Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/16733
Title: Efeitos agudos do alongamento estático antes e após exercício e as características neuromusculares do membro inferior: estudo controlado, randomizado e cego
Authors: Pimentel, Manuele Jardim
Keywords: Exercícios de alongamento muscular. Eletromiografia. Exercício. Medicina esportiva;Muscle stretching exercises. Electromyography. Exercise. Sports medicine
Issue Date: 18-Dec-2012
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: PIMENTEL, Manuele Jardim. Efeitos agudos do alongamento estático antes e após exercício e as características neuromusculares do membro inferior: estudo controlado, randomizado e cego. 2012. 75 f. Dissertação (Mestrado em Movimento e Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
Portuguese Abstract: Objetivo: Avaliar os efeitos agudos do alongamento estático, antes e após exercício isocinético, nas propriedades neuromusculares e biomecânicas dos músculos Bíceps Femoral (BF) e Semitendíneo (ST). Metodologia: Oitenta e nove voluntários de ambos os gêneros, saudáveis e fisicamente ativos, com idade média de 22,52 ± 2,6 anos e IMC médio de 23,86 ± 3,2 kg/m2 foram distribuídos aleatoriamente em um dos 4 grupos: o Grupo Controle (GC) fez apenas um Protocolo de Exercício (PE) sem a realização do alongamento; o Grupo Experimental 1 (GE1) fez alongamento antes do PE; o GE2 fez alongamento após o PE e o GE3 fez alongamento antes e após o PE. Os voluntários foram avaliados quanto às seguintes variáveis: Amplitude de Movimento Articular (ADM), sensação dolorosa, variáveis dinamometricas concêntricas e excêntricas, Tempo de Latência Neuromuscular (TLNM) e atividade eletromiográfica. Na análise dos dados foi atribuído um nível de significância de 5%. Resultados: A ADM e o TLNM apresentaram significativa redução no GC, mas permaneceram inalterados nos GE com p<0,05 e p<0,01, respectivamente. Quanto à sensação dolorosa não houve diferenças entre os grupos. A atividade eletromiográfica do BF e ST, na fase concêntrica, apresentou uma diminuição significativa em todos os grupos (p<0,01). Porém, na fase excêntrica, o ST revelou redução para todos os grupos (p<0,01), exceto para o GC, enquanto o BF permaneceu sem alteração em todos os grupos. O PT apresentou redução significativa nas duas condições (concêntrica e excêntrica) para todos os grupos, sem diferença entre eles (p<0,01). Conclusão: Os resultados encontrados neste estudo não favorecem a utilização do alongamento estático, mesmo que de curta duração, antes da atividade física. Porém, após os exercícios, ou em momentos sem relação com o esporte, ele deve ser indicado com intuito de evitar o encurtamento muscular
Abstract: Objective: To evaluate the acute effects of static stretching before and after isokinetic exercise, neuromuscular and biomechanical properties of muscles Biceps Femoris (BF) and semitendinosus (ST). Methods: Eighty-nine volunteers of both genders, healthy and physically active, with a mean age of 22.52 ± 2.6 years and mean BMI 23.86 ± 3.2 kg/m² were randomized into 4 groups: Control Group (CG) made only one Protocol Exercise (PE) without performing the stretching, the Experimental Group 1 (EG1) did stretching before PE; EG2 did the stretching after PE and EG3 did stretching before and after PE. The volunteers were evaluated on the following variables: Range of motion (ROM), soreness, dynamometric variables concentric and eccentric, Neuromuscular Latency Time (NLT) and electromyographic. In the data analysis was assigned a significance level of 5%. Results: ADM and TLNM reported significant reduction in CG, but remained unchanged in GE with p<0,05 and p<0,01, respectively. As for the soreness, no differences between the groups. The electromyographic activity of the BF and ST, in the concentric phase, showed a significant decrease in all groups (p<0,01). However, in the eccentric phase, ST revealed reduction in all groups (p <0.01), except for the CG, while the BF remained unchanged in all groups. The PT showed significant reduction in both conditions (concentric and eccentric) for all groups, with no difference between them (p<0,01). Conclusion: The results of this study do not favor the use of static stretching, even of short duration, before physical activity. However, after exercise or at times unrelated to the sport, he should be given with the aim of avoiding muscle shortening
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16733
Appears in Collections:PPGFS - Mestrado em Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ManueleJP_DISSERT.pdf8,39 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.