Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/21696
Title: Leitura e recepção: a teatralidade em João Gilberto Noll
Authors: Cavalcanti, Alex Beigui de Paiva
Keywords: Recepção;Teatralidade;Apropriação;Processo Criativo;Ceception;Theatricality;Appropriation;Creative process
Issue Date: 2009
Citation: CAVALCANTi, Alex Beigui de Paiva. Leitura e recepção: a teatralidade em João Gilberto Noll. Rev. cient./FAP, Curitiba, v.4, n.1 p.1-25, jan./jun. 2009.
Portuguese Abstract: Este artigo discute que a idéia paradoxal de um público cada vez mais reduzido – entre 06 e no máximo 20 pessoas por sessão – aponta para uma nova forma de fruição entre o texto, a cena e o público. Considera-se a forma com que a diretora Celina Sodré estabelece sua intima e, por vezes, ostensiva relação com o público. Para ela, é necessário retirar o aplauso do trabalho, pois ele significa uma devolução daquilo que se oferta de modo sagrado e genuíno. Representa, além de uma resposta aquilo que é puro sentido, uma forma de o público sair reconciliado e de certa forma confortável com a peça. Daí a idéia de um desconforto implacavelmente desejado e trabalhado por ela. A relação do espectador é, em seu teatro, sempre pensada de modo anterior a qualquer outro elemento da cena, buscando romper com a histórica relação de empatia e visão consensual
Abstract: This article deals with the paradox of an often reduced theatre audience – 06 to 20 persons per session – which points to new relations involving playtext, performance and audience. It also deals with the intimate and often ostensive way in which Brazilian director Celina Sodré’s work relates with the audience. She thinks it is necessary to avoid the applause because it signifies a return of whatever is offered in a sacred and genuine way. In addition to being a response to pure meaning, the applause ends up representing a somewhat comfortable strategy of reconciliation between the audience and the performance. Thus, the director pursues discomfort and systematically works to unsettle her audiences. Sodré always considers the relationship with her audiences before any other performance element, as she tries to break with the traditional forms of empathy and consensus
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21696
Appears in Collections:CCHLA - DEART - Artigos publicados em periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Leitura e recepcao_2009.pdf1.15 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.