Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/20569
Título: Políticas governamentais e redistributivismo no Brasil (2001 – 2011)
Autor(es): Santos, Anderson Cristopher dos
Palavras-chave: Classe média;Faixa C;Classe C;Crescimento econômico;Desenvolvimento econômico
Data do documento: 16-Jul-2015
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SANTOS, Anderson Cristopher dos. Políticas governamentais e redistributivismo no Brasil (2001 – 2011). 2015. 140f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: This thesis analyzed the growth of the working class in Brazilian society during the 2000s, identified by the Brazil Economic Classification Criteria as “Classe C” (social class C). The thematic range has been fertile ground for a number of disputes, mainly because of questions as their characteristics, given the fact that this is a socially heterogeneous group, assembled by an economic stratification. We analyze the growth of this “classe C” through relevant official data, as IPEADATA and the National Survey by Household Sampling (PNAD). Mobilize authors and institutions favorable to the classification Criterion Brazil, and institutions and critical at the same authors. We defend the thesis that Brazil experienced a social mobility by a process of social incrementalism. Also, we try to show that the social insertion process can be defined as insertion dependent, where it is necessary new public policies to ensure access to public services for generations and consolidate a process of social inclusion.
metadata.dc.description.resumo: Analisamos o crescimento da classe trabalhadora consumidora na sociedade brasileira durante a década de 2000, entre 2001 e 2011, identificados pelo Critério Brasil de Classificação Econômica como Faixa C. A temática tem sido terreno fértil para uma série de controvérsias, principalmente por causa de questionamentos quanto às suas características, dado o fato de que este é um grupo socialmente heterogêneo, reunido por uma estratificação econômica. Analisaremos o crescimento desta Faixa C através de fontes oficiais pertinentes, como o IPEADATA, a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) e a Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílio (PNAD). Mobilizaremos autores e instituições favoráveis à classificação do Critério Brasil, e as instituições e os autores críticos ao mesmo. Defendemos a tese de que o Brasil experimentou uma ascensão horizontal fruto de um processo de incrementalismo social, não a ponto de serem consideradas classes médias, mas classes trabalhadoras consumidoras. Além disso, procuraremos demonstrar que o processo de inserção social pode ser definido como inserção dependente, em que se faz necessário novas políticas públicas no sentido de garantir o acesso a serviços públicos por gerações e consolidar um processo de inclusão social.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/20569
Aparece nas coleções:PPGCS - Doutorado em Ciências Sociais

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AndersonCristopherDosSantos_TESE.pdf1,28 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.