Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/25468
Title: Validação da escala de verificação do nível de adaptação da pessoa com estomia (ENAE) elaborada à luz do modelo de Roy
Authors: Xavier, Suenia Silva de Mesquita
Keywords: Estomia;Modelos de Enfermagem;Adaptação psicológica;Estudos de validação
Issue Date: 26-Feb-2018
Citation: XAVIER, Suenia Silva de Mesquita. Validação da escala de verificação do nível de adaptação da pessoa com estomia (ENAE) elaborada à luz do modelo de Roy. 2018. 127f. Tese (Doutorado em Enfermagem na Atenção à Saúde) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Portuguese Abstract: Estomia é a abertura de qualquer víscera oca para o exterior do corpo por meio de um ato cirúrgico, com finalidade de suprir a necessidade de alimentação ou eliminação. Ter uma estomia pode trazer limitações às perspectivas de vida visto que as alterações físicas transcursam o campo fisiológico e atingem o campo psicossocial, o que demanda do indivíduo uma adaptação frente à nova realidade. Acredita-se que a utilização de um instrumento elaborado a partir de uma teoria de enfermagem com foco na adaptação, como o Modelo de Adaptação de Roy, pode colaborar para a Sistematização da Assistência de Enfermagem e para o cuidado a pessoas com estomia. Nesse sentido, objetivou-se analisar evidências de validade da Escala de Verificação do Nível de Adaptação da Pessoa com Estomia (ENAE) elaborada à luz do Modelo de Roy. Trata-se do estudo metodológico de validação da ENAE, que foi desenvolvido em quatro etapas: 1ª polo teórico constituído por duas rodadas de submissão do instrumento aos juízes, realização do teste piloto e correção léxica e gramatical; 2ª polo experimental que envolveu o planejamento da aplicação do instrumento, aplicação e coleta de dados, sendo o instrumento aplicado à 200 pessoas com estomia no Centro de Reabilitação Infantil e Adulto do Rio Grande do Norte; 3ª polo analítico envolveu à realização das análises estatísticas, com aplicação do Alfa de Cronbach para análise da consistência interna dos itens, correlação de Pearson e teste T para análise da precisão do instrumento, e teste de kruskal-Wallis para a verificação das evidências de validade de critério; 4ª associação entre as características sociodemográficas, clínicas e de saúde e as dimensões da ENAE em que utilizou-se o teste de Mann-Whitney. Como resultado, na primeira etapa 13 itens receberam sugestões de melhoria, 3 itens foram unificados por similaridade de abordagem e 1 item foi excluído. Após os ajustes realizados na primeira etapa, foi alcançado o consenso dos juízes quanto à representatividade dos itens e a permanência nos modos. A versão final do instrumento ficou composta por 32 itens distribuídos em quatro modos adaptativos, sendo os índices de Alfa de Cronbach: modo fisiológico (α=0,680), autoconceito (α=0,889), função de papel (α=0,749) e interdependência (α=0,793), valor global de Alfa de 0,980. No teste-reteste, quanto a confiabilidade, observouse correlações entre 0,723 a 0,870, sendo todas fortes e significativas (p<0,005) e quanto a precisão, verificou-se que as médias dos escores foram bastante semelhantes entre o teste e o reteste, portanto sem diferença estatisticamente significativa (teste T). Quanto a validade de critério, verificou-se uma relação significativa (p<0,001) por meio do teste de Kruskal-Wallis Verificou-se relação significativa entre sexo, faixa etária, renda, tempo de estomia, critério de permanência e presença de complicações e os domínios da ENAE. Assim, aceita-se a hipótese alternativa do estudo, a medida que o instrumento apresentou fortes evidências de validade. Espera-se que a utilização de um instrumento construído a partir de uma teoria e validado cientificamente, possa contribuir para a prática assistencial as pessoas com estomias e colaborar com o desenvolvimento da enfermagem enquanto ciência.
Abstract: Ostomy is the opening of any hollow viscera to the outside of the body through a surgical procedure, aiming to supplement the need for feeding or elimination. Having an ostomy can restrict perspectives in life given that the physical alterations extend beyond the physiological realm and reach the psychosocial, which demand that the individual adapt to the new reality. It is believed that the use of an instrument developed based on a theory of caretaking that focuses on adaptation, such as the Roy Adaptation Model, can collaborate with the Systemization of Nursing Care Assistance and to the care of people with ostomy. Thus, this study aims to analyze evidence of the validity of the Verification of the Level of Adaptation Scale for People with Ostomy (ENAE – in Portuguese), based on the Roy Model. This research is characterized as a methodological validation study of the ENAE, which was developed in four stages: 1st – the theoretical pole constituted by two rounds of submissions of the instrument to the judges, the carrying out of a pilot test, and lexical and grammatical correction; 2nd – the experimental pole that involves the planning of the application of the instrument, application and collection of data, the instrument having been applied to 200 people with ostomy at the Child and Adult Rehabilitation Center of Rio Grande do Norte; 3rd – the analytical pole involving the carrying out of the statistical analysis, applying Cronbach’s Alpha to analyze the internal consistency of the items, Pearson correlation, and T test to analyze the precision of the instrument, as well as the Kruskal-Wallis test to verify the evidence of criteria validity; 4th- the socio-demographic, clinical and health characteristics, and the dimensions of the ENAE in which the Mann-Whitney test was used. As a result, in the first stage, 13 items received suggestions for improvement, 3 items were unified as their approaches were similar, and 1 item was excluded. After the adjustments were completed in the first stage, a consensus among the judges was arrived at with regard to the representativeness of the items and the permanence in the modes. The final version of the instrument comprised 32 items distributed in four adaptive modes, the Cronbach’s Alpha rates being: physiological mode (α=0,680), self-concept (α=0,889), role function (α=0,749) and interdependence (α=0,793), with a global value of Alpha at 0,980. In the test-retest, regarding reliability, it was observed that the correlations were between 0,723 to 0,870, all of them strong and statistically significant (p<0,005) and with regard to the precision, it was verified that the means of the scores were very similar between the test and the retest, therefore without any statistically significant difference (T test). As for the criteria validity, it was verified that a significant relationship exits (p<0,001) through the Kruskal-Wallis test. A significant relationship was verified among sex, age, income, time of ostomy, permanence and presence of complications and the ENAE domains. Thus, the alternate hypothesis of the study is accepted, insofar as the instrument presented strong evidence of validity. The expectation is that the use of an instrument developed from a theory and validated scientifically, can contribute to the assistance practice for people with ostomy and aid in the development of nursing as a science.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25468
Appears in Collections:PPGE - Doutorado em Enfermagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SueniaSilvaDeMesquitaXavier_TESE.pdf2.44 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.