Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/18529
Título: Análises clínica, radiográfica e microscópica de molares permanentes sem ou com lesão de cárie na superfície oclusal
Autor(es): Melo, Marcela Saboia da Escossia
Palavras-chave: Lesão de cárie;Face oclusal;Diagnóstico
Data do documento: 27-Fev-2013
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
metadata.dc.description.resumo: O presente trabalho, objetivou avaliar comparativamente o diagnóstico clínico, radiógráfico e histológico de molares permanentes humanos sem ou com lesão de cárie na superfície oclusa!. Vinte e quatro dentes que estavam armazenados em formalina a 10% foram selecionados e em seguida submetidos a um exame clínico, através da inspeção visual, onde foram separados em 3 grupos: grupo 1 (G1), formado por dentes hígidos; grupo 2(G2), por dentes com pigmento na superfície oclusal e grupo 3(G3), aqueles com lesão de cárie na oclusal. Este exame foi realizado com auxílio de luz artificial proveniente de um refletor odontológico, sem qualquer manipulação da superfície. Para cada dente foram realizados duas tomadas radiográficas com e sem tela milimetrada, no sentido vestibulo lingual por um dos avaliadores, simulando uma radiografia interproximal, onde o feixe incidiu perpendicular ao longo eixo do dente. Em seguida os dentes foram preparados histomorfologicamente para coloração com hematoxilina e eosina e análise microscópica. Pela avaliação dos resultados a partir da amostra de 100%, foi possível concluir: 1) Os dentes clinicamente considerados hígidos (G1) apresentaram radiograficamente 74,99% de ausência de imagem radiolúcida e em 25% presença desta imagem na Junção Amelo¬dentinária e microscopicamente ausência de cárie em 100%; 2) os dentes que clinicamente apresentaram fissura pigmentada' (G2) notou-se em 33,33%, ausência da imagem radiolúcida e em 66,66% presente esta imagem na junção amelodentinária, 100% de ausência de cárie através da análise microscópica; 3) clinicamente, os dentes que apresentaram lesão de cárie (G3), radiograficamente foram comprovados 100% de imagem radiolúcida sugestiva de cárie e microscopicamente dos 100% destas, foram considerados cáries rasa (16,66%), média (61,10%) e profunda (22,22%) respectivamente
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/18529
Aparece nas coleções:PPGCO - Mestrado em Clínicas Odontológicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MarcelaSEM.pdf1,64 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.