Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/25087
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMaia, Eulalia Maria Chaves-
dc.contributor.authorCavalcanti, Alessandra do Nascimento-
dc.date.accessioned2018-05-04T18:58:48Z-
dc.date.available2018-05-04T18:58:48Z-
dc.date.issued2018-02-08-
dc.identifier.citationCAVALCANTI, Alessandra do Nascimento. Estratégias de enfrentamento e apoio social em pacientes adultos em unidade de terapia intensiva. 2018. 118f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25087-
dc.description.abstractThe Intensive Care Unit is a specialized hospital sector whose primary objective is recover or provide support to the vital functions of patients as they recover. The disease process can trigger the individual a crisis situation. This crisis may occur in a short period of psychological imbalance when faced with a stressful circumstance, which can not run away or settle with the usual resources for troubleshooting. Thus, it requires possible from the patient and their families a way of facing a situation. In addition to coping strategies, it is important to consider the influence of social support in patients who are hospitalized in that unit. Investigate the perceived social support and coping strategies used by adult patients in the Intensive Care Unit. It is a quantitative study, cross-sectional and correlational, that occurred in the meantime from October 2016 until June 2017. A total of 126 patients participated in the study (63 in each institution), in the Intensive Care Unit at Hospital Monsignor Walfredo Gurgel and University Hospital Onofre Lopes. Patients who agree to participate in this study responded the following instruments: Socio-Demographic Survey (social, demographic and health data); Scale of Social Support; Ways of Coping Scale. In the analysis of the data, it was fulfilled descriptive and inferential statistics. About the profile of the participants was: male (64,3%), average of 44 years old, common-law marriage (31,7%), residents of the countryside (58,5%), low education levels and low fixed incomes (until 2 minimal salaries), in the first hospitalization in ICU (70,6%) and in recovery from a surgery (52,4%). The results showed that adult patients hospitalized in the ICU tended to use higher strategies focused on religious/fantasy thoughts (average: 4,18), as well they have a perception of above-average social support (average: 87,5), emphasizing in the dimension of effective support as the highest score obtained by the individuals (average: 93,1). Considering the instruments that we used in this research, a positive relationship was observed between EMEP factors and as well the same positive relationship among EMEP factors and social support dimensions was demonstrated. Thusly, it highlights the problem-focused strategy as the most related to the perception of social support among individuals. In the data analysis, descriptive and inferential statistics were performed using a data processing software. Therefore, it is important to emphasize the coping strategies in the recovery process of patients in the ICUs, as well as the direct influence of social support. In conclusion, it is possible to confirm the relevance about the coping strategies in the recovery of the patients in ICU, as well as the direct influence of the social support, so that in this population it was verified that when patients had satisfactory social support there was a trend to use more adaptive coping strategies.pt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectUnidade de Terapia Intensivapt_BR
dc.subjectEstratégias de enfrentamentopt_BR
dc.subjectApoio socialpt_BR
dc.subjectAdultospt_BR
dc.titleEstratégias de enfrentamento e apoio social em pacientes adultos em unidade de terapia intensivapt_BR
dc.typemasterThesispt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFRNpt_BR
dc.publisher.programPROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIApt_BR
dc.contributor.authorIDpt_BR
dc.contributor.advisorIDpt_BR
dc.contributor.referees1Oliveira, Luciana Carla Barbosa de-
dc.contributor.referees1IDpt_BR
dc.contributor.referees2Maia, Rodrigo da Silva-
dc.contributor.referees2IDpt_BR
dc.description.resumoA Unidade de Terapia Intensiva é um setor especializado do hospital que tem como objetivo primário recuperar ou fornecer suporte às funções vitais dos pacientes enquanto eles se recuperam. O processo de adoecimento pode desencadear no indivíduo uma situação de crise. Essa crise consiste em um período curto de desequilíbrio psicológico ao se defrontar com uma circunstância estressora, da qual não pode fugir ou resolver com os recursos habituais para solução de problemas. Desse modo, é possível que ocorra uma exigência tanto por parte do paciente como de seus familiares, demandando modos de enfrentar determinada situação. Além das estratégias de enfrentamento, é importante considerar a influência do apoio social nos pacientes que encontram-se internados nessa unidade. A pesquisa tem como objetivo a investigação do apoio social percebido e as estratégias de enfrentamento utilizadas pelos pacientes adultos na Unidade de Terapia Intensiva. Trata-se de pesquisa quantitativa, transversal e correlacional, realizado durante o período de Outubro de 2016 à Junho de 2017. Participaram da pesquisa 126 pacientes (divididos em 2 grupos equitativos), nas Unidades de Terapia Intensiva do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel e Hospital Universitário Onofre Lopes. Os pacientes que concordaram em participar deste estudo, responderam aos instrumentos: Questionário Sócio-Demográfico (dados sociais, demográficos e de saúde); Escala de Apoio Social; Escala Modos de Enfrentamento de Problemas. Na análise dos dados foram realizadas estatísticas descritivas e inferenciais. Em relação ao perfil dos respondentes, foi possível estabelecer que eram pacientes: homens (64,3%), 44 anos em média, em união estável (31,7%), provenientes do interior (58,5%), baixa escolaridade e renda (até 2 salários mínimos), na primeira internação (70,6%) e em recuperação pós operatória (52,4%). Os resultados demonstraram que os pacientes adultos internados na UTI tendem a utilizar com maior intensidade as estratégias focalicadas em pensamentos religiosos/fantasiosos (M: 4,18), bem como possuem uma percepção de apoio social acima da média (M: 87,5), evidenciando a dimensão de apoio afetivo como maior escore obtido em média pelos invíduos (M: 93,1). Em relação aos instrumentos utilizados, foi demonstrado uma relação positiva entre os fatores do EMEP, como também entre fatores do EMEP e as dimensões de apoio social, destacando-se a estratégia focalizada no problema como a que mais se relacionou com a percepção de apoio social entre os indivíduos. É possível concluir, portanto, a relevância acerca das estratégias de enfrentamento no processo de recuperação dos pacientes nas UTIs, assim como a influência direta do apoio social, de modo que nessa população verificou-se que à medida que o paciente possui um apoio social satisfatório há uma tendência da utilização de estratégias de enfrentamento mais adaptativas.pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIApt_BR
Appears in Collections:PPGPSI - Mestrado em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AlessandraDoNascimentoCavalcanti_DISSERT.pdf1,39 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.