Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/13072
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorMendes, Norma Helena Duartept_BR
dc.date.accessioned2014-12-17T14:10:24Z-
dc.date.available2012-01-26pt_BR
dc.date.available2014-12-17T14:10:24Z-
dc.date.issued2011-03-31pt_BR
dc.identifier.citationMENDES, Norma Helena Duarte. Estudo da frequência e perfil epidêmico-sorológico da toxoplasmose ocular em pacientes atendidos no Ambulatório de Oftalmologia do Hospital Universitário Onofre Lopes no município de Natal, Rio Grande do Norte. 2011. 67 f. Dissertação (Mestrado em Biodiversidade; Biologia Estrutural e Funcional.) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13072-
dc.description.abstractToxoplasmosis, provoked by the intracellular parasite Toxoplasma gondii, is one of the most prevalent parasitoses in the world. In humans, transmission occurs by three evolutionary forms of the parasite: oocysts, tissue cysts and tachyzoites. Wild and domestic felines are definitive hosts. The ocular form of toxoplasmosis can be of congenital origin with early or late clinical manifestations, or acquired after birth. T. gondii is considered the main culprit for most cases of infectious uveitis. This study aimed at assessing ocular toxoplasmosis, relating it to factors associated to the patient s lifestyle and describing the epidemic-serological and clinical profile of affected individuals. A cross-sectional study was conducted with a population of 159 patients. Univariate analysis (odds ratio) was used to evaluate the data, with a confidence interval of 95% and p-value < 0.05. A prevalence of 4% of ocular toxoplasmosis was observed in the population of patients treated at an ophthalmological clinic. Of patients directly examined by immunoenzymatic assay (MEIA-AxSYM®- Microparticle Enzyme Immune Assay), considering only uveitis, a frequency of anti-T. gondii of 73%, most of whom exhibited titulation between 40-99 UI IgG/mL. With respect to location of ocular lesions, bilaterality was observed in 57% of patients assessed by the ophthalmoscopy technique. When compared with the results of an active search of medical records, a similarity in ocular toxoplasmosis (74%) and bilateral lesion location (55%) was observed. Type I lesion was the most frequent type observed, with intraocular disposition in the macula. An epidemiological survey revealed that direct contact with cats; consuming raw or poorly cooked meat and direct contact with the soil were significantly associated with greater likelihood of acquiring ocular toxoplasmosis. Sample characterization in relation to age range was significant for patients between 31 and 40 years [χ², chi-square test (p = 0.04)], but population traits such as schooling, sanitary district, and monthly income were not significant. Results confirm that ocular toxoplasmosis is widely distributed in the metropolitan area of Natal, Brazil, with significant prevalence of ocular lesions provoked by T.gondii. It is suggested that sanitary authorities exert greater control in order to minimize the risk of toxoplasmic infection, mainly in pregnant women.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superiorpt_BR
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectToxoplasma gondiipor
dc.subjectToxoplasmose ocularpor
dc.subjectEpidemiologia.por
dc.subjectToxoplasma gondiieng
dc.subjectOcular toxoplasmosiseng
dc.subjectEpidemiology.eng
dc.titleEstudo da frequência e perfil epidêmico-sorológico da toxoplasmose ocular em pacientes atendidos no Ambulatório de Oftalmologia do Hospital Universitário Onofre Lopes no município de Natal, Rio Grande do Nortepor
dc.typemasterThesispor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFRNpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciências Biológicaspor
dc.contributor.authorIDpor
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/1102278468306215por
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/4863082845974813por
dc.contributor.referees1Câmara, Antônia Cláudia Jácome dapt_BR
dc.contributor.referees1IDpor
dc.contributor.referees1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5445255186647578por
dc.contributor.referees2Romero, Oscar Brunapt_BR
dc.contributor.referees2IDpor
dc.contributor.referees2Latteshttp://lattes.cnpq.br/2472508053117517por
dc.description.resumoA toxoplasmose, provocada pelo parasito intracelular Toxoplasma gondii, é uma das parasitoses mais prevalentes em todo o mundo. Nos humanos, a transmissão ocorre por meio das três formas evolutivas do parasito: oocistos, cistos tissulares e taquizoítos. Os felídeos, silvestres ou domésticos, são os hospedeiros definitivos. A forma ocular da toxoplasmose pode ser de origem congênita com manifestações clínicas precoces ou tardias, ou ainda ser adquirida após o nascimento. O T. gondii é considerado o principal responsável pela maioria dos casos de uveítes infecciosas. Este estudo avaliou a toxoplasmose ocular, relacionando-a com fatores associados ao modo de vida dos pacientes e descrever um perfil epidêmico-sorológico e clínico dos indivíduos acometidos. Foi realizado um estudo seccional, com uma população de 159 pacientes. Para avaliação dos dados observados foi utilizada a análise univariada com cálculo de Odds Ratio, tendo como índice de confiança de 95% e o valor de p < 0,05. Foi observada uma prevalência de 4% de toxoplasmose ocular na população de pacientes atendidos na clínica oftalmológica. Dos pacientes examinados diretamente por ensaio imunoenzimático (MEIA-AxSYM®- Microparticle Enzyme Imune Assay), considerando apenas as uveítes, foi verificada uma freqüência de anti- T. gondii de 73%, a maioria dos pacientes apresentaram titulação entre 40-99 UI IgG/mL. Quanto à localização da lesão ocular foi observada a bilateralidade em 57% dos pacientes avaliados pela técnica de oftalmoscopia. Quando comparados com os resultados da busca ativa de prontuários se observou uma similaridade na freqüência de prevalência para toxoplasmose ocular (74%), e 55 % quanto a localização bilateral da lesão. Quanto ao tipo de lesão observada, a mais freqüente foi a lesão do tipo I, com disposição intraocular na mácula. O inquérito epidemiológico revelou que os fatores de riscos: o contato direto com gatos, o consumo de carne crua ou mal cozida e o contato direto com o solo foram significativamente associados com as maiores chances de adquirir toxoplasmose ocular. A caracterização da amostra em relação à faixa etária foi significativa para pacientes entre 31-40 anos [χ², Teste do qui-quadrado (p = 0,04)], porém características populacionais tais como escolaridade, distrito sanitário, renda mensal não tiveram significância segundo esse teste estatístico. Os resultados confirmam que a toxoplasmose ocular está amplamente distribuída na cidade do Natal, com significativa prevalência de lesões oculares provocadas pelo T.gondii. É recomendável um maior controle por parte das autoridades sanitárias, visando minimizar o risco de infecção toxoplásmica em toda população.por
dc.publisher.departmentBiodiversidade; Biologia Estrutural e Funcional.por
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS BIOLOGICASpor
Appears in Collections:PPGCB - Mestrado em Ciências Biológicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
EstudoFrequênciaPerfil_Mendes_2011pdf976,17 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.