Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21918
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMaciel, Alvaro Campos Cavalcanti-
dc.contributor.authorCamara, Saionara Maria Aires da-
dc.date.accessioned2017-02-09T15:52:23Z-
dc.date.available2017-02-09T15:52:23Z-
dc.date.issued2015-03-02-
dc.identifier.citationCAMARA, Saionara Maria Aires da. Desempenho físico e composição corporal em mulheres de meia-idade e as relações com a menopausa e história reprodutiva: um estudo transversal baseado na comunidade.. 2015. 138f. Tese (Doutorado em Fisioterapia) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21918-
dc.description.abstractIntrodução: Nas idades mais avançadas, as mulheres apresentam piores resultados de desempenho físico e composição corporal em comparação aos homens, os quais passam se tornar mais evidentes desde a meia-idade. Tanto a menopausa quanto a história reprodutiva são marcos do curso da vida da mulher que podem ter um importante papel sobre essa diferença entre gêneros, uma vez que ambas são relacionadas a condições adversas de saúde. Embora estudos tenham apresentado alguma evidência da relação da menopausa com o desempenho físico e a composição corporal, resultados contraditórios têm sido relatados. A relação entre a história reprodutiva e o desempenho físico tem sido muito pouco investigada. Objetivos: 1) Avaliar a relação entre a menopausa e o desempenho físico em mulheres de meia-idade do nordeste brasileiro; 2) Comparar as medidas de composição corporal entre mulheres de diferentes estágios menopausais; 3) Investigar se há relação entre a história reprodutiva e o desempenho físico entre essas mulheres. Materiais e métodos: Realizou-se um estudo transversal com uma amostra de mulheres com idades entre 40 a 65 anos, residentes no município de Parnamirim-RN. Foram coletados dados sociodemográficos, medidas antropométricas, hábitos de vida, dados sobre história reprodutiva, realização de histerectomia, estágio menopausal por meio do autorrelato do padrão de menstruação, avaliação do desempenho físico (força de preensão manual, velocidade da marcha e teste de levantar-sentar) e avaliação da composição corporal (porcentagem de gordura corporal, de gordura de tronco e de massa livre de gordura) por meio de análise de bioimpedância elétrica. Os diferentes grupos de estágios da menopausa natural (N=389) foram comparados quanto ao desempenho físico e composição corporal por meio de análise de variânica (ANOVA) e teste post hoc de Tukey. As variáveis de desempenho físico também foram comparadas entre os diferentes grupos em relação à história reprodutiva (sem filhos, primeiro filho antes dos 18 anos, aos 18 anos ou mais; menos de 3 filhos ou 3 filhos ou mais) (N=497) por meio de teste t ou ANOVA, com teste post hoc de Tukey. Posteriormente, modelos de regressão linear múltipla foram criados para avaliar o efeito da menopausa sobre o desempenho físico e composição corporal, bem como da história reprodutiva sobre o desempenho físico, ajustados pelas covariáveis. Em todas as etapas foi considerado p<0,05 e intervalos de confiança de 95%. Resultados: As mulheres na pré-menopausa foram significativamente mais fortes e desempenharam melhor o teste de levantar-sentar que as mulheres da peri e pós-menopausa, mas nas análises multivariadas, o estágio menopausal permaneceu estatisticamente significativo apenas para a força de preensão manual. Nas análises ajustadas, as mulheres na pré-menopausa tiveram em média 2,226 Kgf (IC95%: 0,361 - 4,091) mais força que o grupo pós-menopausa. Em relação à composição corporal, foi observado um gradiente entre os estágios menopausais, com as mulheres na pré-menopausa apresentando os melhores valores, seguidas da peri e pós-menopausa. As mulheres na pré-menopausa tiveram em média 2,626% a menos de gordura corporal total, 2,163% a menos de gordura de tronco e 4,091 cm a menos de circunferência de cintura nas análises ajustadas em relação às mulheres na pós-menopausa. A relação entre a porcentagem de massa livre de gordura e a menopausa foi atenuada após o ajuste (p=0,055). Por fim, ao se comparar o desempenho físico em relação à história reprodutiva, observou-se pior desempenho no teste levantar-sentar entre as mulheres que tiveram filho antes dos 18 anos e entre as que tiveram 3 ou mais filhos. Tais relações se mantiveram nos modelos de regressão linear ajustados pelas covariáveis e foram atenuados quando o índice de massa corpórea e a renda familiar foram adicionados ao modelo. Conclusões: A menopausa está relacionada ao desempenho físico e composição corporal, uma vez que as mulheres na pré-menopausa apresentam melhores resultados em relação às demais. A história reprodutiva também se relaciona com o desempenho físico, com piores resultados entre aquelas que tiveram filho antes dos 18 anos e/ou tiveram 3 ou mais filhos. Medidas preventivas e de reabilitação devem ser implementadas ainda na meia-idade para as mulheres, antes mesmo que piores condições tenham se instalado. Além disso, medidas de educação em saúde devem ser priorizadas desde as fases mais precoces da vida para prevenir condições relacionadas aos piores desfechos de saúde nas idades mais avançadas.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectMenopausapt_BR
dc.subjectForça muscularpt_BR
dc.subjectExtremidade inferiorpt_BR
dc.subjectComposição corporalpt_BR
dc.subjectHistória reprodutivapt_BR
dc.subjectEpidemiologiapt_BR
dc.subjectEnvelhecimentopt_BR
dc.titleDesempenho físico e composição corporal em mulheres de meia-idade e as relações com a menopausa e história reprodutiva: um estudo transversal baseado na comunidadept_BR
dc.typedoctoralThesispt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFRNpt_BR
dc.publisher.programPROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIApt_BR
dc.contributor.authorID05324121410pt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/9021377225085393-
dc.contributor.advisorID93261438487pt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/9441132413428495-
dc.contributor.referees1Oliveira, Eliane Araújo de-
dc.contributor.referees1ID27460924415pt_BR
dc.contributor.referees1Latteshttp://lattes.cnpq.br/3538137006950509-
dc.contributor.referees2Micussi, Maria Thereza Albuquerque Barbosa Cabral-
dc.contributor.referees2ID04566613445pt_BR
dc.contributor.referees2Latteshttp://lattes.cnpq.br/2360845979410206-
dc.contributor.referees3Guerra, Ricardo Oliveira-
dc.contributor.referees3ID39643069400pt_BR
dc.contributor.referees3Latteshttp://lattes.cnpq.br/4265185619165890-
dc.contributor.referees4Pereira, Simone Botelho-
dc.contributor.referees4ID00033673632pt_BR
dc.contributor.referees4Latteshttp://lattes.cnpq.br/8381345246301008-
dc.description.resumoIntrodução: Nas idades mais avançadas, as mulheres apresentam piores resultados de desempenho físico e composição corporal em comparação aos homens, os quais passam se tornar mais evidentes desde a meia-idade. Tanto a menopausa quanto a história reprodutiva são marcos do curso da vida da mulher que podem ter um importante papel sobre essa diferença entre gêneros, uma vez que ambas são relacionadas a condições adversas de saúde. Embora estudos tenham apresentado alguma evidência da relação da menopausa com o desempenho físico e a composição corporal, resultados contraditórios têm sido relatados. A relação entre a história reprodutiva e o desempenho físico tem sido muito pouco investigada. Objetivos: 1) Avaliar a relação entre a menopausa e o desempenho físico em mulheres de meia-idade do nordeste brasileiro; 2) Comparar as medidas de composição corporal entre mulheres de diferentes estágios menopausais; 3) Investigar se há relação entre a história reprodutiva e o desempenho físico entre essas mulheres. Materiais e métodos: Realizou-se um estudo transversal com uma amostra de mulheres com idades entre 40 a 65 anos, residentes no município de Parnamirim-RN. Foram coletados dados sociodemográficos, medidas antropométricas, hábitos de vida, dados sobre história reprodutiva, realização de histerectomia, estágio menopausal por meio do autorrelato do padrão de menstruação, avaliação do desempenho físico (força de preensão manual, velocidade da marcha e teste de levantar-sentar) e avaliação da composição corporal (porcentagem de gordura corporal, de gordura de tronco e de massa livre de gordura) por meio de análise de bioimpedância elétrica. Os diferentes grupos de estágios da menopausa natural (N=389) foram comparados quanto ao desempenho físico e composição corporal por meio de análise de variânica (ANOVA) e teste post hoc de Tukey. As variáveis de desempenho físico também foram comparadas entre os diferentes grupos em relação à história reprodutiva (sem filhos, primeiro filho antes dos 18 anos, aos 18 anos ou mais; menos de 3 filhos ou 3 filhos ou mais) (N=497) por meio de teste t ou ANOVA, com teste post hoc de Tukey. Posteriormente, modelos de regressão linear múltipla foram criados para avaliar o efeito da menopausa sobre o desempenho físico e composição corporal, bem como da história reprodutiva sobre o desempenho físico, ajustados pelas covariáveis. Em todas as etapas foi considerado p<0,05 e intervalos de confiança de 95%. Resultados: As mulheres na pré-menopausa foram significativamente mais fortes e desempenharam melhor o teste de levantar-sentar que as mulheres da peri e pós-menopausa, mas nas análises multivariadas, o estágio menopausal permaneceu estatisticamente significativo apenas para a força de preensão manual. Nas análises ajustadas, as mulheres na pré-menopausa tiveram em média 2,226 Kgf (IC95%: 0,361 - 4,091) mais força que o grupo pós-menopausa. Em relação à composição corporal, foi observado um gradiente entre os estágios menopausais, com as mulheres na pré-menopausa apresentando os melhores valores, seguidas da peri e pós-menopausa. As mulheres na pré-menopausa tiveram em média 2,626% a menos de gordura corporal total, 2,163% a menos de gordura de tronco e 4,091 cm a menos de circunferência de cintura nas análises ajustadas em relação às mulheres na pós-menopausa. A relação entre a porcentagem de massa livre de gordura e a menopausa foi atenuada após o ajuste (p=0,055). Por fim, ao se comparar o desempenho físico em relação à história reprodutiva, observou-se pior desempenho no teste levantar-sentar entre as mulheres que tiveram filho antes dos 18 anos e entre as que tiveram 3 ou mais filhos. Tais relações se mantiveram nos modelos de regressão linear ajustados pelas covariáveis e foram atenuados quando o índice de massa corpórea e a renda familiar foram adicionados ao modelo. Conclusões: A menopausa está relacionada ao desempenho físico e composição corporal, uma vez que as mulheres na pré-menopausa apresentam melhores resultados em relação às demais. A história reprodutiva também se relaciona com o desempenho físico, com piores resultados entre aquelas que tiveram filho antes dos 18 anos e/ou tiveram 3 ou mais filhos. Medidas preventivas e de reabilitação devem ser implementadas ainda na meia-idade para as mulheres, antes mesmo que piores condições tenham se instalado. Além disso, medidas de educação em saúde devem ser priorizadas desde as fases mais precoces da vida para prevenir condições relacionadas aos piores desfechos de saúde nas idades mais avançadas.pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONALpt_BR
Appears in Collections:PPGFS - Doutorado em Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SaionaraMariaAiresDaCamara_TESE.pdf2,2 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.