Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26167
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorPimentel, Denise Evelyn Mendonça-
dc.date.accessioned2018-11-23T22:31:43Z-
dc.date.available2018-11-23T22:31:43Z-
dc.date.issued2018-08-09-
dc.identifier.citationPIMENTEL, Denise Evelyn Mendonça. Caracterização do comportamento reprodutivo na Região Nordeste em um contexto de baixa fecundidade. 2018. 113f. Dissertação (Mestrado em Demografia) - Centro de Ciências Exatas e da Terra, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26167-
dc.description.abstractRecent literature has pointed out that low fertility in Brazil occurred through a combination of several reproductive regimes. In this regard, the observed heterogeneity in fertility regime (reduction of high fertility, absence of children and fertility around one and two children) has been explained by the social and economic differentials that exist among women. In this sense, the main objective of this study is to analyze the socioeconomic and demographic characteristics of women in reproductive age in the Northeast of Brazil through the total number of children between 2000 and 2010. In addition, this study focuses on four groups of women: women without children; with one child; with two children and with three or more children. In order to achieve the proposed objectives, the data sources used were the Demographic Censuses of 2000 and 2010. The methodology consists in a descriptive statistical analysis, capable of relating the information of each variable in the study with the four groups of women, grouped by the number of children that they had until the date of each Census. The results show that, during the analyzed period, there was a significant reduction in the proportion of women with three or more children, followed by a growth in the participation of women without children, as well as with one and two children. This behavior was observed in all Federative Units of the Northeast, however, these changes occurred internally way in the differently. Moreover, there was a significant reduction in the participation of women with children at younger ages, with an increase in ages above 30 years old. However, the main change was the decrease in the participation of women with two children in the 20–34 age bracket, but with growth in the ones above 35 years old. The results suggest that the characteristics that differentiate the women in relation to the number of children are: household situation; total household income per capita; color / race, schooling and marital status. In this context, it is important to highlight the growth of heterogeneous family arrangements in the Northeast, with an increase in the participation of women living together (not formally married, but having a partner) without children. However, the increase in the level of education of female population during the analyzed period was the fact that had most impact in the differentials among women in regard to the total number of children. In brief, the results suggest that the decline in fertility in the Northeast between 2000 and 2010 was due to a combination of different reproductive regimes, due to the social and economic differences among women.pt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectBaixa fecundidadept_BR
dc.subjectDiferenças sociaispt_BR
dc.subjectHeterogeneidadept_BR
dc.subjectComportamento reprodutivopt_BR
dc.subjectNordestept_BR
dc.titleCaracterização do comportamento reprodutivo na Região Nordeste em um contexto de baixa fecundidadept_BR
dc.typemasterThesispt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFRNpt_BR
dc.publisher.programPROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DEMOGRAFIApt_BR
dc.contributor.referees1Aguirre, Moisés Alberto Calle-
dc.contributor.referees2Júnior, Cláudio Santiago Dias-
dc.description.resumoA literatura recente tem apontado a queda fecundidade no Brasil ocorreu através de uma combinação de diferentes regimes reprodutivos. Nesse sentido, a heterogeneidade observada no regime de fecundidade (redução da fecundidade alta, ausência de filhos e fecundidade em torno de um e dois filhos), tem sido explicada pelos diferenciais sociais e econômicos que existem entre as mulheres. Partindo desse contexto, o principal objetivo deste estudo é analisar as características socioeconômicas e demográficas das mulheres em idade reprodutiva do Nordeste, por número total de filhos tidos, entre os anos de 2000 e 2010. Para tanto, este estudo tem como foco quatro grupos de mulheres, a saber: mulheres sem filho; com um filho; dois filhos e três ou mais filhos. Para atingir os objetivos propostos, foram utilizados os dados dos Censos Demográficos de 2000 e 2010. A metodologia adotada é a análise estatística descritiva, capaz de relacionar as informações de cada variável em estudo com os quatro grupos de mulheres, agrupadas pela quantidade de filhos tidos até a data de cada censo. Os resultados mostram que, durante o período analisado, houve uma redução significativa na proporção de mulheres com três ou mais filhos, seguido de um crescimento na participação de mulheres sem filho, assim como com um e dois filhos. Esse comportamento foi observado em todas as Unidades Federativas do Nordeste, porém, essas mudanças se deram internamente de maneira diferenciada. Além disso, teve uma redução significativa na participação de mulheres com filhos em idades mais jovens, apresentando um incremento em idades acima dos 30 anos. Todavia, a principal mudança foi a diminuição na participação de mulheres com dois filhos em faixas de idade de 20 a 34 anos, mas sendo observado um crescimento acima dos 35 anos. Os resultados sugerem que as características que mais diferenciam as mulheres em relação ao número de filhos tidos são: situação do domicílio; renda total domiciliar per capita; cor/raça, escolaridade e situação conjugal. Nesse contexto, é importante destacar o crescimento de arranjos familiares heterogêneos no Nordeste, com aumento na participação de mulheres em união e sem filhos. Além disso, nota-se um contingente significativo de mulheres que nunca viveram em companhia do cônjuge sem filhos. Contudo, o aumento no nível de escolaridade da população feminina, durante o período analisado, foi o que mais impactou nos diferenciais entre as mulheres em relação ao número total de filhos. Em suma, a pesquisa apontou que o declínio da fecundidade na Região Nordeste entre 2000 e 2010 se deu por uma combinação de diferentes regimes reprodutivos, em razão dos diferenciais sociais e econômicos presentes entre as mulheres.pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::DEMOGRAFIApt_BR
Appears in Collections:PPGDEM - Mestrado em Demografia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CaracaterizaçãoComportamentoReprodutivo_Pimentel_2018.pdf2.24 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.