Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21626
Título: A subversão ideológica no romance Levantado do chão
Autor(es): Ferreira, Bruno da Costa
Palavras-chave: Subversão ideológica;Crítica marxista;Levantado do chão
Data do documento: 28-Jul-2016
Citação: FERREIRA, Bruno da Costa. A subversão ideológica no romance Levantado do chão. 2016. 44f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: This work has as study object the novel Levantado do chão (“Raised from the ground” - English official translation) (1980), by José Saramago (1922-2010), which is demarcated how became known the saramaguiano style. From the Marxist literary criticism, the novel analysis as a literary genre and the novel relationship with the ideological world he inhabits, it is shown that the ideological subversion is present in the narrative not only in the semantic level, but also as a structural element novelistic discourse of José Saramago (form), sharpening the genre as a weapon and humanizing instrument. To introduce the debate on Marxist literary criticism and its theoretical and methodological assumptions are exploited studies of Leon Trotsky, Mikhail Bakhtin, Terry Eagleton, Raymond Williams and Antonio Candido. Delimits the concept of ideology to be explored the theoretical foundation through the readings of Raymond Williams, Marilena Chaui, Alfredo Bosi, Mikhail Bakhtin, Karl Marx and Friedrich Engels. The novel as a literary genre is approached from the perspectives of Mikhail Bakhtin, Georg Lukacs, Theodor Adorno and Julio Cortázar. The saramaguiano novel is located inside the Portuguese literary system from the critical analysis of Carlos Reis.
metadata.dc.description.resumo: Esta dissertação tem como objeto de estudo o romance Levantado do chão (1980), de José Saramago (1922-2010), no qual está demarcado o que ficou conhecido como o estilo saramaguiano. A partir da crítica literária marxista, da análise do romance enquanto gênero literário e da relação do romance com o mundo ideológico que ele habita, demonstra-se que a subversão ideológica está presente na narrativa não apenas no plano semântico, mas também como elemento estruturador do discurso romanesco de José Saramago (forma), aguçando o gênero como arma e instrumento de humanização. Para introduzir o debate sobre a crítica literária marxista e seus pressupostos teórico-metodológicos, são explorados os estudos de Leon Trotski, Mikhail Bakhtin, Terry Eagleton, Raymond Williams e Antonio Candido. Delimita-se o conceito de ideologia a ser explorado na fundamentação teórica através das leituras de Raymond Williams, Marilena Chaui, Alfredo Bosi, Mikhail Bakhtin, Karl Marx e Friedrich Engels. O romance enquanto gênero literário é abordado a partir das perspectivas de Mikhail Bakhtin, Georg Lukács, Theodor Adorno e Julio Cortázar. O romance saramaguiano é localizado no interior do sistema literário português a partir da análise crítica de Carlos Reis.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21626
Aparece nas coleções:PPGEL - Mestrado em Estudos da Linguagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
BrunoDaCostaFerreira_DISSERT.pdf910,29 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.