Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21483
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorCosta, Maria Helena Braga e Vaz da-
dc.contributor.authorGomes Júnior, Gervásio Hermínio-
dc.date.accessioned2016-12-19T18:32:45Z-
dc.date.available2016-12-19T18:32:45Z-
dc.date.issued2016-05-17-
dc.identifier.citationGOMES JÚNIOR, Gervásio Hermínio. Recife cinemática: as paisagens fílmicas em Amarelo Manga e Febre de Rato. 2016. 100f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21483-
dc.description.abstractThe urban landscape is constituted by multiple layers of meaning. Considering it as a text, allows us to access the symbolic content through which the dominant or alternative cultures reproduce their norms, values and worldviews. In this methodological approach the material landscape itself, in all its forms of expression, appears as a text that must be read and interpreted at length. Evidences of the meaning of landscapes are also found within cultural and aesthetic products in the society: in paintings, in literature, in music and in films. The latter play an important role in the structuring of contemporary geographies. Cities, in those cases, do not serve only as mere background, they have become cinematic cities as they gave meaning to cityscapes. Within this context, this study presents a discourse analysis, and an interpretative approach, of the cinematic Recife presented in the films Amarelo Manga (2003) and Febre do Rato (2012), both directed by the Brazilian filmmaker Claudio Assis. This work’s intention is, thus, to reveal the image of Recife through the understanding of its filmic landscapes. It was found that Amarelo Manga and Febre do Rato build a deleted and/or alternative Recife landscape and replicate a contestatory discourse about the city from different formats: on the one hand violence or shocking images that show the landscape degradation from social and historical potions of Recife and its peripheries in Amarelo Manga; and the other, a utopian discourse, allowing for another way to see and experience the city, and the black-and-white photograph that adds a poetic meaning to these same landscapespt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectPaisagempt_BR
dc.subjectSignificadospt_BR
dc.subjectSímbolospt_BR
dc.subjectCidade cinemáticapt_BR
dc.subjectPaisagem cinematográficapt_BR
dc.subjectRecifept_BR
dc.titleRecife cinemática: as paisagens fílmicas em Amarelo Manga e Febre de Ratopt_BR
dc.typemasterThesispt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFRNpt_BR
dc.publisher.programPROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIApt_BR
dc.contributor.referees1Maciel, Caio Augusto Amorim-
dc.contributor.referees2Dantas, Eugênia Maria-
dc.description.resumoA paisagem urbana é constituída por múltiplas camadas de significados. Considerá-la como um texto, nos permite acessar o conteúdo simbólico por meio do qual as culturas, sejam elas dominantes ou alternativas, reproduzem suas normas, valores e concepções de mundo. Nessa abordagem metodológica a própria paisagem material, em todas as suas formas de expressão, configura-se como um texto que tem de ser detalhadamente lido e interpretado. Mas as evidências do significado das paisagens são encontradas também nos produtos culturais e estéticos da sociedade: nas pinturas, na literatura, nas músicas ou em filmes. Esses últimos têm um importante papel na estruturação das geografias contemporâneas. As cidades não servem apenas como mero backgrounds nos filmes, estas tornaram-se cidades cinemáticas, ao aderirem significado às paisagens das grandes cidades. Dentro desse contexto, a presente pesquisa procura analisar por meio da análise do discurso e de uma abordagem interpretativa, a Recife cinemática construída pelos filmes Amarelo Manga (2003) e Febre do Rato (2012), dirigidos pelo cineasta pernambucano Cláudio Assis. O trabalho busca assim ter acesso à imagem de Recife e aos significados expressos por suas paisagens fílmicas.pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIApt_BR
Aparece nas coleções:PPGe - Mestrado em Geografia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
GervasioHerminioGomesJunior_DISSERT.pdf2,81 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.