Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/16687
Title: Avaliação muscular respiratória: adaptação do mano vacuômetro nacional para a avaliação da pressão inspiratória nasal e nível de intensidade da ventilação voluntária máxima em sujeitos saudáveis
Authors: Severino, Fernanda Gadelha
Keywords: Força dos músculos respiratórios;Treinamento dos músculos respiratórios;Pressões respiratórias;Pressão inspiratória nasal;Ventilação voluntária máxima;Respiratory muscle strength;Respiratory muscles training;Respiratory pressures;Nasal inspiratory pressure;Maximum voluntary ventilation;Dynamic compliance
Issue Date: 18-May-2010
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SEVERINO, Fernanda Gadelha. Avaliação muscular respiratória: adaptação do mano vacuômetro nacional para a avaliação da pressão inspiratória nasal e nível de intensidade da ventilação voluntária máxima em sujeitos saudáveis. 2010. 100 f. Dissertação (Mestrado em Movimento e Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
Portuguese Abstract: A importância clinica de avaliar os músculos respiratórios com uma variedade de testes vem sendo proposta por diversos trabalhos, pois a combinação de vários testes possibilitaria um melhor diagnóstico e consequentemente um melhor seguimento clínico das disfunções dos músculos respiratórios. Este trabalho teve como objetivo avaliar a viabilidade da adaptação do manovacuômetro nacional eletrônico para a realização da medida de pressão inspiratória nasal (estudo 1) e analisar o nível de intensidade de carga da ventilação voluntária máxima, assim como as variáveis que possam influenciar a manobra em sujeitos saudáveis (estudo 2). Foram estudados 20 sujeitos saudáveis através da avaliação aleatória de duas medidas de SNIP em equipamentos diferentes: um nacional e outro importado. No estudo 2 foi analisado a intensidade da carga do teste da ventilação voluntária máxima(VVM), a variação de pressão desenvolvida durante manobra, as possíveis diferenças entre gêneros, e as correlações entre o fluxo desenvolvido no teste e o resultado da VVM. No estudo 1 as médias encontradas durante as duas medidas das pressões nasais foram de 125 ± 42,4 cmH2O para o aparelho importado e de 131,7 ± 28,7 cmH2O para o nacional. A análise de Pearson demonstrou uma correlação significativa entre as médias com um coeficiente r=0.63. Os valores médios não apresentaram diferenças significativas avaliadas pelo teste t pareado (p>0,05).Na análise de Bland-Altman foi encontrado um BIAS igual a 7 cmH2O, desvio padrão 32,9 e um intervalo de confiança de - 57,5cmH2O até 71,5 cmH2O. No estudo 2 foi encontrada diferença significativa entre os gêneros para o volume de ar deslocado maior em homens 150.9 ± 13.1 l/mim vs 118.5 ± 15.7 L/mim para (p= 0.0002, IC95% 20.05 à 44.85). Em relação carga inspiratória e expiratória foram significativamente maiores em homens que nas mulheres: pico inspiratório (34.7 ± 5.3 cmH2O vs 19.5 ± 4.2 cmH2O, IC95% - 18.0 a -12.3, p< 0.0001), pico expiratório (33.8 ± 5.9 cmH2O vs 23.1 ± 5.4 cmH2O, IC95% -17.1 a - 4.6, p< 0.0001), assim como o delta de pressão (59.7 ± 10 cmH2O vs 36.8 ± 8.3 cmH2O, IC95% 14.5 a 31.2 , p< 0.0002). A correlação de Pearson mostrou que o fluxo gerado pela manobra está fortemente correlacionado com o delta de pressão expiratória/inspiratória (r2= 0.83,R = 0.91, (95%IC 0.72 a 0.97 e p< 0.0001). Através dos resultados encontrados podemos sugerir que o manovacuômetro eletrônico nacional é viável e seguro para realização do sniff teste em sujeitos saudáveis. Em relação a VVM, existem diferenças entre os gêneros na intensidade de pressão desenvolvida durante a VVM, a uma intensidade de carga durante a VVM foi considerada baixa assim como foi encontrada uma forte correlação entre o fluxo gerado no teste e o delta de pressão expiratório/inspiratório
Abstract: The clinical importance of evaluating the respiratory muscles with a variety of tests has been proposed by several studies, once that the combination of several tests would allow a better diagnosis and therefore, a better clinical follow of disorders of the respiratory muscles. This study aimed to evaluate the feasibility of adapting a national electronic manovacuometer to measure the nasal inspiratory pressure (study 1) and analyze the level of load intensity of maximum voluntary ventilation, as well as the variables that may influence this maneuver in healthy subjects (study 2). We studied 20 healthy subjects by a random evaluation of two measures of SNIP in different equipments: a national and an imported. In study 2 it was analyzed the intensity of the load of MVV test, change in pressure developed during the maneuver, the possible differences between genders, and the correlations between the flow developed in the test and the result of MVV. In study 1 it was found the average for both measures of nasal inspiratory pressures: 125 ± 42.4 cmH2O for the imported equipment and 131.7 ± 28.7 cmH2O for the national one. Pearson analysis showed a significant correlation between the average, with a coefficient r = 0.63. The average values showed no significant differences evaluated by paired t test (p> 0.05). In the Bland-Altman analysis it was found a BIAS = 7 cmH2O, SD 32.9 and a confidence interval of - 57.5 cmH2O up to 71.5 cmH2O. In the second study it was found significant differences between the genders in the air volume moved, being higher in males 150.9 ± 13.1 l / min vs 118.5 ± 15.7 L / min for (p = 0.0002, 95% CI 44.85 to 20:05). Regarding the inspiratory and expiratory loading, they were significantly higher in men than in women, peak inspiratory pressure (34.7 ± 5.3 cmH2O vs 19.5 ± 4.2 cmH2O, 95% CI - 18.0 to -12.3, p <0.0001), peak expiratory (33.8 vs. 23.1 ± 5.9 cmH2O ± 5.4 cmH2O, 95% CI -17.1 to - 4.6, p <0.0001), and the delta pressure (59.7 ± 10 cmH2O vs 36.8 ± 8.3 cmH2O, 95% CI 14.5 to 31.2, p <0.0002). The Pearson correlation showed that the flow generated by the maneuver is strongly correlated with the delta-expiratory pressure / inspiratory (r2= 0.83,R = 0.91, 95%IC 0.72 a 0.97 e p< 0.0001).Through these results we suggest that the national electronic manovacuometer is feasible and safe to perform the sniff test in healthy subjects. For the MVV, there are differences between the genders in the intensity of pressure developed during the maneuver. We found a load intensity considered low during the MVV, and found a strong correlation between the flow generated in the test and the delta pressure expiratory / inspiratory
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16687
Appears in Collections:PPGFS - Mestrado em Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FernandaG_DISSERT.pdf1.14 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.