Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25981
Título: Estado Nutricional em vitaminas e de mães e crianças pré-termo e termo do nascimento aos 3 meses pós-parto
Autor(es): Rodrigues, Karla Danielly Da Silva Ribeiro
Palavras-chave: Alfa-tocoferol;Prematuro;Leite materno;Lactante;Aleitamento materno;Deficiência de vitamina E
Data do documento: 10-Jun-2016
Referência: RODRIGUES, Karla Danielly da Silva Ribeiro. Estado Nutricional em vitaminas e de mães e crianças pré-termo e termo do nascimento aos 3 meses pós-parto. 2016. 148f. Tese (Doutorado Em Bioquímica) - Centro De Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Abstract: Vitamin E is a fat-soluble antioxidant micronutrient extremely important for preterm newborns (< 37 weeks gestation) since it protects the central nervous system and prevents hemolytic anemia and bronchopulmonary dysplasia. Due to its limited placental transfer, the provision of vitamin E to the infant through breast milk is essential to ensure an adequate supply and to prevent/correct deficiencies. There is limited data on the vitamin E recovery in infants through the lactation period and the composition of alpha-tocopherol in preterm breast milk. This study aimed to evaluate the differences in the vitamin E nutritional status of women, preterm and term infants from birth to 3 months postnatal, their relationships and the concentration of alpha-tocopherol in breast milk. A prospective study was initially conducted with 235 postpartum women and infants attending two public maternities in Rio Grande do Norte, Brazil, 124 allocated in the preterm group and 111 in the term group (≥ 37 weeks), being followed up until 90 days after delivery. Colostrum, maternal blood and umbilical cord were collected up to 48 hours after delivery. Breast milk and dietary data were collected at 7, 30 and 90 days postpartum, as well as maternal and children’s blood at day 90. Alpha-tocopherol was analyzed by High Performance Liquid Chromatography. Vitamin E dietary intake of women and the vitamin supply to the infant were assessed according to consumption recommendations for the age group. The concentration of maternal serum alphatocopherol was not different between the groups, and an increase in vitamin E deficiency was found (< 517 µg/dL) through lactation (from 8.6% to 22.2%), reaching 789.6 (313.1) µg/dL in the preterm group and 875.3 (341.6) µg/dL in the term group (p = 0.197). All women presented inadequate vitamin E intake during lactation (<16mg/day). Over 90% of infants presented low alpha-tocopherol levels at birth (<500µg/dL), and at day 90 the mean concentration of serum alpha-tocoferol was 583.3 (209.4) µg/dL in the preterm group and 884.4 (458.8) µg/dL in the term group (p < 0.007), evidencing higher percentages of inadequacy in the infants from the preterm group. There was a positive association in serum alpha-tocopherol levels between the mother and the infant, and the premature delivery negatively influenced the infant's serum levels. In the preterm group, alpha-tocopherol levels were lower in colostrum, yet higher in transitional and mature milk (day 30), in comparison to the term group (p < 0.0001). Only mature milk did not provide the vitamin E amount recommended for infants (4 mg/day). Thus, it was found a high inadequacy of vitamin E at 3 months postpartum in both women and preterm children, differences in preterm milk composition and a possible supply of small amounts of vitamin E by mature milk, highlighting the need of greater nutritional assistance during lactation, especially due to vitamin E deficiency and its effects on children's cognitive development.
Resumo: A vitamina E é um micronutriente lipossolúvel que atua contra o estresse oxidativo, sendo de extrema importância para os recém-nascidos pré-termos (< 37 semanas) pois protege o sistema nervoso central e evita anemia hemolítica e displasia broncopulmonar. Como sua transferência placentária é restrita, a oferta para o lactente via leite materno é essencial para garantir um aporte adequado e prevenção/correção da deficiência. Dados são escassos sobre a recuperação nutricional na vitamina de crianças no seguimento da lactação e sobre a composição em alfa-tocoferol do leite pré-termo. O objetivo principal foi avaliar o estado nutricional em vitamina E de mulheres e crianças pré-termo e termo do nascimento até três meses após o parto, suas relações, a concentração de alfa-tocoferol no leite materno e o provável consumo da vitamina pelos lactentes. Estudo prospectivo conduzido inicialmente com 235 mulheres e crianças atendidas para o parto em duas maternidades públicas no Rio Grande do Norte, sendo 124 alocadas no grupo pré-termo e 111 no grupo termo (≥ 37 semanas). Até 48 horas após o parto foram coletados leite colostro, sangue materno e cordão umbilical. Por volta de 7, 30 e 90 dias foram obtidos leite, informações dietéticas, e coleta de sangue materno e da criança também no dia 90. O alfa-tocoferol foi analisado por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência e a ingestão de vitamina E das mulheres e lactentes segundo recomendações de consumo para a faixa etária. A concentração de alfa-tocoferol sérico materno não foi diferente entre os grupos, sendo encontrado um aumento da deficiência de vitamina E (< 517 µg/dL) no seguimento da lactação (de 8,6% a 22,2%), chegando a 789,6 (313,1) µg/dL no pré-termo e 875,3 (341,6) µg/dL no termo (p=0,197), com 99% de inadequação dietética de vitamina E na lactação (< 16 mg/dia). Mais de 90% das crianças apresentaram baixos níveis de alfa-tocoferol ao nascer (< 500 µg/dL) e no dia 90 o alfa-tocoferol sérico foi 583,3 (209,4) µg/dL no pré-termo e 884,4 (458,8) µg/dL no termo (p< 0,007), com 44,4% e 21,4% de níveis inadequados (< 517 µg/dL), respectivamente. Houve associação positiva entre níveis séricos da criança e da mãe (p< 0,003). No grupo pré-termo, o leite colostro teve menores concentrações de alfa-tocoferol e maiores no leite de transição e maduro 30 dias em comparação ao termo (p< 0,0001). Não houve associação entre leite, soro e dieta materna. Apenas o leite maduro não forneceu a vitamina E recomendada para os lactentes (> 4 mg/dia). Assim, observou-se uma elevada inadequação da vitamina E aos 3 meses pós-parto tanto nas mulheres como nas criança pré-termo, diferenças na composição do leite pré-termo e provável fornecimento de pequenas quantidades da vitamina pelo leite maduro, alertando sobre a necessidade de uma maior atenção nutricional na lactação principalmente pelas repercussões da deficiência de vitamina E no desenvolvimento cognitivo da criança.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25981
Aparece nas coleções:PPGB - Doutorado em Bioquímica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
EstadoNutricionalVitaminas_Rodrigues_2016.pdf2,97 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.