Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/31749
Title: Resultados a longo prazo da reabilitação cardíaca na aptidão cardiorrespiratória de pacientes com insuficiência cardíaca
Authors: Schon, Caroline Ferreira
Keywords: Insuficiência cardíaca;Reabilitação cardíaca;Aptidão cardiorrespiratória;Taxa metabólica da tarefa (MET);Seguimento de longo prazo
Issue Date: 27-Feb-2020
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SCHON, Caroline Ferreira. Resultados a longo prazo da reabilitação cardíaca na aptidão cardiorrespiratória de pacientes com insuficiência cardíaca. 2020. 58f. Dissertação (Mestrado em Fisioterapia) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2020.
Portuguese Abstract: Introdução: É amplamente aceita a associação positiva da reabilitação cardíaca (RC) e a aptidão cardiorrespiratória (ACR) em pacientes com insuficiência cardíaca (IC). A maioria dos resultados são apresentados em consumo de oxigênio (VO2) o que normalmente exige equipamentos sofisticados e pessoal treinado para acompanhar o progresso do VO2. A monitoração dos METs como métrica da ACR é facilmente aplicado, mas pouco usado em seguimento de longo prazo da RC. Objetivo: O objetivo deste estudo foi verificar a magnitude da aptidão cardiorrespiratória através da análise da taxa metabólica da tarefa (MET) em longo prazo de pacientes que realizaram a reabilitação cardíaca (RC) e analisar os seus fatores correlacionados. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo de seguimento em pacientes que concluíram o programa formal de 3 meses de RC realizado no CORE a partir de uma coorte retrospectiva com análise dos prontuários de 76 pacientes reabilitados entre os anos de 2015 a 2018. O teste ergométrico (TE), MET medido, e o questionário DASI, MET estimado foram avaliados em seguimento. O desfecho primário foi a ACR com medida do MET realizada através do teste ergométrico, antes da RC, 3 meses após RC e no seguimento de 12 a 24 meses da RC. Foram feitas comparações estatísticas do MET entre os tempos pré, pós e segmento da RC e analisado a influência dos fatores (fração de ejeção, massa corporal, idade, gênero, comorbidades, dose de exercício aeróbico e número de sessões realizadas na RC) no desfecho do MET. Resultados: O incremento da ACR em METs da entrada na RC até o seguimento de longo prazo foi de 1,56, porém quando comparado ao momento pós-RC, o seguimento mostrou redução de 1,87 no MET de pico, no entanto, sem significância estatística. A escala DASI apresentou correlação moderada e positiva (r=0,63, p=0,003) com o MET verificado no TE. Correlação moderada e positiva ao MET de seguimento foi observado para o MET pré-RC (r=0,67, p=0,004) e para a dose de treino aeróbico semanal final (r= 0,66, p=0,009). O modelo de regressão realizado foi válido apenas para dose de treino aeróbico com r quadrado ajustado de 0,43 (p=0,006). Conclusão: O estudo verificou incremento na ACR de 1,56 METs mesmo após seguimento de longo prazo da RC. A dose de treino aeróbico apresentou a mais forte correlação com o MET de seguimento estabelecendo sua equação de predição.
URI: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/31749
Embargoed until: 2021-01-15
Appears in Collections:PPGFS - Mestrado em Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Resultadoslongoprazo_Schon_2020.pdf1.15 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.