Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/20959
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorPinto, Leão Pereira-
dc.contributor.authorSerpa, Marianna Sampaio-
dc.date.accessioned2016-07-15T19:53:50Z-
dc.date.available2016-07-15T19:53:50Z-
dc.date.issued2016-02-12-
dc.identifier.citationSERPA, Marianna Sampaio. Expressão imuno-histoquímica do ativador de plasminogênio do tipo uroquinase e seu receptor em carcinoma epidermoide de língua oral e sua relação com parâmetros clínico-patológicos. 2016. 114f. Dissertação (Mestrado em Patologia Oral) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/20959-
dc.description.abstractSquamous cell carcinoma (SCC ) is the most common malignancy of the oral cavity (OSCC), with a high mortality rate. Due to this, the discovery of biomarkers that facilitate the understanding of the biological behavior of the tumor and improve treatment is necessary. Urokinase type plasminogen activator (uPA) and its receptor, uPAR, are responsible for the proteolysis of structures of the basement membrana and extracellular matrix, facilitating tumor invasion. This study aims to assess the immuno expression of these proteins in 46 cases of squamous cell carcinoma of the oral tongue (OTSCC). These results were related to the presence of metastasis, clinical TNM staging, locoregional recurrence, outcome of the lesion and histological grading. Immunostaining of each case was evaluated semiquantitatively, in the front of invasion and center of the tumor, in which scores were assigned: 0 (0% of positive cells), 1 (1-10% of positive cells), 2 (11 -50% positive cells) and 3 (more than 50% positive cells). The expression of uPA was observed in 93.5% (n=43) of the cases in the front of invasion, with predominance of score 2 (n=16; 34.8%) and in 67.9% (n=31) of the cases in the center of the tumor, with predominance of score 1 (n=15; 32.6%). Overall, the immunoexpression of uPA was not associated with clinical parameters. Regarding the malignant histological grading, a higher expression of uPA was observed in cases of high-grade malignancy comp ared to low-grade malignancy (p=0.05). Regarding the morphological parameters, increased expression of uPA was observed in the worst mode of invasion (p=0.03 ). The expression of uPAR was observed in 73.9% of cases in the front of invasion, with a predominance of score 1 (n=21; 45.6 %), and in 47.5% (n=21) of the cases in the center of the tumor, with a predominance of score 0 (n=25; 54.4%). Although no statistical differences were observed in relation to lymph node metastasis, clinical TNM staging, outcome, and histological grading, there was a higher expression of uPAR in cases with locoregional recurrence (p=0.04). Regarding the tumor intra -localization, it was observed an increased expression of uPA and uPAR at the front of invasion in relation to the center of the tumor (p<0.001). Regarding the correlation between uPA and uPAR, there was no statistical sign ificance. Based on these results, it is suggested that uPA and uPAR are involved in the progression of CELO, mainly in the deeper region of the tumor.pt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortept_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectCarcinoma de células escamosaspt_BR
dc.subjectImuno-histoquímicapt_BR
dc.subjectAtivador de plasminogênio tipo uroquinasept_BR
dc.subjectReceptores de ativador de plasminogênio tipo uroquinasept_BR
dc.titleExpressão imuno-histoquímica do ativador de plasminogênio do tipo uroquinase e seu receptor em carcinoma epidermoide de língua oral e sua relação com parâmetros clínico-patológicospt_BR
dc.typemasterThesispt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFRNpt_BR
dc.publisher.programPROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PATOLOGIA ORALpt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/3447129425573253-
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/7040457616034306-
dc.contributor.referees1Monteiro, Bárbara Vanessa de Brito-
dc.contributor.referees1Latteshttp://lattes.cnpq.br/8314906045927707-
dc.contributor.referees2Freitas, Roseana de Almeida-
dc.contributor.referees2Latteshttp://lattes.cnpq.br/9512014003639405-
dc.description.resumoO carcinoma epidermoide oral (CEO) é a neoplasia maligna mais comum da cavidade oral, apresentando uma alta taxa de mortalidade. Devido a isto, a descoberta de biomarcadores que facilitem a compreensão do comportamento biológico desse tumor e aprimorem o tratamento é necessário. O ativador de plasminogênio do tipo uroquinase (uPA) e o seu receptor, uPAR, têm se destacado por atuarem na proteólise de estruturas da membrana basal e matriz extracelular, facilitando a invasão tumoral. O presente estudo se propôs a avaliar a imunoexpressão dessas proteínas em 46 casos de carcinoma epidermoide de língua oral (CELO). Esses resultados foram relacionados com a presença de metástase, estadiamento clínico TNM, recidiva locoregional, desfecho da lesão e gradação histológica de malignidade. A imunomarcação de cada caso foi avaliada semiquantitativamente, tanto no front de invasão como no centro do tumor, na qual foram atribuídos os escores: 0 (0% de células positivas), 1(1-10% de células positivas), 2 (11-50% de células positivas), 3 (mais de 50% de células positivas). A expressão do uPA foi observada em 93,5% dos casos no front de invasão, com predomínio do escore 2 (34,8%), e em 67,9% dos casos no centro do tumor, com predomínio do escore 1 (32,6%). De modo geral, os parâmetros clínicos não exerceram influência na imunoexpressão do uPA. Em relação à gradação histológica, foi observada uma maior expressão de uPA nos casos de alto grau de malignidade em relação aos de baixo grau de malignidade (p=0,05). Quando analisado em relação aos parâmetros morfológicos, foi identificado uma maior expressão do uPA nos casos de pior padrão de invasão (p=0,03). A expressão do uPAR foi observada em 73,9% dos casos no front de invasão, com predomínio do escore 1 (45,65%), e em 47,5% dos casos no centro do tumor, com predomínio do escore 0 (54,35%). Embora não tenham sido observadas significâncias estatísticas em relação à metástase linfonodal, estadiamento clínico TNM, desfecho e gradação histológica, houve uma maior expressão do uPAR nos casos com recidiva locoregional em relação aos sem recidiva (p=0,04). Em relação à análise da localização tumoral, foi observada uma maior expressão de uPA e uPAR no front de invasão em relação ao centro do tumor (p<0,001). Na correlação entre uPA e uPAR, não foi observada significância estatística. Com base nestes resultados, sugere-se que o uPA e uPAR estejam envolvidos na progressão do CELO, atuando principalmente na região mais profunda do tumor.pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDE: PATOLOGIA ORALpt_BR
Aparece nas coleções:PPGPO- Mestrado em Patologia Oral

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MariannaSampaioSerpa_DISSERT.pdf1,77 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.