Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/21350
Title: Análise espacial e temporal da cobertura da triagem auditiva neonatal no Brasil 2008-2015
Authors: Paschoal, Monique Ramos
Keywords: Audição;Perda auditiva;Triagem neonatal;Sistema Único de Saúde;Sistemas de informação
Issue Date: 1-Apr-2016
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: PASCHOAL, Monique Ramos. Análise espacial e temporal da cobertura da triagem auditiva neonatal no Brasil 2008-2015. 2016. 50f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Portuguese Abstract: A triagem auditiva neonatal (TAN) é a primeira etapa de um programa para detecção de perda auditiva em recém-nascido, pois quando identificada e tratada precocemente minimizam as consequências da patologia. Na literatura existe um consenso quanto a universalidade da triagem, ou seja, o índice de triagens realizadas nos programas deve ser superior a 95% dos nascidos vivos. Nesse sentido, o objetivo deste estudo é realizar a análise espacial e temporal da cobertura de triagem auditiva neonatal no Brasil no período de janeiro de 2008 a junho de 2015. Trata-se de um estudo ecológico e utiliza como base o território Nacional e como unidade de análise as 161 Regiões Intermediárias de Articulação Urbana. A população de referência foram os nascidos vivos no país usuários do SUS no período de janeiro de 2008 a junho de 2015. Para o cálculo da porcentagem da cobertura da triagem auditiva neonatal foi utilizado como fonte de dados o Sistema de Informação de Nascidos Vivos (SINASC), o Sistema de Informações Ambulatoriais (SIA/SUS) e o Sistema de Informações de Beneficiários (SIB) da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Os dados foram divididos em quatro períodos, na qual foi realizada a análise exploratória dos quatro mapas, através do programa TerraView 4.2.2. Em seguida, para o mapa mais recente, foi realizada a análise espacial estatística, por meio do Índice de Moran Global e do Moran local. A cobertura da triagem auditiva neonatal apresentou uma evolução de 9,3 para 37,2 % no período estudado. Em 2008-2009 observa-se que a porcentagem da cobertura variou de 0,00 a 79,92%, porém a maioria das regiões obteve cobertura entre 0,0 e 20%, já em 2014-2015 a cobertura variou entre 0,0 a 171,77%, observou-se um visível aumento da porcentagem da cobertura no país e doze regiões apresentam cobertura maior que 95 %. O Índice de Moran Global teve valor de 0,397 (p=0,01), caracterizando um padrão de cluster disperso. Na análise espacial estatística observamos que a maioria das regiões são não significantes e que o estado do Rio Grande do Sul predominou o cluster Alto-Alto e algumas regiões dos estados do Paraná e São Paulo. Conclui-se que, a cobertura da triagem tem crescido ao longo do tempo, mas ainda é baixa e apresenta uma distribuição desigual no território podendo ser explicada pelas leis e políticas locais e pela disposição das diferentes modalidades de serviço de saúde auditiva no país.
Abstract: Newborn hearing screening (NHS) is the first step to hearing loss diagnosis program in newborns, because when identified and early treated it minimizes the consequences of the disease. In the literature, there is a consensus for universal screening, which is that the index screens held in the programs should be more than 95% of newborns. In this sense, the objective of this study is to make a spatial and temporal analysis of the newborn hearing screening coverage in Brazil by period of january 2008 until june 2015. This is an ecological study which use as basis the national territory and as analysis unit the 161 Interim Regions of Urban Articulation. The population references were alive born and users of the Brazilian National Health System from january 2008 until june 2015. For the calculation of newborn hearing screening coverage percentage was used as the data source Births Information System, the Outpatient Information System and Beneficiaries Information System of the National Health Agency. Data were divided on four periods, where were performed an exploratory analysis of the four maps, through the TerraView Program 4.2.2. Afterwards, for the newest map, was conducted a spatial analysis statistics through the Global Moran and Moran local index. Coverage of newborn hearing screening showed an evolution 9.3 to 37.2% during the study period. In 2008-2009 it can be observed that the covering percentage ranged from 0.00 to 79.92%, however most of regions got coverage between 0.0 and 20%. Already in 2014-2015 coverage ranged between 0.0 to 171.77%, was observed a visible increase in coverage percentage of the country and twelve regions have greater than 95% coverage. The Global Moran index had value of 0,40 (p=0,01), characterizing a pattern of dispersed cluster. In the statistical space analysis was observed that most of the regions are not significant and that the state of Rio Grande do Sul prevailed the high-high cluster and some regions of the states of Paraná and São Paulo. It is concluded that the coverage of screening has been growing along the time, but it is still low and presents an unequal distribution in the territory which can be explained by the laws and local politics, and for the disposition of the different modalities of hearing health service in the country.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21350
Appears in Collections:PPGSCOL - Mestrado em Saúde Coletiva

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MoniqueRamosPaschoal_DISSERT.pdf715.18 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.