Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25202
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorPaiva, Ana Karenina de Oliveira-
dc.date.accessioned2018-05-14T20:48:58Z-
dc.date.available2018-05-14T20:48:58Z-
dc.date.issued2018-03-23-
dc.identifier.citationPAIVA, Ana Karenina de Oliveira. Tratamento de superfície por oxidação à plasma eletrolítico para viabilizar o uso de implantes biomédicos: da Telessaúde para o SUS. 2018. 14f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ciência, Tecnologia e Inovação) - Escola de Ciência e Tecnologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25202-
dc.description.abstractBased on the constitutional principles of integrality and equity, it became necessary to enable the incorporation of orthodontic procedures and dental implant by the public health sector. A study carried out by the Ministry of Health verified the reduction in the caries component of 35%, the reduction of this index made possible the introduction of these implants in the Unified Health System (Sistema Único de Saúde - SUS). Despite the implementation for a maximum of 6 implants per patient in dental specialty centers, the cost of surface treatment of implants is still high and impacts on the final price for the industry. In order to solve this problem, the surface treatment method of Plasma Electrolytic Oxidation (PEO) was used. They were treated with 18 cylinders of grade II titanium, 3 mm in diameter and 25 mm in length. The treatment time was 1, 8 and 16 minutes. After the treatments, the samples were characterized by X-Ray Fluorescence (FRX), Optical Microscopy (OM), Scanning Electron Microscopy (SEM) and Spectroscopy of X-rays and Dispersive Energy (ESD). Afterwards, it was made Atomic Force Microscopy (AFM) to characterize the surface texture. The presence of TiO2 on the surface of the sample was identified by X-Ray Fluorescence in this work. It was verified in the SEM that the coatings exhibit a porous characteristic, presenting an interface well adhered and without presence of empty spaces. In the images of the AFM, it was observed that with the increase of the treatment time there was a greater roughness and increase of the homogeneity of the distribution of the ceramic crystals in the surface. In the wettability tests they presented a lower wetting angle for the samples with PEO treatment with time of 1 and 8 minutes. It is concluded that the Plasma Electrolytic Oxidation technique proved to be effective in the deposition of a ceramic coating, improving the quality of the surface reducing the cost of surface treatment, reducing the final value of the implant for implementation in the SUS.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectImplantes biomédicospt_BR
dc.subjectOxidação por plasma eletrolíticopt_BR
dc.subjectTelessaúdept_BR
dc.subjectTitâniopt_BR
dc.subjectTratamento de superfíciespt_BR
dc.titleTratamento de superfície por oxidação à plasma eletrolítico para viabilizar o uso de implantes biomédicos: da Telessaúde para o SUSpt_BR
dc.title.alternativeSurface treatment by plasma electrolytic oxidation to viabilize the use of biomedical implants: from Telessaúde to SUSpt_BR
dc.typemasterThesispt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFRNpt_BR
dc.publisher.programPROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃOpt_BR
dc.contributor.referees1Brandão, Glaucio Bezerra-
dc.contributor.referees2Santos, João Paulo Queiroz dos-
dc.contributor.referees3Valentim, Ricardo Alexsandro de Medeiros-
dc.description.resumoCom base nos princípios constitucionais de integralidade e equidade, tornou-se necessário viabilizar a incorporação dos procedimentos ortodônticos e implante dentário pelo setor público de saúde. Um estudo realizado pelo Ministério da Saúde verificou a redução no componente cariado de 35%, a redução desse índice viabilizou a introdução desses implantes no Sistema Único de Saúde (SUS). Apesar da implementação para no máximo 6 implantes por paciente nos centros de especialidades odontológicas, o custo do tratamento superficial de implantes ainda é elevado e impacta no preço final para indústria. Com o objetivo de resolver esse problema, foi utilizado o método de tratamento de superfície de Oxidação por Plasma Eletrolítico (PEO). Tratou-se 18 cilindros de titânio grau II, com 3 mm de diâmetro e 25 mm de comprimento. O tempo de tratamento utilizado foi de 1, 8 e 16 minutos. A solução eletrolítica estava na temperatura ambiente e a tensão aplicada foi de 290 V. Após os tratamentos, as amostras foram caracterizadas por Fluorescência de Raios-X (FRX), Microscopia Ótica (MO), Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV) e por Espectroscopia de Raios-X e Energia Dispersiva (EDS). Em seguida foi feito Microscopia de Força Atômica (AFM) para caracterização da textura superficial. Identificou-se neste trabalho através das análises químicas pela Fluorescência de Raios-X a presença do TiO2 na superfície da amostra. Verificou-se no MEV que os revestimentos exibem uma característica porosa, apresentando uma interface bem aderida e sem presença de espaços vazios. Nas imagens do AFM observou-se que com o aumento do tempo de tratamento houve uma maior rugosidade e aumento da homogeneidade da distribuição dos cristais cerâmicos na superfície. Nos ensaios de molhabilidade apresentaram um ângulo de molhamento menor para as amostras com o tratamento por PEO com tempo de 1 e 8 minutos. Conclui-se que a técnica por Oxidação por Plasma Eletrolítico mostrou-se eficaz na deposição de um revestimento cerâmico, melhorando a qualidade da superfície reduzindo o custo do tratamento superficial, diminuindo o valor final do implante para implementação no SUS.pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::OUTROS::CIENCIAS: CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃOpt_BR
Appears in Collections:MPCTI - Mestrado profissional em Ciência, Tecnologia e Inovação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TratamentoSuperfícieOxidação_Paiva_2018.pdf849,48 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.