Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/18781
Título: Petrologia do plúton granitico serra verde, porção lestre do domínio seridó
Autor(es): Costa, Lindaray Sousa da
Palavras-chave: Petrologia;Dominío Seridó;Plúton granítico;Petrology;Serido belt;Granitic pluton
Data do documento: 19-Jun-2009
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: COSTA, Lindaray Sousa da. Petrologia do plúton granitico serra verde, porção lestre do domínio seridó. 2009. 84 f. Dissertação (Mestrado em Geodinâmica; Geofísica) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2009.
Resumo: The study area is located at the eastern-central portion of the Seridó Belt, on the interface between the Seridó Group Metasediments and the crystalline basement rocks of the Caicó Complex (RN). Petrographic and geochemical data allow us to define aspects related to the genesis and evolution of the Serra Verde Pluton magmas, which composes the goal of this dissertation The Serra Verde Pluton is a stock with outcropping area of about 25 km², which is intrusive into metasedimentary sequence and the basement gneisses. The pluton intrusion is sintectonic to the Brasiliano event, elongated along the NE direction, developing a cornue geometry. The rock is a monzogranite mainly composed by K-feldspar, plagioclase and quartz, which usually compose more than 85% of the modal analisys. The main mafic mineral is the biotite, while amphibole, sphene, epidote, opaque minerals, allanite, zircon and apatite occur as accessory minerals. It features still a latemagmatic paragenesis composed by chlorite, granular epidote, carbonates and muscovite, developed through the percolation of late CO2 and H2O rich fluids. Chemically, the Serra Verde Pluton rocks may be classified as metaluminous, of calc-alkaline affiliation, sometimes showing trondhjemític characteristics, with high Na2O (>4,5%), Sr (>400ppm) and Ba (>800ppm) and low K2O (&#8804;3,0%), MgO (<1,0%), TiO2 (<0,5%), Rb (<90ppm), Y (&#8804;16ppm) and Zr (&#8804;13ppm). Micropetrographic evidences (mineral assembly and microtextures) indicate that the magma evolution occurred in moderated to high fO2 conditions, above the FMQ buffer. Thermo-barometric data obtained by minor elements geochemistry and the CIPW data, suggest a final/minimal pressure crystallization for the Serra Verde Pluton samples of about 3 to 5 kbar, liquidus temperature around 800o C, solidus temperature between 680o and 660o C. This data is compatible with those observed by many authors for the Neoproterozoic granites of the Seridó Belt. The group of analyzed data (Petrographic, microtextural and geochemical), suggests that the dominant process of the generation and evolution of the Serra Verde Granite magma was the fractional crystallization, probably from basement quartz-dioritic and tonalitic orthogneisses source
metadata.dc.description.resumo: A área estudada situa-se na porção centro-leste da Faixa Seridó, na interface dos metassedimentos do Grupo Seridó e as rochas do embasamento cristalino do Complexo Caicó (RN). Dados petrográficos e qeoquímicos permitem definir os aspectos relativos à gênese e evolução do(s) magma(s) do Plúton Serra Verde, que constitui o alvo desta Dissertação de Mestrado. O Plúton Serra Verde constitui um stock com área aflorante de aproximadamente 25 Km2, intrusivo na seqüência metassedimentar e nos gnaisses do embasamento. Este plúton corresponde a uma intrusão sintectônica ao evento brasiliano, alongada na direção NE, com geometria en cornue. Trata-se de um monzogranito cuja assembléia mineral ominante é composta por K-feldspato, plagioclásio e quartzo, que usualmente somam mais de 85% modal. Tem como máfico principal a biotita, enquanto que anfibólio itanita, epídoto, opacos, allanita, zircão e apatita são os acessórios. Apresenta ainda uma paragênese tardi-magmática constiutída de clorita, epídoto granular, carbonato e muscovita, desenvolvida a partir da atuação de fluídos tardios ricos em CO2 e H2O. Quimicamente, as rochas do Plúton Serra Verde podem ser classificadas como metaluminosas, de filiação cálcio-alcalina, por vezes com características de associações trondhjemíticas, com altos teores de Na2O (>4,5%), Sr (>400ppm) e Ba (>800ppm), e baixos teores de K2O (&#8804;3,0%), MgO (<1,0%), TiO2 (<0,5%), Rb (<90ppm), Y (&#8804;16ppm) e Zr (&#8804;13ppm). Evidências micropetrográficas (assembléias minerais e microtexturais) indicam que a evolução do magma ocorreu em condições de fO2 moderadas a elevadas, acima do tampão FMQ. Dados termobarométricos obtidos através da geoquímica de elementos menores, traços e dados normativos CIPW sugerem uma pressão final/mínima de cristalização para as amostras do Plúton Serra Verde em torno de 3 a 5 kbar, temperatura do líquidus em torno de 800°C, e temperatura do solidus em torno 680 a 660°C. Estes dados são compatíveis com os observados por diversos autores em granitóides neoproterozóicos do Domínio Seridó. O conjunto de dados analisados (petrográficos microtexturais e geoquímicos), sugerem ainda que o processo dominante na geração e evolução do magma do granito Serra Verde se deu por cristalização fracionada, sendo ortognaisses quartzo dioríticos a tonalíticos do complexo do embasamento, prováveis candidatos para sua fonte
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/18781
Aparece nas coleções:PPGG - Mestrado em Geodinâmica e Geofísica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LindaraySC.pdf4,16 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.