocó;Retinorecipient hypothalamic
Issue Date: 28-Mar-2008
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: MAGALHÃES, Márcia de Albuquerque Ferreira. O trato retino-hipotalâmico no mocó (Kerodon rupestris): Um estudo de traçado anterógrado com a subunidade b da toxina colérica. 2008. 94 f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Comportamento; Psicologia Fisiológica) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2008.
Abstract: The light, besides the vision stimuli, controls other process completely independent of image formation, such as the synchronization of the organismic circadian rhythms to the enviromental light/dark cycle. In mammals, this adjust occurs through the retinohypothalamic tract, a direct retinal projection to the suprachiasmatic nucleus, considered to be the major circadian pacemaker. Early studies have identified only the suprachiasmatic nucleus as a retinal target in the hypothalamus. However, using more sensitive neuroanatomic tracers, other retinorecipient hypothalamic regions outside to suprachiasmatic nucleus were pointed in a great number of mammalian species. In this study, the retinohypothalamic tract was shown in the rock cavy (Kerodon rupestris), an endemic rodent of the semiarid region of the Brazilian Northeast, using unilateral intravitreal injections of cholera toxin subunit b as a neuronal tracer. The results reveal that in the rock cavy, besides the suprachiasmatic nucleus, several hypothalamic regions receive direct retinal projection, such as the ventrolateral preoptic nucleus, medial and lateral preoptic areas, the supraoptic nucleus and bordering areas, anterior, lateral and rectrochiasmatic hypothalamic areas, and the subparaventricular zone. The results are discussed by comparing with those of the literature, into a functional context
Portuguese Abstract: A luz, além de ser o estímulo para a visão, também controla processos que são completamente independentes da formação de imagem, como o ajuste dos ritmos circadianos do organismo ao ciclo claro/escuro ambiental. Em mamíferos, este ajuste ocorre através do trato retino-hipotalâmico, uma projeção direta da retina para o núcleo supraquiasmático, o principal marcapasso circadiano. Os trabalhos pioneiros mostraram a projeção retino-hipotalâmica exclusivamente para o núcleo supraquiasmático. Entretanto, através do uso de traçadores neurais mais sensíveis, outras áreas hipotalâmicas retino-recipientes foram apontadas em um amplo número de espécies de mamíferos. Neste trabalho o trato retino-hipotalâmico no mocó (Kerodon rupestris), um roedor endêmico da caatinga brasileira, foi demonstrado através de injeção intra-ocular unilateral da subunidade b da toxina colérica como traçador neuronal e revelação imuno-histoquímica. Os nossos resultados mostram que, no mocó, além do núcleo supraquiasmático, várias outras áreas hipotalâmicas recebem projeção direta da retina, tais como o núcleo pré-óptico ventrolateral, as áreas pré-ópticas medial e lateral, o núcleo supra-óptico e adjacências, as áreas hipotalâmicas anterior, lateral e retroquiasmática e a zona subparaventricular. Os resultados são discutidos à luz dos dados da literatura, dentro de um contexto funcional
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/17258
Appears in Collections:PPGPSICO - Mestrado em Psicobiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MarciaAFM.pdf1,34 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.