Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22023
Título: Fatores de risco para escoliose em escolares: um estudo casocontrole
Autor(es): Assis, Sanderson José Costa de
Palavras-chave: Escoliose;Fatores de risco;Adolescente
Data do documento: 1-Ago-2016
Citação: ASSIS, Sanderson José Costa de. Fatores de risco para escoliose em escolares: um estudo casocontrole. 2016. 54f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: Introduction. Scoliosis is characterized by three-dimensional, with deviations in the sagittal, coronal, and horizontal planes. School constitute them as a risk group for this deformity by going through the growth spurt phase of growth, coupled with other factors such as sitting for long periods of time, asymmetric straps on school backpacks and/or backpacks overloaded with school supplies, the use of inappropriate footwear, and other factors. Considering the limited literature addressing the risk factors for scoliosis, this study aims to analyze the risk factors for scoliosis in school. Methodology. This is a case-control study in schoolchildren of Santa Cruz a Northeastern city in Brazil. We evaluated the presence of scoliosis, physical activity, competitive sports practice and postural habits. In order to identify factors risk with scoliosis, were estimated odds ratio (OR) and confidence intervals (95%) were estimated by means of conditional multiple logistic regression. A significance level of 5% was used. Results. Seventy-eight pairs participated in the study, totaling 156 students, including 86 girls and the average age of 13.88 years. In conditional logistic regression, physical activity bivariate analysis showed statistical significance (p = 0.041) showing that those who practiced little physical activity (irregularly active) have more risk of having scoliosis when compared with active children (OR: 2.64; 95% CI: 1.18 to 5.89), however when compared with sedentary school there was no statistical significance (p = 0.893). This significance remained in the adjusted model, to be set by competitive sports practice and backpack transport. The other variables were not statistically significant. Conclusions. Low physical activity is presented as a risk factor for scoliosis in school and may indicate a physical activity as a protective factor for scoliosis.
metadata.dc.description.resumo: Introdução: A escoliose é caracterizada por alterações tridimensionais da coluna vertebral, onde se tem uma inclinação lateral no plano frontal, juntamente com rotação contralateral no plano transversal e retificação no plano sagital. Os escolares constituem-se como um grupo de risco para essa deformidade por passarem pela fase de estirão de crescimento, associada a outros fatores como longa permanência da postura sentada, suporte de mochilas escolares de maneira assimétrica e/ou com excesso de peso do material escolar, uso de calçados inapropriados, dentre outros. Considerando a escassa literatura abordando os fatores de risco para a escoliose, este estudo tem por objetivo analisar os fatores de risco para a escoliose em escolares. Metodologia: A pesquisa foi de caráter observacional, do tipo caso-controle, com abordagem quantitativa realizada no município de Santa Cruz/RN. Foi avaliada a presença de escoliose, bem como atividade física, prática esportiva competitiva e hábitos posturais, a fim de identificar fatores de risco para a escoliose. Foi utilizada a regressão logística múltipla condicional e foram estimadas as Odds Ratios (OR) e os respectivos intervalos de confiança (95%) da variável desfecho e adotado um nível de significância de 5%. Resultados: participaram da pesquisa 78 pares, totalizando 156 escolares, sendo 86 meninas e a média de idade de 13,88 anos. Na regressão logística condicional, na análise bivariada a pouca prática de atividade física mostrou-se como fator de risco para a escoliose (p=0,041; OR: 2,81; IC95%: 1,04-7,57), enquanto que as demais variáveis não apresentaram significância estatística. Conclusão: A baixa atividade física apresentou-se como fator de risco para escoliose em escolares, podendo indicar a prática de atividade física como fator protetor para escoliose.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22023
Aparece nas coleções:PPGSCOL - Mestrado em Saúde Coletiva

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
SandersonJoseCostaDeAssis_DISSERT.pdf1,37 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.