Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/23428
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorCastro, Alisson Silva de-
dc.date.accessioned2017-06-07T23:35:12Z-
dc.date.available2017-06-07T23:35:12Z-
dc.date.issued2017-03-03-
dc.identifier.citationCASTRO, Alisson Silva de. Crescimento econômico e emissões de CO2 nos países do BRICS: uma análise de cointegração em painel. 2017. 83f. Dissertação (Mestrado em Economia) - Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/23428-
dc.description.abstractIn recent years, a steady rise in carbon dioxide (CO2) emissions and its own concentration on the atmosphere put the climate change issue at the center of the global political-economic debate. Today, the world's largest emitters of CO2 are the emerging BRICS countries, which show significant economic growth and account for more than 40% of total emissions of this pollutant on the planet (EIA, 2016). In analytical terms, the study of the relationship between economic growth and pollutant emissions has been made based on the Environmental Kuznets Curve (CKA) approach, which implies an shaped relationship of an inverted "U" between pollution and Income In this way, as income reaches a certain level the emissions of pollutants begin to decline, resulting an improvement in environmental quality. In this sense, the general objective of the research is to verify if there is an evidence of CKA hypothesis for the BRICS group of countries using an economic methodology of panel data cointegration. In addition to the GDP per capita variable, three more variables were added to the model: per capita energy consumption, trade flow and a dummy to capture the effects of the Kyoto Protocol on countries' emissions levels. The results of the econometric model indicated an existence of a relationship of an inverted "U" between per capita income and CO2 emissions, with inflection points of US $ 2,033.89 and US $ 2,057.61, respectively, in the FMOLS and DOLS. The per capita consumption of energy showed a positive relation with CO2 emissions, while a relation of the international trade variable was negative. In addition, the coefficient of the dummy variable, which measures the effects of the Kyoto Protocol, was not statistically significant. Thus, it is considered necessary to implement environmental policies in BRICS countries that stimulate economic growth by increasing the share of renewable sources, better energy and transactions that imply a transfer of less polluting technology to these countries. In addition, it is believed that an international agreement to reduce CO2 emissions that also includes developing countries is extremely important to reduce the level of emissions and keep the planet's temperature at a stable level.pt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectEmissões de CO2pt_BR
dc.subjectCurva de Kuznets ambientalpt_BR
dc.subjectBRICSpt_BR
dc.subjectCointegração em painelpt_BR
dc.titleCrescimento econômico e emissões de CO2 nos países do BRICS: uma análise de cointegração em painelpt_BR
dc.typemasterThesispt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFRNpt_BR
dc.publisher.programPROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIApt_BR
dc.contributor.authorID10541499688pt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/8379872210408395-
dc.contributor.advisorID03446605401pt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/8841368848220253-
dc.contributor.advisor-co1Andrade, Daniel Caixeta-
dc.contributor.advisor-co1ID05160969667pt_BR
dc.contributor.advisor-co1Latteshttp://lattes.cnpq.br/4632609286866341-
dc.contributor.referees1Guedes, João Paulo Martins-
dc.contributor.referees1ID00062811339pt_BR
dc.contributor.referees1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1790445746970638-
dc.contributor.referees2Farias, Joedson Jales de-
dc.contributor.referees2ID32276923415pt_BR
dc.contributor.referees2Latteshttp://lattes.cnpq.br/6333927737449186-
dc.description.resumoNos últimos anos, a elevação contínua no volume de emissões de dióxido de carbono (CO2) e sua concentração na atmosfera colocou o tema da mudança climática no centro do debate político-econômico mundial. Atualmente, os maiores emissores de CO2 do mundo são os países emergentes, denominado BRICS, que vêm apresentando um crescimento econômico expressivo e respondendo por mais de 40% das emissões totais deste poluente no planeta (EIA, 2016). Em termos analíticos, o estudo da relação entre crescimento econômico e emissões de poluentes têm sido feito com base na abordagem da Curva de Kuznets Ambiental (CKA), a qual implica a existência de uma relação no formato de um “U” invertido entre poluição e renda. Desta forma, à medida que a renda alcança um determinado patamar as emissões de poluentes começam a declinar, fazendo com que haja uma melhora na qualidade ambiental. Neste sentido, o objetivo geral desta pesquisa foi o de verificar se existe uma CKA para o grupo de países do BRICS utilizando a metodologia econométrica de cointegração em dados em painel. Além da variável PIB per capita, foram adicionadas mais três variáveis ao modelo: consumo per capita de energia, fluxo de comércio e uma dummy para captar os efeitos do Protocolo de Quioto sobre o nível de emissões destes países. Os resultados do modelo econométrico indicaram a existência de uma relação no formato de um “U” invertido entre renda per capita e emissões de CO2, com pontos de inflexões de US$ 2.033,89 e US$ 2.057,61 respectivamente, nos estimadores FMOLS e DOLS. O consumo per capita de energia apresentou uma relação positiva com as emissões de CO2, enquanto a relação da variável de comércio internacional foi negativa. Além disso, o coeficiente da variável dummy não apresentou significância estatística. Assim, julga-se necessário a implementação de políticas ambientais nos países do BRICS que estimulem o crescimento econômico com aumento da participação de fontes renováveis, melhor eficiência energética e transações comerciais que envolvam a transferência de tecnologia menos poluente para estes países. Ademais, acredita-se que um Acordo internacional de redução das emissões de CO2 que recaia também sobre os países em desenvolvimento é de extrema relevância para diminuir o nível de emissões e manter a temperatura do planeta em patamar estável.pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIApt_BR
Appears in Collections:PPGECO - Mestrado em Economia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CrescimentoEconômicoEmissões_Castro_2017.pdf1,29 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.