Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/20903
Title: Cuidado psicossocial em saúde mental: estudo em assentamentos rurais do Rio Grande do Norte
Authors: Costa Neto, Mauricio Cirilo da
Keywords: Atenção psicossocial;Saúde mental;Cuidado;Rural;Assentamento rural
Issue Date: 22-Feb-2016
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: COSTA NETO, Mauricio Cirilo da. Cuidado psicossocial em saúde mental: estudo em assentamentos rurais do Rio Grande do Norte. 2016. 173f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Portuguese Abstract: Moradores de assentamentos de reforma agrária têm uma vida marcada por condições de vida e trabalho precárias, que aliadas às barreiras no acesso às políticas e programas de saúde e assistência social, agravam as situações de vulnerabilidade psicossocial e ambiental que impactam na saúde mental. Essa pesquisa objetiva caracterizar as ofertas de cuidado desenvolvidas pelas equipes de saúde e assistência social referente às demandas de transtornos mentais comuns e uso problemático de álcool de moradores de 9 assentamentos do Rio Grande do Norte. Foram entrevistados 53 profissionais de forma individual ou em grupo de diferentes categorias profissionais. Resultados indicam que os trabalhadores vivenciam condições precárias de trabalho, traços da herança patrimonial e assistencialista que ainda persiste no campo das políticas sociais brasileiras e em especial nas gestões locais no interior do país. As equipes têm pouco conhecimento do território e das necessidades de saúde mental, o que impacta no acolhimento e cuidado ofertado. O cuidado implementado ainda corresponde à lógica biomédica, caracterizada pelo etnocentrismo, tecnicismo, biologicismo, curativismo, individualismo e especialismo, com pouca participação dos moradores e desconsideração dos saberes e práticas de cuidado tradicionais, não alcançando a resolutividade esperada. A atenção psicossocial não funciona de forma articulada apresentando problemas quanto ao seguimento e continuidade de cuidados. O cuidado psicossocial em saúde mental em contextos rurais tem como desafios a serem enfrentados a reorganização das redes de atenção, o estabelecimento de cuidados primários próximos do cotidiano das populações, a construção de práticas intersetoriais tendo em vista a multideterminação da saúde, e a educação em saúde conectada com estes contextos específicos. Em função do desconhecimento das especificidades da população assentada e da fragmentação da rede de atenção psicossocial, essas equipes não conseguem acolher e responder às necessidades em saúde mental de modo a interferir nas iniquidades em saúde.
Abstract: Dwellers of agrarian reform settlements have a life conditioned by poor living and work conditions, difficulties accessing health programs, social assistance and other public policies and by this exacerbating their psychosocial and environmental vulnerability, which has an impact on their mental health. This research investigates the availability of support by the health and social assistance staff, regarding the demands of common mental disorders and alcohol abuse of dwellers of nine settlements in Rio Grande do Norte. Fifty three experts from different professional categories were interviewed individually or in groups. The results indicate that the workers suffer from poor working conditions, attributes of patrimonial heritage and welfare, which still survives in Brazilian social policies and particularly at local administrations of the countryside. The staffs have little knowledge of the local conditions and of the mental health needs, which has a negative impact on the reception and offered care. The implemented health care still corresponds to the biomedical logic, characterized by ethnocentrism, technicality, biology, cure, individualism and specialization, with little participation of the dwellers and disregarding the traditional knowledge and practices of local health care and by this not achieving the expected results. The psychosocial attendance is not well coordinated, presenting problems with the follow-up and continuity of care. The psychosocial mental health care in rural context has to face the challenge of the reorganization of the health care networks, the establishment of primary health care close to the people’s everyday life, building intersectional practices considering a health multidetermination and health education connected to these specific contexts. Due to the lack of knowledge of the specifics of the life conditions of the dwellers and the fragmentation of the psychosocial health care network, these staffs do not abide and are not ready to face the mental health needs in order to interfere with these health iniquities.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/20903
Appears in Collections:PPGPSI - Mestrado em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MauricioCiriloDaCostaNeto_DISSERT.pdf2.25 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.