Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22876
Título: Aplicação do modelo Network DEA na avaliação de desempenho dos núcleos de inovação tecnológica
Autor(es): Santos, Karita Gomes Bezerra dos
Palavras-chave: Network Data Envelopment Analysis;Eficiência;Núcleo de Inovação Tecnológica e Transferência de Tecnologia.
Data do documento: 8-Mai-2015
Citação: SANTOS, Karita Gomes Bezerra dos. Aplicação do modelo Network DEA na avaliação de desempenho dos núcleos de inovação tecnológica. 2015. 151f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Centro de Tecnologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: Este trabalho tem como objetivo avaliar a eficiência dos Núcleos de Inovação Tecnológica com o uso do modelo Network Data Envelopment Analysis - NDEA. Para realizar esta pesquisa, realizou-se uma survey para obter informações coletadas no âmbito qualitativo e quantitativo em que se constitui uma amostra de 46 Núcleos de Inovação Tecnológica (NIT) no Brasil, em uma escala temporal de cinco anos - 2009 a 2013. Adotou-se o modelo NDEA multiplicativo relacional de dois estágios. O processo de avaliação de eficiência as unidades avaliadas são os NITs filiados ao FORTEC. O modelo é composto por três analises de eficiência: (1) avaliação do processo de P&D - para avaliar captação de recursos para o desenvolvimento e acumulação de tecnologia nos centros de pesquisas; (2) avaliação do processo de comercialização - para avaliar na criação de valor para realizar o processo de comercialização da inovação na difusão da tecnologia; e, (3) avaliação global do processo do Núcleo de Inovação Tecnológica. Esse modelo apresenta uma composição das variáveis de inputs: os números de professores (X1), recursos financeiros (X2) e tempo de atuação dos NITs (X3); os inputs/outputs intermediários são: licenciamento (Z1) e royalties (Z2); e a última etapa, os outputs finais, são patentes comercializadas (Y1) e pedido de patente (Y2). Com o uso desta metodologia, os resultados apontam que os 21,74% dos NITs são eficientes no processo de pesquisa e desenvolvimento; 10,87% são sob o processo de comercialização; e, sob ambas as perspectivas, não há NIT 100% eficiente. A partir desses resultados, esta pesquisa revela que é difícil alcançar um desempenho altamente eficiente em ambas as fases do processo de transferência de tecnologia. Compararam-se, também, os modelos DEA tradicional e NDEA, para evidenciar as características de cada modelo, bem como identificar os resultados obtidos pelo NDEA. Para respaldar essas análises, quatro hipóteses foram avaliadas pelo teste estatístico Kruskal-Wallis e teste F, alcançando os objetivos propostos, fornecendo informações aos gestores da Instituição, a fim de identificar quais são os fatores que melhor poderia ser implementado para alavancar a eficiência do NIT. Conclui-se também que o capital proveniente do Governo não é suficiente para que o NIT atinja necessariamente a eficiência.
metadata.dc.description.resumo: Este trabalho tem como objetivo avaliar a eficiência dos Núcleos de Inovação Tecnológica com o uso do modelo Network Data Envelopment Analysis - NDEA. Para realizar esta pesquisa, realizou-se uma survey para obter informações coletadas no âmbito qualitativo e quantitativo em que se constitui uma amostra de 46 Núcleos de Inovação Tecnológica (NIT) no Brasil, em uma escala temporal de cinco anos - 2009 a 2013. Adotou-se o modelo NDEA multiplicativo relacional de dois estágios. O processo de avaliação de eficiência as unidades avaliadas são os NITs filiados ao FORTEC. O modelo é composto por três analises de eficiência: (1) avaliação do processo de P&D - para avaliar captação de recursos para o desenvolvimento e acumulação de tecnologia nos centros de pesquisas; (2) avaliação do processo de comercialização - para avaliar na criação de valor para realizar o processo de comercialização da inovação na difusão da tecnologia; e, (3) avaliação global do processo do Núcleo de Inovação Tecnológica. Esse modelo apresenta uma composição das variáveis de inputs: os números de professores (X1), recursos financeiros (X2) e tempo de atuação dos NITs (X3); os inputs/outputs intermediários são: licenciamento (Z1) e royalties (Z2); e a última etapa, os outputs finais, são patentes comercializadas (Y1) e pedido de patente (Y2). Com o uso desta metodologia, os resultados apontam que os 21,74% dos NITs são eficientes no processo de pesquisa e desenvolvimento; 10,87% são sob o processo de comercialização; e, sob ambas as perspectivas, não há NIT 100% eficiente. A partir desses resultados, esta pesquisa revela que é difícil alcançar um desempenho altamente eficiente em ambas as fases do processo de transferência de tecnologia. Compararam-se, também, os modelos DEA tradicional e NDEA, para evidenciar as características de cada modelo, bem como identificar os resultados obtidos pelo NDEA. Para respaldar essas análises, quatro hipóteses foram avaliadas pelo teste estatístico Kruskal-Wallis e teste F, alcançando os objetivos propostos, fornecendo informações aos gestores da Instituição, a fim de identificar quais são os fatores que melhor poderia ser implementado para alavancar a eficiência do NIT. Conclui-se também que o capital proveniente do Governo não é suficiente para que o NIT atinja necessariamente a eficiência.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/22876
Aparece nas coleções:PPGEP - Mestrado em Engenharia de Produção

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
KaritaGomesBezerraDosSantos_DISSERT.pdf3,39 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.