Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19893
Title: As compreensões do construtivismo de Ernst Von Glasersfeld e John Fossa: intermediando um diálogo em busca de novas significações
Authors: Rodrigues, Disnah Barroso
Keywords: Construtivismo Radical;Educação Matemática;Epistemologia;Ontologia
Issue Date: 19-Feb-2015
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: RODRIGUES, Disnah Barroso. As compreensões do construtivismo de Ernst Von Glasersfeld e John Fossa: intermediando um diálogo em busca de novas significações. 2015. 128f. Tese (Doutorado em Educação) - Centro de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Portuguese Abstract: A presente tese, orientada por uma carta enviada por Ernst von Glasersfeld a John Fossa, é produto de uma investigação teórica sobre o construtivismo. Na carta, von Glasersfeld tece três considerações sobre a compreensão de Fossa acerca do construtivismo radical. Entretanto, limitamos o nosso estudo à segunda consideração, uma vez que ela lida com algumas das questões centrais do construtivismo. Consequentemente, investigamos quais questões são levantadas pela consideração tecida por von Glasersfeld à compreensão do construtivismo radical de John Fossa e se essas questões são pertinentes para uma melhor compreensão do construtivismo. Para concretizar a investigação, foi necessário caracterizar a abordagem epistemológica do construtivismo de von Glasersfeld; identificar quais questões acerca do construtivismo radical são tecidas pela consideração de von Glasersfeld; investigar se as questões levantadas são pertinentes para uma melhor compreensão do construtivismo e analisar as implicações das questões levantadas para a sala de aula de matemática. Ao fazer um estudo hermenêutico do construtivismo radical, descobrimos que o que é central para ele é sua radicalidade, no sentido que rompe com a tradição por sua ausência de uma ontologia. Assim, defendemos a tese de que a ausência de uma ontologia, embora apresente vantagens para o construtivismo radical, incorre em sérios problemas não somente para a própria teoria, mas também para suas implicações para a sala de aula de matemática. As vantagens que fomos capazes de identificar incluem mudança dos caminhos habituais da filosofia para uma visão racional muito diferente do mundo; superação de uma forma ingênua de pensar; compreensão do sujeito como ativo na construção da sua realidade experiencial; interpretação da cognição como instrumento de adaptação; novo conceito de conhecimento e visão falível (ou provisória) do conhecimento. Os problemas estão relacionados com a impossibilidade de o construtivismo radical explicar adequadamente por que a realidade que construímos é regular, estável, não arbitrária e publicamente compartilhada. Em relação as implicações educacionais do construtivismo radical, a ausência de uma ontologia traz, para a sala de aula de matemática, não apenas certos aspectos relevantes (ou pontos fortes), que fazem do ensino um processo de investigação sobre a aprendizagem do aluno, potencializa ou empowers o aluno para a aprendizagem e muda o design de sala de aula, mas também algumas fraquezas ou limitações. As fraquezas ou limitações do construtivismo na sala de aula são devido à natureza eminentemente subjetiva do conhecimento. Isso requer trabalhar com situações de ensino um-a-um e, do mesmo modo, faz o sucesso do ensino ficar dependente das habilidades individuais do professor. Talvez a mais importante fraqueza ou limitação, nesse sentido, seja a que torna o ensino orientado por princípios construtivistas incapaz de alcançar a formação de uma comunidade. Concluímos que as questões levantadas a partir da consideração de von Glasersfeld são absolutamente relevantes para o contexto de uma melhor compreensão do construtivismo radical e de suas implicações para a educação, em especial, para a educação matemática.
Abstract: The present thesis, orientated by a letter sent by Ernst von Glasersfeld to John Fossa, is the product of a theoretical investigation of radical constructivism. In this letter, von Glasersfeld made three observations about Fossa’s understanding of radical constructivism. However, we limited our study to the second of these considerations since it de als with some of the core issues of constructivism. Consequently, we investigated what issues are raised by von Glasersfeld’s observation and whether these issues are relevant to a better understanding of constructivism and its implications for the mathema tics classroom . In order to realize the investigation, it was necessary to characterize von Glasersfeld’s epistemological approach to constructivism, to identify which questions about radical constructivism are raised by von Glasersfeld’s observation, to i nvestigate whether these issues are relevant to a better understanding of constructivism and to analyze the implications of these issues for the mathematics classroom. Upon making a hermeneutic study of radical constructivism, we found that what is central to it is its radicalism, in the sense that it breaks with tradition by its absence of an ontology. Thus, we defend the thesis that the absence of an ontology, although it has advantages for radical constructivism, incurs serious problems not only for the theory itself, but also for its implications for the mathematics classroom. The advantages that we were able to identify include a change from the usual philosophical paths to a very different rational view of the world, an overcoming of a naive way of thi nking, an understanding of the subject as active in the construction of his/her experiential reality, an interpretation of cognition as an instrument of adaptation, a new concept of knowledge and a vision of knowledge as fallible (or provisional). The prob lems are associated with the impossibility of radical constructivism to explain adequately why the reality that we build up is regular, stable, non - arbitrary and publicly shared. With regard to the educational implications of radical constructivism, the ab sence of an ontology brings to the mathematics classroom not only certain relevant aspects (or favorable points) that make teaching a process of researching student learning, empowering the student to learn and changing the classroom design, but also certa in weaknesses or limitations. These weaknesses or limitations of constructivism in the classroom are due to its conception of knowledge as being essentially subjective. This requires it to work with one - on - one situations and, likewise, makes the success of teaching dependent on the teacher’s individual skills. Perhaps the most important weakness or limitation, in this sense, is that it makes teaching orientated by constructivist principles unable to reach the goal of the formation of a community. We conclud e that issues raised by von Glasersfeld’s observation are absolutely relevant to the context of a better understanding of radical constructivism and its implications for education, especially for Mathematics Education.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19893
Appears in Collections:PPGED - Doutorado em Educação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CompreensõesConstrutivismoErnst_Rodrigues_2015.pdf937.89 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.