Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/25513
Title: A questão urbana no capitalismo dependente
Authors: Lopes, Ada Kallyne Sousa
Keywords: Questão urbana;Capitalismo dependente;Acumulação capitalista;Expropriação
Issue Date: 27-Feb-2018
Citation: LOPES, Ada Kallyne Sousa. A questão urbana no capitalismo dependente. 2018. 121f. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) - Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Portuguese Abstract: O presente trabalho propôs-se a debater a particularidade brasileira da umbilical relação entre questão urbana e acumulação capitalista. Para tanto, elencamos como objetivo geral de nossa investigação apreender as particularidades da questão urbana brasileira, nas primeiras décadas do século XXI, a fim de compreender como a direção social, econômica e política do Estado brasileiro no período dos governos de Lula e Dilma (2003-2015), somada aos interesses e necessidades do capital internacionalizado, condicionam a conformação das cidades brasileiras e intensificam as contradições sociais e as lutas de classe no espaço urbano. Para além do período delimitado, buscamos também analisar as conformações atuais de nosso objeto, a partir das transformações advindas com a aprovação das contrarreformas operadas pelo governo golpista de Michel Temer. Para que pudéssemos apreender as determinações econômicas, políticas, históricas e sociais que conformam os entraves à plena materialização do direito à cidade no capitalismo dependente, optamos por partir de uma perspectiva ontológica. Pois, compreendemos que apesar da questão urbana nesses países apresentar particularidades em relação aos países centrais, a apreensão da relação ontológica que o indivíduo estabelece com o espaço nos fornece um fecundo caminho teóricoanalítico para compreendermos as questões de fundo desse debate. Dessa forma, tomamos como categoria central de análise, o espaço e como este se comporta na processualidade evolutiva realizada pelas esferas ontológicas. A partir do resgate da dimensão ontológica do espaço, as cidades do capital podem ser entendidas enquanto formações sociais em que os momentos de não identidade predominam, ou seja, estas representam o estágio mais elevado do caráter social do espaço, uma vez que as barreiras naturais já estão ali demasiadamente distantes. Assim, as cidades enquanto a forma mais puramente social desse complexo parcial deve ser analisada historicamente. Pois, estas já existem como resultado do trabalho humano e do desenvolvimento da divisão do trabalho. Entretanto, é na sociedade capitalista assentada no trabalho assalariado e na relação que o ser social estabelece com o espaço nesse estágio de desenvolvimento das forças produtivas que seu caráter exclusivamente social se acentua e se complexifica. Logo, a cidade capitalista contemporânea é uma expressão das interações estabelecidas entre os diversos complexos parciais responsáveis pelo processo de reprodução do ser social. Para a apreensão dos elementos que conformam as particularidades das cidades do capital dependente, nos debruçamos sobre as determinações histórico-estruturais do capitalismo dependente latino-americano e analisamos a realidade brasileira levando em consideração o processo de formação e consolidação do capitalismo no país, os rebatimentos dessas determinações nas conformações atuais do Estado brasileiro, e nas políticas públicas voltadas para a efetivação do direito à cidade. Todo esse percurso teórico nos levou ao debate sobre as contradições da emancipação política no Brasil, no que diz respeito as conquistas civilizatórias de garantia do acesso à cidade. Buscamos traduzir teoricamente nosso objeto proposto a partir de uma pesquisa de natureza bibliográfica. Entretanto, no caminho metodológico percorrido trabalhamos também com o levantamento de dados e fontes documentais para embasarmos nossas inferências.
Abstract: The present work proposed to discuss the Brazilian particularity of the umbilical relation between urban question and capitalist accumulation. In order to do so, we aim to understand the particularities of the Brazilian urban question in the first decades of the 21st century in order to understand how the social, economic and political direction of the Brazilian State in the period of the governments of Lula and Dilma (2003) -2015), coupled with the interests and needs of internationalized capital, condition the conformation of Brazilian cities and intensify social contradictions and class struggles in urban space. In addition to the delimited period, we also sought to analyze the current conformations of our object, starting with the transformations that came with the approval of counterreforms operated by the coup government of Michel Temer. In order to grasp the economic, political, historical and social determinations that make up the obstacles to the full realization of the right to the city in dependent capitalism, we have chosen to start from an ontological perspective. For we understand that although the urban question in these countries presents peculiarities in relation to the central countries, the apprehension of the ontological relationship that the individual establishes with space provides us with a fertile theoretical-analytical path to understand the fundamental questions of this debate. In this way, we take as central category of analysis, space and how it behaves in the evolutionary processuality carried out by the ontological spheres. From the rescue of the ontological dimension of space, the cities of capital can be understood as social formations in which moments of non-identity predominate, that is, they represent the highest stage of the social character of space, since natural barriers they are already too distant there. Thus, cities as the most purely social form of this partial complex must be analyzed historically. For these already exist as a result of human labor and the development of the division of labor. However, it is in capitalist society based on wage labor and on the relationship that the social being establishes with space at this stage of development of the productive forces that their exclusively social character becomes accentuated and complex. Therefore, the contemporary capitalist city is an expression of the interactions established between the various partial complexes responsible for the process of reproduction of the social being. For the apprehension of the elements that make up the particularities of the cities of dependent capital, we focus on the structural-historical determinations of Latin American dependent capitalism and analyze the Brazilian reality taking into account the process of formation and consolidation of capitalism in the country, of these determinations in the current conformations of the Brazilian State, and in the public policies aimed at the realization of the right to the city. All this theoretical course led us to the debate on the contradictions of the political emancipation in Brazil, regarding the civilizational achievements of guarantee of the access to the city. We seek to theoretically translate our proposed object from a research of a bibliographic nature. However, in the methodological path covered, we also work with the collection of data and documentary sources to support our inferences.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25513
Appears in Collections:PPGSS - Mestrado em Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AdaKallyneSousaLopes_DISSERT.pdf1,89 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.